Sobre a Revista

Foco e Escopo

A Revista de Ciências do Estado – REVICE é um periódico científico discente fruto do jovem bacharelado em Ciências do Estado (2008) da Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais. A REVICE teve seu primeiro número publicado em julho de 2016, o qual inaugurou um novo campo de publicações na área das ciências do Estado. Bem como a graduação, a Revista de Ciências do Estado apresenta um perfil de intensa interdisciplinaridade, que parte dos saberes políticos, jurídicos e sociais para o diálogo transversal com as diversas áreas do conhecimento em Humanidades. 

A REVICE se revelou, em seu curto período de existência, um importante centro de discussão científica tanto discente quanto docente que privilegia a abordagem crítica de problemas, teorias, doutrinas e realidades, tornando-se um espaço para a publicação de estudos filosóficos, históricos, problematizantes, teóricos ou práticos das ciências do Estado.

A Revista de Ciências do Estado pretende, ainda, construir um ambiente qualificado para discussão de temas que exigem abordagens diferenciadas e metodologias inovadoras, capazes de fazer frente aos desafios contemporâneos que afetam e, muitas vezes, confluem com o Estado, a Política, a Cidadania, os Estudos Estratégicos, a Administração e a Governança Públicas; por isso, serão privilegiados trabalhos que prezam por conexões originais e inovadoras nos campos do conhecimento e que retomam e dialogam com artigos anteriores da própria REVICE. 

Inspirada na divisão entre dois percursos do bacharelado em Ciências do Estado, que se desdobra tanto no percurso de Estado Democrático e Contemporaneidade como no percurso de Democracia e Governança Social, a REVICE aceita abordagens desde o local até o global. A Revista de Ciências do Estado pretende estimular os alunos de graduação e pós-graduação a formarem suas capacidades de pesquisa na área, contribuindo não apenas para sua formação acadêmica, mas também para a sociedade civil.

A Revista de Ciências do Estado é classificada pela Capes como B1 no Qualis Referência (2017-2020). e-ISSN 2525-8036 / ISSN 2595-6051.

 

Processo de Avaliação 

Os trabalhos submetidos à Revista de Ciências do Estado passam por duas etapas de avaliação.

A primeira consiste em uma avaliação preliminar  feita pela Direção da Revista que analisa a adequação dos trabalhos à linha editorial do periódico, sua adequação ao escopo, a contribuição e ineditismo do texto, além dos aspectos formais necessários à submissão. Somente os trabalhos considerados como relevantes à comunidade e, em particular, aos leitores do periódico seguem para próxima etapa de avaliação, sendo designado um membro do Corpo Editorial para seguir com o processo.

Na segunda etapa, que se trata do processo de avaliação pelos pares, os trabalhos são encaminhados para a apreciação de dois pareceristas integrantes do corpo de avaliadores, geralmente docentes com titulação de doutorado e preferencialmente externos ao estado de Minas Gerais, conforme o sistema double blind review, a fim de garantir, tanto aos autores quanto aos avaliadores, a imparcialidade crítica e a garantia de liberdade intelectual, elementos sem os quais não há ciência. Os critérios para avaliação dos artigos levam em conta a relevância do tema, a originalidade da contribuição nas áreas temáticas do periódico, a clareza do texto, a adequação da bibliografia, a estruturação e o desenvolvimento teórico, a metodologia, e as conclusões e contribuições oferecidas para o conhecimento da área. Os pareceristas podem aprovar o trabalho (e mesmo assim enviar sugestões), aprovar com correções obrigatórias (que serão encaminhadas aos autores), ou recusar a publicação. 

Em caso de controvérsia na avaliação, situação em que um avaliador apresenta posição divergente do outro, o Corpo Editorial submete o trabalho a um terceiro avaliador, o qual fornecerá a posição de desempate.

Em casos omissos, a direção da Revista de Ciências do Estado juntamente ao Corpo Editorial e, quando julgar necessário, ao Conselho Científico irá arbitrar seguindo o compromisso ético da REVICE.

A Revista de Ciências do Estado busca atender as diretrizes para periódicos advindas da CAPES, de modo a manter a qualificação da revista na plataforma Sucupira.

A Equipe de Pareceristas da REVICE são especialistas criteriosamente selecionados. O parecerista deverá preencher um formulário uniforme e objetivo. É concedido o prazo de 4 semanas para a emissão do parecer. Entretanto, uma vez que o processo de avaliação é inteiramente dependente da conveniência e da boa vontade dos pareceristas, que realizam um trabalho altamente qualificado e não remunerado, não é possível estabelecer com exatidão o prazo para uma decisão definitiva sobre cada submissão. No entanto, é relevante ressaltar que os artigos submetidos à Revista de Ciências do Estado levam, em média, três meses para obterem uma resposta final.

 

Política de Acesso Livre

A Revista de Ciências do Estado é um periódico de acesso aberto, livre e imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento. É permitido aos usuários ler, baixar, copiar, distribuir, imprimir e pesquisar os textos completos dos artigos, ou utilizá-los para qualquer outra finalidade lícita, sem solicitar permissão prévia da revista ou do autor. Isto está de acordo com a definição BOAI de acesso aberto.

Saiba mais sobre o assunto acessando a “Declaração de Berlim sobre Acesso ao Conhecimento nas Ciências e Humanidades” (“Berlin Declaration on Open Acces to Knowledge in the Sciences and Humanities”).

 

Periodicidade

A Revista de Ciências do Estado publica dois números ao ano, seguindo o fluxo de publicação contínua, com o objetivo de diminuir o tempo entre a submissão, a aprovação e a publicação dos trabalhos. 

 

Taxas

A Revista de Ciências do Estado não cobra nenhuma taxa de submissão de trabalhos para avaliação, revisão, publicação, distribuição ou download.

 

Fontes de apoio

A Revista de Ciências do Estado não recebe auxílio financeiro, apesar de estar incluída no Portal de Periódicos da UFMG e, por isso, pode participar, eventualmente, de editais de auxílio da Universidade.  

 

Compromisso ético

A Revista de Ciências do Estado apresenta um compromisso com a ética e a qualidade das publicações, seguindo padrões internacionais de publicação científica. Defendemos um comportamento ético de todas as partes envolvidas na publicação em nosso periódico. Não aceitamos plágio ou qualquer outro comportamento não condizente com a cultura de nosso periódico.

 

Deveres do Corpo Editorial:

  • Decisão de publicação: as editoras e editores são responsáveis por decidir quais artigos submetidos à revista devem ser publicados. A equipe é guiada pelas políticas efetivadas pela cultura e história da Revista de Ciências do Estado. Essas políticas obedecem às exigências legais em vigor sobre difamação, violação de direitos autorais e plágio. Para tomada de decisões a editora ou editor pode consultar o Corpo Editorial, a equipe de pareceristas e, quando julgar necessário, o Conselho Editorial.
  • Transparência e respeito: editoras e editores devem avaliar os manuscritos submetidos sem levar em conta o gênero, a orientação sexual, a crença religiosa, a origem étnica, a nacionalidade ou a ideologia política das autoras e dos autores.
  • Confidencialidade: o Corpo Editorial não deve divulgar qualquer informação sobre um manuscrito submetido, a não ser aos pareceristas e aos conselheiros editoriais.
  • Divulgação e conflitos de interesse: editoras e editores devem recusar avaliar os manuscritos em que tenham conflitos de interesse por questões competitivas, colaborativas ou outros relacionamentos ou ligações com qualquer um dos autores ou das autoras ou instituições ligadas aos manuscritos.
  • Envolvimento e cooperação em investigações: o Corpo Editorial deve tomar medidas necessárias cabíveis quando forem apresentadas reclamações éticas a respeito de um manuscrito submetido ou artigo publicado.
  • Promoção e estímulo da divulgação científica discente: editoras e editores devem prezar pela qualidade do manuscrito e não apenas pela titulação da autora ou do autor.

 

Deveres da Equipe de Pareceristas:

  • Contribuição para as decisões editoriais: a Equipe de Pareceristas é responsável pela revisão crítica dos trabalhos com o objetivo de auxiliar da melhor forma o Corpo Editorial em sua tomada de decisão editorial. Ela  deve contribuir, caso necessário, para o aprimoramento dos trabalhos enviados através de conselhos, indicações e questionamentos contundentes com a garantia da liberdade intelectual.
  • Pontualidade: membros da Equipe de Pareceristas que não se sintam qualificados para analisar o artigo ou sabem que a sua imediata leitura será impossível devem notificar imediatamente o Corpo Editorial.
  • Confidencialidade: os trabalhos recebidos para análise devem ser tratados como documentos confidenciais, não devem ser mostrados, discutidos com terceiros ou divulgados antes da publicação.
  • Padrões de objetividade: a Equipe de Pareceristas deve expressar seu ponto de vista de maneira clara e apoiado em argumentos, conduzindo a avaliação de forma objetiva, condizente com o compromisso ético da REVICE.
  • Sobre as fontes: a Equipe de Pareceristas deve identificar trabalhos publicados relevantes que não foram citados pelas autoras e pelos autores, chamando a atenção do Corpo Editorial sobre qualquer semelhança substancial ou sobreposição entre o manuscrito em questão e qualquer outro artigo publicado de que tenha conhecimento pessoal.
  • Divulgação e conflito de interesses: informações privilegiadas ou ideias obtidas pela Equipe de Pareceristas por meio da leitura dos manuscritos devem ser mantidas em sigilo e não devem ser utilizadas para proveito pessoal. Ela não deve avaliar manuscritos em que tenha conflitos de interesse por questões competitivas, colaborativas ou outros relacionamentos ou ligações com qualquer uma das autoras ou dos autores ou instituições ligadas aos manuscritos.

 

Deveres das Autoras e dos Autores:

  • Normas gerais: as autoras e os autores de trabalhos que se referem a pesquisas originais devem apresentar precisão, objetividade e reflexões em seus textos. Dados complementares devem ser representados com precisão no artigo. O documento deve conter detalhes suficientes e referências que permitam que outros possam replicar o trabalho. Declarações fraudulentas ou intencionalmente imprecisas constituem um comportamento antiético e são inaceitáveis.
  • Originalidade e plágio: as autoras e os autores devem garantir que os trabalhos sejam inteiramente originais e se utilizado o trabalho e/ou textos de terceiros que estes sejam devidamente referenciados. Plágio em todas as suas formas constitui um comportamento antiético e inaceitável.
  • Publicação múltipla ou redundante: as autoras e os autores não devem publicar manuscritos que descrevam essencialmente a mesma pesquisa em mais de um periódico. Publicar o mesmo artigo em mais de um periódico sem informar o Corpo Editorial e obter seu consentimento constitui um comportamento antiético e inaceitável.
  • Sobre as fontes: o trabalho de terceiros deve sempre ser reconhecido. As autoras e os autores devem referenciar as publicações que foram importantes na determinação da natureza do trabalho relatado. As informações obtidas em particular, como em uma conversa, correspondência, ou discussão com terceiros, não devem ser utilizadas ou relatadas sem a permissão explícita por escrito da fonte. As informações obtidas por meio de serviços confidenciais, tais como arbitragem, manuscritos ou pedidos de bolsas, não devem ser utilizadas sem a permissão explícita por escrito da autora ou do autor do trabalho envolvido nestes serviços.
  • Autoria: a autoria do trabalho deve ser restrita àqueles que fizeram uma contribuição significativa para a concepção, projeto, execução ou interpretação do estudo relatado. Todos aqueles que fizeram contribuições significativas devem ser listados como coautoras ou coautores. Pessoas que participaram em certos aspectos do projeto de pesquisa devem ser listadas como colaboradoras e colaboradores. As autoras e os autores principais devem garantir que todas as coautoras e  os coautores apropriados estejam incluídos no artigo. As autoras e os autores principais também devem certificar-se que todos os coautores e as coautoras viram e aprovaram a versão final do manuscrito e que concordaram com sua submissão para publicação.
  • Divulgação e conflitos de interesses: todas as autoras e os autores devem divulgar no manuscrito qualquer conflito financeiro ou de outra natureza que possa influenciar os resultados ou a interpretação de seu manuscrito. Todas as fontes de apoio financeiro para o projeto devem ser informadas para o Corpo Editorial e divulgadas.
  • Erros fundamentais em trabalhos publicados: quando se descobre um erro significativo ou imprecisão em seu trabalho publicado é obrigação das autoras e dos autores informar imediatamente o Corpo Editorial da revista e cooperar para corrigir o artigo.

* Esta declaração se baseia nas recomendações da Elsevier e no Best Practice Guidelines for Journal Editors do Committee on Publication Ethics - COPE.