Amazonas utópicas

um matriarcado comunitário na floresta

  • Patrícia Vieira Universidade de Georgetown / Universidade de Coimbra
Palavras-chave: Amazonas, Matriarcado, Ambientalismo

Resumo

Este artigo discute a representação das Amazonas na literatura brasileira. A lenda de uma temível tribo de
mulheres acompanhou uma visão distópica da Amazônia como um “inferno verde”. Argumento neste artigo que, com o desenvolvimento do estado devido ao boom da borracha e, em especial, com o advento do ambientalismo, as Amazonas tornaram-se parte de uma visão idealizada da floresta tropical. Analiso aqui duas formas de representação utópica das Amazonas: a descrição de uma tribo perdida de mulheres, no romance A Amazônia misteriosa (1925), de Gastão Cruls, e a visão de Abguar Bastos da terra prometida das Amazonas, em A Amazônia que ninguém sabe (1929).

Biografia do Autor

Patrícia Vieira, Universidade de Georgetown / Universidade de Coimbra

Professora na Universidade de Georgetown - Centro de Estudos Sociais, Universidade de Coimbra.

Referências

ARISTOTLE. Physics. V. I. Cambridge, M.A. and London, U.K.: Harvard University Press, 2005. Print.

ACUÑA, Cristóbal de. “New Discovery of the Great River of the Amazons.” Expeditions into the Valley of the Amazons. 1539, 1540, 1639. Ed. and Trans. Clements R. Markham. London: Hakluyt Society, 1859. 47-142. Print.

BASTOS, Abguar. Terra de Icamiaba: romance da Amazônia. Rio de Janeiro: Andersen Editores, 1934. Print.

BROOKSHAW, David. Paradise Betrayed: brazilian literature of the Indian. Amster-dam: CEDLA, 1988. Print.

CARVAJAL, Gaspar de. The Discovery of the Amazon according to the Account of Friar Gaspar de Carvajal and other Documents. Ed. in Spanish José Toribio Medina, Trans. Bertram Lee and Ed. in English Bertram Lee. New York: AMS Press, 1970. Print.

CONDAMINE, Charles de la. Relation Abrégée d’un Voyage Fait dan L’Interieur de L’Amé-rique Méridionale. Mastricht: Jean-Edme Dufour and Philippe Roux, 1778. Print.

CRULS, Gastão. A Amazônia Misteriosa. Rio de Janeiro: Livraria Castilho, 1926. Print.

CRULS, Gastão. A Amazônia que Eu Vi. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1945. Print.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Visão do Paraíso: Os motivos edênicos no descobrimento e colonização do Brasil. São Paulo: Brasilense e Publifolha, 2000. Print.

MALIGO, Pedro. Land of Metaphorical Desires: the representation of Amazonia in bra-zilian literature. New York et al.: Peter Lang, 1998. Print.

MERCHANT, Carolyn. The Death of Nature: women, ecology and the scientific revolu-tion. New York: Harper One, 1990. Print.

RALEIGH, Sir Walter. The Discovery of Guiana. 2006. Project Gutenberg. http://www.gutenberg.org/files/2272/2272-h/2272-h.htm Accessed 12.12.2015. Web.SLATER, Candace. Entangled Edens: visions of the Amazon. Berkeley, Los Angeles and London: University of California Press, 2002. Print.

SOUZA, Márcio. Galvez, Imperador do Acre. São Paulo: Marco Zero, sd. Print.

VIEIRA, Patrícia. “Laws of the Jungle: The Politics of Contestation in Cinema about the Amazon.” The Green Thread: Dialogues with the Vegetal World. New York: Lexington Press, 2015. 129-45. Print.

VIEIRA, Patrícia. “Phytofables: Tales of the Amazon.” Ellipsis. Spring 2016. Forthcoming.

WHITEHEAD, Neil. “South America/Amazonia: the Forest of Marvels.” The Cambridge Companion to Travel Writing. Ed. Peter Hulme and Tim Youngs. Cambridge: CUP, 2002. 122-38. Print.

Publicado
2018-05-03
Como Citar
VIEIRA, P. Amazonas utópicas. Revista da Universidade Federal de Minas Gerais, v. 24, n. 1 e 2, p. 98-115, 3 maio 2018.
Seção
Artigos