Clockwork Angels ou uma nova saga do otimismo

  • Janaína Santos Universidade Estadual Paulista - UNESP
Palavras-chave: Clockwork Angels, Cândido, Otimismo

Resumo

Este artigo faz uma análise comparativa entre uma obra contemporânea, Clockwork Angels, álbum conceitual da banda canadense Rush, e o livro Cândido, de Voltaire, filósfofo francês, cujo texto serve de inspiração para o álbum, como peça fundamental para a construção de personagens, ambientes e conceitos da história.

Biografia do Autor

Janaína Santos, Universidade Estadual Paulista - UNESP

Mestranda, Unesp, São José do Rio Preto, SP.

Referências

ANDERSON, K. J. Clockwork Angels: os anjos do tempo. Tradução. Bruno Mattos. Caxias do Sul: Belas Letras, 2015.

HEGARTY, P.; HALLIWELL, M. The Concept Album. In: Beyond and Before: Progressive

Rock since the 1960s. Bloomsbury Publishing, USA, 2011.

LEIBNIZ, G. Discurso de metafísica e outros textos. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

RUSH. Clockwork Angels. Nashville/Toronto: Roadrunner Records, 2012. 1 disco sonoro.

VAGNA, R. Leibniz e sua concepção do melhor dos mundos. In: Revista de Iniciação Científica da FFC, v. 6, n. 1/2/3, p. 46-53, 2006.

VOLTAIRE, Cândido ou O Otimismo. 1759. Disponível em: <http://www.ebooksbrasil.org/eLibris/candido.html>. Acesso em: 12 nov. 2016.

Publicado
2018-05-03
Como Citar
SANTOS, J. Clockwork Angels ou uma nova saga do otimismo. Revista da Universidade Federal de Minas Gerais, v. 24, n. 1 e 2, p. 116-135, 3 maio 2018.
Seção
Artigos