Projeto Manuelzão

idealização, construção e limites institucionais

  • Apolo Heringer Lisboa Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

Resumo

Esta publicação analisa o Projeto Manuelzão, com seus fundamentos históricos, filosóficos e políticos, no período de 1988-2013, no Brasil. A década de 1980 prometia renascimento: fim da ditadura, exilados voltando, eleições diretas, constituinte, povo na rua. Passada a euforia, a história repõe a realidade, frustrando esperanças. O cenário cobrava mudança de paradigma político, e surgem novas propostas pelo Brasil, como o Projeto Manuelzão. Com visão ecossistêmica dos fenômenos da vida e da economia, o Projeto propôs mudança do paradigma antropocêntrico-economicista da política, partindo do território hidrográfico do Rio das Velhas. E promoveu um significativo processo de mobilização social pela revitalização da bacia hidrográfica do Rio das Velhas, tendo a “volta do peixe” como meta e indicador do processo. Político de inspiração ecológica, para replicação nacional, pode ser sintetizado no conceito ecocêntrico de República Hidrográfica. Com abordagem transdisciplinar, o Projeto Manuelzão é aqui analisado quanto à sua identidade, consistência teórica, coesão e desafios institucionais.

Biografia do Autor

Apolo Heringer Lisboa, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

Idealizador do Projeto Manuelzão, médico, Mestre em Epidemiologia, PhD em Educação.

Referências

ALVES FILHO, J. A caravana em defesa do São Francisco, do semiárido e contra a transposição. In: LISBOA, A. H. Transposição do São Francisco. Rio de Janeiro: Mauad X, 2008. 254 p., p. 171-210.

SCIENCE quotes by Albert Einstein. Disponível em: https://todayinsci.com/E/Eins-tein_Albert/EinsteinAlbert-Quotations.htm. Acesso em: 16 out. 2017.

LISBOA, Apolo Heringer. Projeto Manuelzão: uma estratégia socioambiental de trans-formação da mentalidade social. 274 p. (Tese - Doutorado) – Programa de Pós-graduação da Faculdade de Educação da UFMG, Belo Horizonte.

LISBOA, A.H; GOULART, E.M. In: LISBOA, A. H. Projeto Manuelzão: a história da mobilização que começou em torno de um rio. Belo Horizonte: Instituto Guacuy, Projeto Manuelzão da UFMG, 2008. 255p.

MORIN, E. La Méthode. Paris: Éditions du Seuil, 2008. 2.463 p.

MORIN Edgard pede regeneração permanente do ser humano. Disponível em: http://ultimosegundo.ig.com.br/educacao/edgar-morin-pede-regeneracao-permanente-do-ser-humano/n1237781366302.html. Publicado em 26/10/2010. Acesso em: 16 out. 2017.

PROJETO Manuelzão. Disponível em: http://www.manuelzao.ufmg.br/publicacoes/revista. Acesso em: 16 out. 2017.

SÁ BARRETO, F.C. O Imaginário do Projeto Manuelzão. In: LISBOA, A.H. Navegando o Rio das Velhas das Minas aos Gerais. Belo Horizonte: Instituto Guacuy, 2005.

SNOW, J. Sobre a maneira de transmissão da cólera. 2. ed. São Paulo:Hucitec-Abrasco, 1990. 249 p. Edição original inglesa de 1855.

VIEIRA, A. Sermão de Santo Antônio aos Peixes. www.biblio.com.br/conteudo/padrean-toniovieira/mstoantonio.htm. Acesso em 16 out. 2017.

CONTEXTO político da crise hídrica. - Grupo Carta de Morrinhos – 2017. Disponível em: http://www.apoloheringerlisboa.com/documentos. Acesso em 8 out. 2017.

AS VEIAS do Brasil. Cortesia de Bruno Pinheiro e Carlos Diego - Via Águas. Disponível em: http://www.archdaily.com.br/br/802719/as-veias-do-brasil-arco-iris-das-bacias-hi-drograficas-do-territorio-nacional/586a5412e58ece2a400000ec-as-veias-do-brasil-arco-iris-das-bacias-hidrograficas-do-territorio-nacional-imagem. Acesso em 8 out. 2017.

Publicado
2018-05-03
Como Citar
LISBOA, A. H. Projeto Manuelzão. Revista da Universidade Federal de Minas Gerais, v. 24, n. 1 e 2, p. 204-237, 3 maio 2018.
Seção
Artigos