Mineiros retornados e a corrente de migrantes paulistas

os fluxos de São Paulo para Minas Gerais

  • Carlos Lobo Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG
  • Ralfo Matos Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG
  • José Marcos P. da Cunha Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
Palavras-chave: Migração, Minas Gerais, São Paulo

Resumo

Minas Gerais se caracterizou historicamente como área repulsora de população, cujas trocas expressavam saldos amplamente favoráveis a São Paulo. Entretanto, mudanças recentes na dinâmica migratória podem ser observadas desde 1991, quando havia sinais de declínio da emigração para São Paulo. Os dados do último Censo confirmaram um novo cenário: de crescente contingente migratório procedente de São Paulo. A expansão da área de influência de São Paulo sugere a consolidação de novos centros regionais em Minas Gerais, que absorvem os efeitos da desconcentração econômica paulista. As evidências dessa dispersão ampliada podem ser observadas no crescimento da migração para microrregiões do Sul de Minas, Triângulo e Mata, que se destacam na atração de migrantes (mineiros ou paulistas).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Lobo, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

Doutor em Geografia. Programas de Pós-graduação em Geografia, Geotecnia e Transportes e Análise e Modelagem de Sistemas Ambientais UFMG. E-mail: carlosfflobo@gmail.com

Ralfo Matos, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

Doutor em Demografia. Programa de Pós-graduação em Geografia do IGC/UFMG. E-mail: ralfomatos@gmail.com

José Marcos P. da Cunha, Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP

Doutor em Demografia. IFCH/UNICAMP e NEPO. E-mail: zemarcos@nepo.unicamp.br

Referências

AZZONI, C. Indústria e reversão da polarização no Brasil. Ensaios Econômicos, São Paulo, IPE/USP, n. 58, 1986.

BAENINGER, Rosana. Redistribuição espacial da população: características e tendências do caso brasileiro. Notas de população. Santiago do Chile, n. 65, p. 145/202, Jun.1997.

IBGE, Migração e deslocamento - Resultados da Amostra. Rio de Janeiro, 2003.

CUNHA, J. M. P. A migração interna no Brasil nos últimos cinquenta anos: (des)continuidades e rupturas. In: ARRETCHE, M. Trajetórias das desigualdades: como o Brasil mudou nos últimos cinquenta anos. São Paulo: Editora UNESP; CEM, 2015, 279-307.

CUNHA, J. M. P. da e BAENINGER, R. Cenários da migração no Brasil nos anos 90. Caderno CRH, v. 18, n. 43, jan-abril 2005.

DINIZ, C. C. Desenvolvimento poligonal no Brasil; nem desconcentração, nem contínua polarização. Nova Economia, Belo Horizonte, v. 31, n. 11, p. 35-64, set. 1993.

IBGE, Reflexões sobre os deslocamentos populacionais no Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, 2011.LOBO, C. Dispersão espacial da população no Brasil. Mercator, v. 15, n. 3, 2016.

LOBO, C. Dispersão espacial da população nas Regiões de Influência das principais metrópoles brasileiras. Tese (Doutorado em Geografia), Instituto de Geociências, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009.

LOBO, C. et al. Expanded commuting in the metropolitan region of Belo Horizonte: evidence for reverse commuting. Revista Brasileira de Estudos Populacionais, v. 32, n. 2, p. 219-233, 2015.

LOBO, C. e MATOS, R. Migrações e a dispersão espacial da população nas regiões de Influência das principais metrópoles brasileiras. Revista Brasileira de Estudos Populacionais, 2011, vol. 28, n. 1, p. 81-101.

LOBO, C. e MATOS, R. Dispersão espacial da população e do emprego formal nas regiões de influência do Brasil contemporâneo. Cadernos Metrópole, São Paulo, v. 12, n. 24, pp. 309-330, jul./dez. 2010.

MARTINI, G.; CAMARANO, A. A.; NEUPERT, R.; BELTRÃO, K. A urbanização no Brasil: retrospectiva, componentes e perspectiva. In: VI ENCONTRO DE ESTUDOS POPULACIONAIS, 6, 1988, Olinda. Anais... Olinda: Associação Brasileira de Estudos Populacionais, v. 1, p. 19-65, 1988.

MATOS, R. et al. Inversão no balanço migratório mineiro: as trocas populacionais entre Minas e São Paulo. In: ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDOS POPULACIONAIS, 14, 2010, Caxambu.

MATOS, Ralfo. Espacialidades em Rede: População, Urbanização e Migração no Brasil Contemporâneo. Belo Horizonte: C/Arte Editora, 2005. v. 1000. 264p.

MATOS, R. Questões teóricas acerca dos processos de concentração e desconcentração da população no espaço. Revista Brasileira de Estudos de População, São Paulo, p. 35-58, 1995.

REDWOOD III, J. Reversion de polarizacion, ciudades secundarias y eficiencia en el desarrollo nacional: una vison teorica aplicada al Brasil contemoraneo. Revista Latinoamericana de Estudios Urbanos Regionales. Santiago, v. 11, n. 32, dic. 1984.

RICHARDSON, H. W. Polarization reversal in developing countries. The Regional Science Association Papers. Los Angeles, v. 45, p. 67-85, nov. 1980.

RIGOTTI, José I. R. Técnicas de mensuração das migrações, a partir de dados censitários: aplicação aos casos de Minas Gerais e São Paulo. Tese (Doutorado). Universidade Federal de Minas Gerais – CE-DEPLAR. Belo Horizonte/MG, 1999.

TOWNROE, P.; KEEN, D. M. Polarization reversal in the state of São Paulo, Brazil. Journal of the Regional Studies Association. Cambridge, v. 18, n. 1, Feb. 1984.

Publicado
2018-12-31
Como Citar
LOBO, C.; MATOS, R.; CUNHA, J. M. P. DA. Mineiros retornados e a corrente de migrantes paulistas. Revista da Universidade Federal de Minas Gerais, v. 25, n. 1 e 2, p. 178-197, 31 dez. 2018.
Seção
Artigos