Das Ruínas à Reconstrução

o Terremoto de Lisboa de 1755

Autores

  • Angela Brandão Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-770X.2020.20646

Palavras-chave:

Terremoto de Lisboa, ruínas, Miguel Tibério Pedegache, Jacques Philippe Le Bas

Resumo

Este texto apresenta uma breve abordagem sobre a destruição de Lisboa quando do Grande Terremoto de 1755 e alguns aspectos sobre sua reconstrução. Por outro lado, a cidade destruída tornou-se objeto de diferentes interpretações por meio da composição de inúmeras imagens, especialmente em forma de gravuras, como difusão das “visões do Terremoto”. Aqui trataremos especificamente do livro de gravuras Coleção de Algumas Ruínas de Lisboa causadas pelo terremoto e pelo fogo do primeiro de novembro do anno de 1755, impresso em Paris em 1757, com gravuras de Le Bas, no qual alguns edifícios são transformados em gigantescos monumentos em destroços, numa elaboração própria do século XVIII da estética das ruínas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRANDÃO, A. Uma fronteira entre Londres e Lisboa. Catástrofes e reconstruções. In: BRANDÃO, A.; GUZMÁN, F.; SHENKE, J. História da Arte: Fronteiras. São Paulo: Universidade Federal de São Paulo, 2019.

BUENO, Beatriz Piccolotto Siqueira. Desenho e Desígnio. O Brasil dos Engenheiros Militares (1500-1822). São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, FAPESP, 2011.

CAMARA, Maria Alexandra Gago; MURTEIRA, Helena; RODRIGUES, Paulo Simões. Myth and Reason: Lisbon’s image before and after the 1755 earthquake. International Conference The Image of the City Transformed: 15th-18th Century, MAS, Antwerp, 23-24 May 2013. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/340538862. Acesso em: 14 maio 2020.

COSTA, Luís Alves. Lisboa e a Real Ópera do Tejo: um módulo iluminado, entre Atlantes e Tritões. In: CÂMARA, Alexandra Gago da et allii (coord.). Cities in the Digital Age Exploring Past, Present and Future. Cidades na Era Digital: Explorando Passado, Presente e Futuro. Porto: CITCEM – Centro de Investigação Transdisciplinar Cultura, Espaço e Memória, 2018.

LIMA, Magdalena Costa; BAPTISTA NETO, Maria João. Duas catástrofes históricas: o Grande Incêndio de Londres e o Terramoto de Lisboa de 1755 – efeitos no Património Artístico e atitudes de recuperação. Conservar Património, n. 25, p. 37-41, 2017. Disponível em: http://revista.arp.org.pt/pt/artigos/2016047.html. Acesso em: 03 jun. 2019. https://doi.org/10.14568/cp2016047

MEYER, Dirk de. Catastrophe and its Fallout. Notes on Cataclysms, Art and Aesthetics 1755-1945. In: LE ROY, F. Et al. (ed.) Tickle Your Catastrophe!: Imagining Catastrophe in Art, Architecture and Philosophy. Ghent: Academia Press, 2011.

MURTEIRA, Helena. Between Despair and Hope. The 1755 Earthquake in Lisbon. In: SIMONTON, Deborah e SALMI, Hannu (org.). Catastrophe, Gender and Urban Experience, 1648-1920. New York, Routledge, 2016.

PEDEGACHE, Miguel Tibério. Colleçaõ de algumas ruinas de Lisboa causadas pelo terremoto e pelo fogo do primeiro de Novemb.ro do anno de 1755 debuxadas na mesma cidade por MM. Paris et Pedegache e abertas ao buril em Paris por Jac. Ph. Le Bas = Receuil des plus belles ruines de Lisbonnes causées par le tremblement et par le feu du premier Novembre 1755, dessiné sur les lieux par MM. Paris et Pedegache et gravé à Paris par Jac. Ph. le Bas. - À Paris : se vend chez Jac. Franc. Blondel Architecte du Roy : chez Jac. Ph. Le Bas graveur du Roy: chez la Veuve Chereau, 1757.

PEDEGACHE, Miguel Tibério. Nova, e fiel relaçaõ do terremoto que experimentou Lisboa, e todo Portugal no 1. de Novembro de 1755. com algumas observaçoens curiosas, e a explicação das suas causas / por M. T. P.. - Lisboa : na Officina de Manoel Soares, 1756.

PORTALIS, Roger e BÉRALDI, Henri. Les Graveurs du Dix-Huitième Siècle. Tome II. Deuxième partie. Paris: Damascène Morgand et Charles Fatout, 1881.

QUINTAS, A. A. A percepção estética da ruína: a presença da ausência. In: ACCIAIUOLI, M.; BABO, M. A. (Coords.). Arte & melancolia. Lisboa: Instituto de História da Arte / Estudos de Arte Contemporânea, 2011.

SALDANHA, N. G.B. Piranesi e a poética da ruína no século XVIII. In: BARROS, A. M. T. de M. (Coord.). Giovanni Battista Piranesi: invenções, caprichos, arquitecturas – 1720/1778. Lisboa: Secretaria de Estado da Cultura, 1993.

SHRADY, Nicholas. O último dia do mundo: fúria, ruína e razão no grande terremoto de Lisboa de 1755. Rio de Janeiro: Objetiva, 2011.

SILVA, Innocencio Francisco da. Et alli. Diccionario bibliographico portuguez. Estudos de Innocencio Francisco da Silva Applicaveis a Portugal e ao Brasil Tomo VI. Lisboa: Imprensa Nacional de Portugal, 1862. Disponível em: http://www2.senado.leg.br/bdsf/handle/id/242735. Acesso: 12 maio 2020.

TAVARES, Rui. O Pequeno Livro do Grande Terramoto. Ensaio sobre 1755. Lisboa: Tinta China, 2019.

VOLNEY, C-F. C. Le rovine, ossia, Meditazioni sulle rivoluzioni degl’imperi. Lugano: Elvetica, 1862. Vols. I e II. Disponível em: https://archive.org/details/bub_gb_HSgC62UrWMAC/page/n5/mode/2up Acesso: 13 maio 2020.

VOLTAIRE, Cândido ou o Optimismo. Tradução, notas e posfácio de Rui Tavares. Lisboa: Tinta China, 2006.

Downloads

Publicado

2021-11-19

Como Citar

BRANDÃO, A. Das Ruínas à Reconstrução: o Terremoto de Lisboa de 1755. Revista da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, v. 27, n. 3, p. 232–251, 2021. DOI: 10.35699/2316-770X.2020.20646. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistadaufmg/article/view/20646. Acesso em: 3 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos