Darwin e Marx, Durkheim e Weber

relações entre a forma de pensar evolução na Biologia e na Sociologia

  • Brunah Schall Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG
Palavras-chave: Pensamento evolutivo, Biologia, Sociologia

Resumo

O pensamento evolutivo é de grande importância na Biologia e na Sociologia, pois em ambas as disciplinas há uma tentativa de compreender as mudanças que ocorrem ao longo do tempo, na natureza e na sociedade. Com foco nesse tipo de pensamento, é possível delinear interseções entre a teoria da evolução por seleção natural de Darwin e as ideias de Karl Marx, Émile Durkheim e Max Weber, comparando os tipos de perspectivas históricas desenvolvidas por cada um. A discussão dessas interseções pode contribuir para uma melhor compreensão e ensino das disciplinas, fomentando visões transdisciplinares e críticas que as enriquecem, advertindo também para possíveis interpretações ideológicas que têm impacto sobre a realidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Brunah Schall, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

Bióloga e Mestre em Sociologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Referências

BOURDIEU, P.; CHAMBOREDON, J. C.; PASSERON, J. A profissão de sociólogo. Tradução Guilherme João de Freitas Teixeira. Petrópolis: Vozes, 1999.

BROOKE, J. H.; HODGE, J. (Ed.); RADICK, G. (Ed.) Darwin and Victorian Christianity. The Cambridge Companion to Darwin, 2003, p. 192-211.

CAPONI, G.; DOMINGUES, H. M. B. (Org.); Sá, M. R. (Org.); PUIG-SAMPER, M. A. (Org.); GUI-TIÉRREZ, Rosaura Ruiz (Org.). El darwinismo y su otro, la teoria transformacional de la evolución. Darwinismo, Meio Ambiente, Sociedade. São Paulo: Via Lettera; Rio de Janeiro: MAST, 2009, p. 177-184.

COLP, R. Jr. The myth of the Darwin-Marx letter. History of Political Economy v. I4:4, p. 461-482, 1982.

DARWIN, C. A Origem das Espécies. Tradução John Green. São Paulo: Editora Martin Claret, 2005.

DURKHEIM, É. As Regras do Método Sociológico. Tradução Paulo Neves, revisão da tradução Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

ELSTER, J. Marx Hoje. Tradução Plínio Dentzien. São Paulo: Paz e Terra, 1989.

GERRATANA, V. Marx and Darwin. New Left Review, 35 (1974), p. 60–82.

GOULD, S J. Darwin e os Grandes Enigmas da Vida. Tradução Maria Elizabeth Martinez. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

KALBERG, S. Max Weber: uma introdução. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2010.

MARK, K.; FERNANDES, F. (Org.). Trabalho alienado e superação positiva da autoalienação humana (Manuscritos econômicos e filosóficos). K. Marx, F. Engels – História. São Paulo: Ática, 1983.

QUINTANEIRO, T.; BARBOSA, M. L. O.; OLIVEIRA, M. G. M. Um Toque de Clássicos. 2. ed. Belo Horizonte: UFMG, 2002.

RUNCIMAN, W.G. 2001. Was Max Weber a Selectionist in Spite of Himself? Journal of Classical Sociology. 2001, p. 1- 13.

WEBER, M. A ética protestante e o “espírito” do capitalismo. Tradução José Marcos Mariani de Macedo, edição Antônio Flávio Pierucci. São Paulo: Editora Schwarcz, 2005.

Publicado
2016-04-07
Como Citar
SCHALL, B. Darwin e Marx, Durkheim e Weber . Revista da Universidade Federal de Minas Gerais, v. 21, n. 1 e 2, p. 138-149, 7 abr. 2016.
Seção
Artigos