As agências francesas de água têm 50 anos

lições a tirar dessa experiência controversa

Autores

  • Bernard Barraqué Centre National de la Recherche Scientifique - CNRS; École Nationale du Génie Rural, des Eaux et des Fôrets

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-770X.2013.2700

Palavras-chave:

Agências francesas de água, Custo da água, Bem comum

Resumo

As agências de águas francesas é o tema central do presente artigo que relata as dificuldades e resistências encontradas para sua institucionalização na estrutura política francesa. Ao discutir a polêmica da cobrança pelo uso da água, o texto destaca, além dos custos econômicos e ambientais, questões relacionadas à aceitabilidade social e à equidade. Analisa em particular a política de custos e taxas de água e de serviços de saneamento ambiental, estabelecendo um paralelo entre serviço público e bem comum.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bernard Barraqué, Centre National de la Recherche Scientifique - CNRS; École Nationale du Génie Rural, des Eaux et des Fôrets

Diretor de Pesquisa CNRS (Centre National de la Recherche Scientifique) lotado no CIRED (Centre International de Recherche sur l’Environnement et le Développement). Professor da AgroParisTech (École Nationale du Génie Rural, des Eaux et des Fôrets).

Referências

BARRAQUÉ, B. (2014) The common property issue in Flood control through land use in France, in Journal of Flood Risk Management, doi: 10.1111/jfr3.12092. (Virtual Special Issue: THE EUROPEAN FLOOD RISK MANAGEMENT PLAN, Guest Editors: Asst. Prof. Dr. Thomas Hartmann and Prof. Dr. Robert Juepner).

CHÉRET, Y. (1967) L’eau, Editions du Seuil, coll. Société n°20, 128 p.

GOGERS, P. BHATIA, R. & HUBER, A. (1998) Water as a social and economic good: how to put the principle into practice, GWP – TAC Baclground paper n° 2.

Downloads

Publicado

2016-04-11

Como Citar

BARRAQUÉ, B. As agências francesas de água têm 50 anos: lições a tirar dessa experiência controversa. Revista da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, v. 20, n. 2, p. 254–271, 2016. DOI: 10.35699/2316-770X.2013.2700. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistadaufmg/article/view/2700. Acesso em: 23 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos