A trama dos povos da floresta

Amazônia para além do verde

Autores

  • Ana Cláudia Duarte Cardoso Universidade Federal do Pará (UFPA)

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-770X.2021.46237

Palavras-chave:

Amazônia, Periurbano estendido, Cidades Amazônicas, Povos da floresta

Resumo

Este artigo oferece uma narrativa instruída por revisão de literatura e pesquisa empírica para demonstrar que a colonização e o racismo estão ligados à cultura de desmatamento e devastação da Amazônia. Aponta, ainda, a importância que o esquecimento das pessoas e de suas espacialidades tem para as aparentes dificuldades de articulação entre o todo (a floresta) e as partes (vilas e cidades), assumidas como fragmentos que abrigam a vida cotidiana. Apresenta-se a formulação da trama dos povos da floresta como uma espacialidade nativa capaz de orientar o reencontro dos diversos campos de conhecimento com as múltiplas escalas e temporalidades entrelaçadas da região e oferecer soluções possíveis para as múltiplas crises globais já colocadas no século XXI.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

A POLÍTICA antiambiental do governo brasileiro e os impactos na agenda internacional do país. [S. l.: s. n.], 2020. 1 vídeo (87 min). Publicado pelo canal Fase – Solidariedade e Educação. Disponível em: https://youtu.be/yEmzW64QMCs. Acesso em: 3 ago. 2022.

ACEVEDO Rosa; CASTRO, Edna. Negros do Trombetas: guardiões de matas e rios. Belém: NAEA, 1998.

ALMEIDA, Milton Fernandes de. Caracterização agrometeorológica do município de Marabá/PA. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) – Universidade Federal do Pará, Marabá, 2007.

ANDRADE, Fabiano Paes. De São Braz ao Jardim Público – 1887-1931: um ramal da estrada de ferro de Bragança em Belém do Pará. 2010. Tese (Doutorado em História) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2010.

ARAÚJO, Tânia Bacelar de. Brasil nos anos noventa: opções estratégicas e dinâmica regional. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, Rio de Janeiro, n. 2, p. 9-24, 2000. https://doi.org/10.22296/2317-1529.2000n2p9.

BALANDIER, Georges. La situation coloniale: approche théorique. Cahiers Internationaux de Sociologie, n.°11, p. 44-79, 1951.

BARTOLI, Estevan. Cidades na Amazônia, sistemas territoriais e a rede urbana. Mercator, Fortaleza, v. 17, 1-16, 2018. https://doi.org/10.4215/rm2018.e17027

BIBAS, Luna; CARDOSO, Ana Cláudia. Redesenhos para Marabá (PA): aspectos socioambientais e de desenho urbano. Arquitextos, v. 17, n. 199.07, 2016. Disponível em: https://vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/17.199/6357. Acesso em: 16 fev. 2023.

BRASIL. Lei nº 11.925, de 17 de abril de 2009. Dá nova redação aos arts. 830 e 895 da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 17 abr. 2009. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/lei/l11925.htm. Acesso em: 17 fev. 2023.

CARDOSO, Ana Cláudia Duarte. Que contribuições virão de Amazônia brasileira para o urbanismo do século XXI? Thésis, Rio de Janeiro, v. 6, n. 11, p. 36-53, 2021.

CARDOSO, Ana Claudia Duarte; VICENTE, Letícia Ribeiro; BRITO, Romário. Espacialidades da Várzea Amazônica: os Casos de Afuá, Mocajuba e Belém. Paranoá, 29, 2021. DOI: https://doi.org/10.18830/issn.1679-0944.n29.2021.05

CARDOSO, Ana Cláudia Duarte; VENTURA NETO, Raul da Silva. Desenvolvimentismo e mercantilização da terra: transição e resistência das várzeas paraenses. Novos Cadernos Naea, Belém, v. 23, n. 1, p. 219-242, 2020.

CARDOSO, Ana Claudia Duarte; VICENTE, Letícia Ribeiro; OLIVEIRA, Rafaela Carolina Bulhões de. Cartografia Social da Ilha de Cotijuba – Belém/PA. Cadernos de Arquitetura e Urbanismo, v.27, n.39, 1º sem. 2020, pp 255-293.

CARDOSO, Ana Cláudia Duarte; CÂNDIDO, Lucas Souto; MELO, Ana Carolina Campos de. Canaã dos Carajás: um laboratório sobre as circunstâncias da urbanização, na periferia global e no alvorecer do século XXI. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, São Paulo, v. 20, n. 1, p. 121-140, 2018. https://doi.org/10.22296/2317-1529.2018v20n1p121

CARDOSO, Ana Cláudia Duarte; MELO, Ana Carolina de; GOMES, Taynara. O urbano contemporâneo na fronteira de expansão do capital: padrões de transformações espaciais em seis cidades do Pará, Brasil. Revista de Morfologia Urbana, Belém, v. 4, n. 1, p. 5-28, 2015.

CARDOSO, Ana Cláudia; OLIVEIRA, Kamila; GOMES, Taynara. Mismatches between extended urbanization and everyday socioenvironmental conflicts in Santarém, Pará, Brazil. Sustentability in Debate, Brasília, DF, v. 11, n. 1, p. 83-97, 2020.

CICLO regenerantes de Gaia – Amazônia e o “manejo da abundância” – Eduardo Neves e Valdely Kinupp. [S. l.: s. n.], 2022. 1 vídeo (127 min). Publicado pelo canal Selvagem Ciclo de Estudos sobre a Vida. Disponível em: https://youtu.be/3G4pVMgfLlA. Acesso em: 1 ago. 2022.

CORMIER, Laure; CARCAUD, Nathalie. Les trames vertes : discours et/matérialité, quelles réalités ? Projets de Paysage: revue Scientifique sur la conception et l’aménagement de l’espace, Marseille, n. 2, p. 1-17, 2009.

CORREA, Roberto Lobato. A periodização da rede urbana na Amazônia. Revista Brasileira de Geografia, Rio de Janeiro, v. 49, n. 3, p. 39-68, 1987.

COSTA, Francisco de Assis. A brief economic history of Amazon (1720-1970). Cambridge: Cambridge Scholars Publishing, 2019.

CUSICANQUI, Silvia Rivera. Sociologia de la imagen: miradas ch’ixi desde la historia andina. Buenos Aires: Tinta Limón, 2015.

DAL’ASTA, Ana Paula; AMARAL, Silvana. Locality attributes and networks serving to reveal Amazonian urbanization beyond the cities. Geographical Review, Oxfordshire, v. 109, n. 2, p. 199-223, 2018.

DAL’ASTA, Ana Paula; AMARAL, Silvana; MONTEIRO, Antônio Miguel Vieira. Um modelo para a representação espaço-temporal do fenômeno urbano na Amazônia contemporânea. Políticas Públicas & Cidades, v. 5, n. 2, p. 17-37, 2017.

FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Salvador: EDUFBA, 2008.

FELTRAN, Gabriel de Santis. Valor dos pobres: a aposta no dinheiro como mediação para o conflito social contemporâneo. Cadernos CHR, v. 27, n. 72, p. 495-512, 2014. https://doi.org/10.1590/S0103-49792014000300004

FIORAVANTI, Carlos. Os limites de um sonho amazônico. Pesquisa Fapesp, São Paulo, n. 309, p. 82-85, 2021.

GUERRA, Antônio Teixeira. Observações geográficas sobre o território do Guaporé. Revista Brasileira de Geografia, Rio de Janeiro, v. 15, n. 2, p. 183-302, 1953.

HECKENBERGER, Michael J. et al. Pre-Columbian urbanism, anthropogenic landscapes, and the future of the Amazon. Science, Washington, DC, v. 321, n. 5893, p. 1214-1217, 2008. https://doi.org/10.1126/science.1159769

HUERTAS, Daniel Monteiro. Da fachada atlântica à imensidão amazônica: fronteira agrícola e integração territorial. São Paulo: Annablume, 2009.

IBGE. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Cadastro de localidades selecionadas. IBGE, Rio de Janeiro, 2010. Disponível em: https://geoftp.ibge.gov.br/organizacao_do_territorio/estrutura_territorial/localidades/cadastro_localidades_selecionadas.pdf. Acesso em: 3 ago. 2022.

IBGE. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Região de influência de cidades: 2018. Rio de Janeiro: IBGE, 2020.

IPBES. INTERGOVERNMENTAL SCIENCE-POLICY PLATFORM ON BIODIVERSITY AND ECOSYSTEM SERVICES. The global assessment report on biodiversity and ecosystem services. Bonn: UN Habitat, 2019.

IPCC. INTERGOVERNMENTAL PANEL ON CLIMATE CHANGE. Climate change 2022: impacts, adaptation and vulnerability. New York: IPCC, 2022. Disponível em: https://www.ipcc.ch/report/ar6/wg2/. Acesso em: 3 ago. 2022.

LOUREIRO, Violeta Refkalefsky. Amazônia: uma história de perdas e danos, um futuro a (re)construir. Estudos Avançados, São Paulo, v. 16, n. 45, p. 107-121, 2002.

LUCCHESE, Maria Cecília. Em defesa do planejamento urbano: ressonâncias britânicas e a trajetória de Harry James Cole. 2009. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) – Universidade de São Paulo, São Carlos, 2009.

LUCCHESE, Maria Cecília. HJ Cole + Associados: planejamento e empreendimentos (1970-1980). Urbana, Campinas, v. 5, n. 6, p. 201-226, 2013.

LUIZÃO, Flávio J.; NOBRE, Carlos A.; MANZI, Antonio O. Projeto LBA: estudando as complexas interações da biosfera com a atmosfera na Amazônia. Acta Amazônica, v. 35, n. 2, 1-2, 2005

KILOMBA, Grada. Memórias da plantação: Episódios de racismo cotidiano. Rio de Janeiro: Ed. Cobogó, 2019.

MALHEIRO, Bruno; PORTO-GONÇALVES, Carlos Walter; MICHELOTTI, Fernando. Horizontes amazônicos: para repensar o Brasil e o mundo. São Paulo: Fundação Rosa Luxemburgo; Expressão Popular, 2021.

MELO, Ana Carolina Campos de; CARDOSO, Ana Cláudia Duarte. O papel da grande mineração e sua interação com a dinâmica urbana em uma região de fronteira na Amazônia. Nova Economia, Belo Horizonte, v. 26, p. 1211-1243, 2016. https://doi.org/10.1590/0103-6351/3963

MESA REDONDA: A VIOLÊNCIA NA AMAZÔNIA E SUAS RAÍZES HISTÓRICAS, 2022, Belém. Anais eletrônicos (…). Belém: NAEA; UFPA, 2022. Disponível em: https://www.naea.ufpa.br/index.php/menu-noticias/368-a-violencia-na-amazonia-e-suas-raizes-historicas. Acesso em: 16 fev. 2023.

MIRANDA, Thales Barroso. A ilusão da igualdade: natureza, justiça ambiental e racismo em Belém. 2020. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Universidade Federal do Pará, Belém, 2020.

MONTE-MÓR, Roberto. Urbanização extensiva e lógicas de povoamento: um olhar ambiental. In: SANTOS, Milton; SOUZA, Maria Adélia; SILVEIRA, Maria Laura. (org.). Território, globalização e fragmentação. São Paulo: Hucitec-Anpur, 1994. p. 169-181.

MONTE-MÓR, Roberto. Urbanização, sustentabilidade, desenvolvimento: complexidades e diversidades contemporâneas na produção do espaço urbano. In: COSTA, Geraldo Magela; COSTA, Heloísa Soares de Moura; MONTE-MÓR, Roberto. (org.). Teorias e práticas urbanas: condições para a sociedade urbana. Belo Horizonte: C/Arte, 2015. p. 55-69.

MORAES, Bergson Cavalcanti et al. Crescimento urbano e suas implicações para o tempo e clima da região metropolitana de Belém do Pará. Revista Brasileira de Geografia Física, Recife, v. 15, n. 4, p. 2045-2060, 2022.

MORELATO, Adriana Hiromi. O descompasso do “modelo” na urbe amazônida: o caso de Porto Velho. 2021. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Universidade Federal do Pará, Belém, 2021.

MOURÃO, Gersa Maria Neves. Colonização recente no sudeste de Roraima, Amazônia brasileira: entre a política e a natureza. Acta Geográfica, Roraima, v. 2, n. 4, p. 31-39, 2008.

NEVES, Eduardo Góes. Sob os tempos do equinócio: Oito mil anos de história na Amazônia central. São Paulo: Editora Ubu, 2022.

OLIVEIRA, Ana Mourão; COSTA, Heloisa Soares de Moura. A trama verde e azul no planejamento territorial: aproximações e distanciamentos. Revista Brasileira De Estudos Urbanos E Regionais, 20(3), 538. https://doi.org/10.22296/2317-1529.2018v20n3p538.

PASQUIS, Richard et al. “Reforma agrária” na Amazônia: balanços e perspectivas. Cadernos de Ciência & Tecnologia, Brasília, DF, v. 22, n. 1, p. 83-96, 2005.

PENTEADO, Antonio Rocha. Belém: estudo de geografia urbana. Belém: Editora da UFPA, 1968.

PINHO, Carolina Moutinho. Análise das redes de localidade ribeirinhas amazônicas no tecido urbano estendido: uma contribuição metodológica. 2012. Tese (Doutorado em Sensoriamento Remoto) – Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, São José dos Campos, 2012.

PIZARRO, Ana Irene. Amazonía: imaginario y discurso. Lope de Aguirre. Revista da UFMG, Belo Horizonte, v. 27, n. 1, p. 182-203, 2020.

PONTES, Louise Barbalho; CARDOSO, Ana Cláudia Duarte. Open spaces: windows for ecological urbanism in the Eastern Amazon. Revista Brasileira de Gestão Urbana, v. 8, n. 1, p. 96-112, 2016. https://doi.org/10.1590/2175-3369.008.001.SE06

PRESTES-CARNEIRO, Gabriela et al. Subsistence fishery at Hatahara (750-1230 CE), a pre-Columbian central Amazonian village. Journal of Archaeological Science: Reports, Amsterdam, v. 8, p. 454-462, 2016. http://dx.doi.org/10.1016/j.jasrep.2015.10.033.

PRÜMERS, Heiko et al. Lidar reveals pre-Hispanic low-density urbanism in the Bolivian Amazon. Nature, London, v. 606, p. 325-328, 2022.

REIS, Ana Beatriz Oliveira; RODRIGUES, Yuri Santana (org.). A luta pelo direito à cidade na Amazônia: o processo de revisão do Plano Diretor de Santarém (PA). Santarém: FASE, 2019.

ROCHA, Gilberto de Miranda; SOARES, Daniel Araújo; MORAES, Sérgio Cardoso. Dinâmicas territoriais na zona costeira do Estado do Pará, Amazônia brasileira. Confins, [s. l.], n. 42, 2019. https://doi.org/10.4000/confins.24132

ROCHA, Gilberto de Mirana ; GONÇALVES, Sabrina Fortes e Silva. Considerações sobre a federalização e a gestão compartilhada do território na Amazônia Brasileira. Confins, [s. l.], 30, 2017. https://doi.org/10.4000/confins.11665.

RODRIGUES, Yuri. Relatório de pesquisa: alter do chão e PAE eixo forte. Projeto “Alternativas de desenvolvimento: cartografia social de territórios de populações tradicionais do Pará e Minas Gerais”. Belém: Editora da UFPA, [2020?]. No prelo.

ROMERO, Marta Adriana. Princípios bioclimáticos para o desenho urbano. São Paulo: Projeto, 2000.

ROSTAIN, Stéphen. Pre-Columbian earthwork in coastal Amazonia. Diversity, Basel, v. 2, n. 3, p. 331-352, 2010. https://doi.org/10.3390/d2030331

SANTARÉM. Lei nº 189, de 2018. Estabelece o Plano Diretor do Município de Santarém. Imprensa Oficial do Município de Santarém, Santarém, 2018.

SANTOS, Roberto. História econômica da Amazônia. Manaus: Valer, 2019.

SAQALLI, Mehdi et al. “Somos Amazonía”, una nueva identidad interindígena en la Amazonía ecuatoriana: ¿más allá de un jus aplidia tácito de origen ecológico? Perspectiva Geográfica, Bogotá, v. 25, n. 1, p. 12-34, 2020. https://doi.org/10.19053/01233769.8983

SOUZA, Jonas Gregorio de et al. Pre-Columbian earth-builders settled along the entire southern rim of the Amazon. Nature, London, v. 9, p. 1-10, 2018.

TERENA, Luiz Eloy; DUPRAT, Deborah. Artigo: o genocídio indígena atual. APIB, [s. l.], 18 mar. 2021. Disponível em: https://apiboficial.org/2021/03/18/artigo-o-genocidio-indigena-atual/. Acesso em: 1 ago. 2022.

TRECCANI, Girolamo Domenico. Terras de quilombo: caminhos e entraves do processo de titulação. Belém: SEJUR; Programa Raízes, 2006.

VENTURA NETO, Raul da Silva. A (trans)formação socioespacial da Amazônia: floresta, rentismo e periferia. 2017. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Econômico) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2017.

VICENTINI, Yara. Cidade e história na Amazônia. Curitiba: Editora UFPR, 2004.

VIEIRA, Patrícia. Utopian Amazons: a communitarian matriarchy in the jungle. Revista da UFMG, Belo Horizonte, v. 24, n. 1/2, p. 98-115, 2017.

WAGLEY, Charles. Uma comunidade amazônica: estudo do homem nos trópicos. Belo Horizonte: Itatiaia, 1957.

Downloads

Publicado

2023-05-18

Como Citar

CARDOSO, A. C. D. A trama dos povos da floresta: Amazônia para além do verde. Revista da UFMG, Belo Horizonte, v. 28, n. 3, p. 57–87, 2023. DOI: 10.35699/2316-770X.2021.46237. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistadaufmg/article/view/46237. Acesso em: 19 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos