INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA NA PROMOÇÃO E PREVENÇÃO DE DISTÚRBIOS DA COLUNA VERTEBRAL EM IDOSOS

UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

Autores

  • Jéssica Perez UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ
  • Andre Eduardo Falcoski Doliny UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ
  • Flávia Cristina Miranda UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ
  • Luiza Grassmann Dias UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ
  • Ana Carolina Brandt de Macedo UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ
  • Ariani Szkudlarek UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ
  • Rubneide Gallo UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ
  • Talita Gnoato Zotz UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ https://orcid.org/0000-0001-9974-7320

Palavras-chave:

Idoso, Atenção Primária a Saúde, Saúde Pública, Relato de experiência, Fisioterapia

Resumo

Este estudo tem como objetivo expor as vivência de alunos da Universidade Federal do Paraná, em sua disciplina de Habilidades Fisioterapêuticas, que montaram um grupo de promoção e prevenção a doenças de coluna vertebral em idosos. Foram realizados 13 encontros, com média de 3 horas cada, onde eram dadas palestras educacionais que abordavam sobre a prevenção de distúrbios musculoesqueléticos e da coluna vertebral, informações sobre alimentação, respiração, depressão, risco de quedas e a importância do exercício físico. Associadas aos temas eram planejadas atividades lúdicas que permitam um melhor aprofundamento e sedimentação do assunto abordado. Os participantes eram estimulados a interagirem com suas histórias e experiências. Observa-se que a implantação do grupo obteve resultados significantes para os alunos e idosos, que estabeleceram um vínculo diante dos encontros semanais. Além dos benefícios da atividade física implantada regularmente na vida dos idosos, o grupo proporcionou a interação social entre as diversas pessoas que o frequentavam. Foi visto, com as situações vivenciadas na disciplina, que existe uma necessidade de promover programas com foco em educação em saúde e proporcione à população um envelhecimento mais saudável e menos oneroso. Por fim, concluímos que a atuação do fisioterapeuta na saúde primária é de grande importância para a população idosa, minimizando possíveis acometimentos causados pela senescência e considera-se que o objetivo do grupo foi alcançado com crescimento do número de participantes a cada novo encontro e com os relatos de melhora dos participantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jéssica Perez, UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

Graduanda de Fisioterapia - UFPR Departamento de Prevenção e Reabilitação em Fisioterapia

Andre Eduardo Falcoski Doliny, UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

Bacharel em Fisioterapia - UFPR Departamento de Prevenção e Reabilitação em Fisioterapia

Flávia Cristina Miranda, UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

Graduanda de Fisioterapia - UFPR

Departamento de Prevenção e Reabilitação em Fisioterapia

Luiza Grassmann Dias, UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

Graduanda de Fisioterapia - UFPR

Departamento de Prevenção e Reabilitação em Fisioterapia

Ana Carolina Brandt de Macedo, UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

Professora Doutora de Fisioterapia - UFPR

Departamento de Prevenção e Reabilitação em Fisioterapia

Ariani Szkudlarek, UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

Professora Doutora de Fisioterapia - UFPR

Chefe do Departamento de Prevenção e Reabilitação em Fisioterapia

Rubneide Gallo, UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

Professora Doutora de Fisioterapia - UFPR

Departamento de Prevenção e Reabilitação em Fisioterapia

Talita Gnoato Zotz, UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

Professora Doutora de Fisioterapia - UFPR

Departamento de Prevenção e Reabilitação em Fisioterapia

Referências

Almeida, L. G. D., Leão, I. O., Oliveira, J. B., & Santos, M. M. O. (2006). Promover a vida: uma modalidade da fisioterapia no cuidado à saúde de idosos na família e na comunidade. Revista Saúde.Com, 2 (1), 50-58.

Castro, S S., Cipriano Junior, G., & Martinho, A. (2006, dez). Fisioterapia no progra-ma de saúde da família: uma revisão e discussões sobre a inclusão. Fisioterapia em Movimento, 19(4), 55-62.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Recuperado em 09 de julho, 2017, de <http://www.ibge.gov.br>.

Formiga N. F., & Ribeiro, K. S. (2012). Inserção do fisioterapeuta na atenção bási-ca: uma analogia entre experiências acadêmicas e a proposta dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF). Revista Brasileira de Ciências da Saúde, 16(2), 113-122.

Maziero, B. I., Da Cruz, C. D. G., Lima, E. G., Santiago, W., Szkudlarek, A. C., Zotz, T. G., GALLO, R. B. S., & MACEDO, A. C. B. (2018, jan/jun). Prevenção de distúrbios musculoesqueléticos em idosos: relato de experiência. Extensão em Foco, 18, 64-71.

Schenker, M., & Costa, D. H. D. (2019). Avanços e desafios da atenção à saúde da população idosa com doenças crônicas na Atenção Primária à Saúde. Ciência & Saúde Coletiva, 24, 1369-1380.

Sousa, H. J. S., FonteS, L. A. X., & Oliveira, P. C. D. C. R. (2019). Análise da abor-dagem fisioterapêutica nas alterações senescentes e senis do sistema muscu-loesquelético. Revista da FAESF, 3(2).

Teixeira, C. M., Nunes, F. M. S., Ribeiro, F. M. S., Arbinaga, F., & Vasconcelos-Rapo-so, J. (2016). Atividade física, autoestima e depressão em idosos. Cuadernos de psicología del deporte, 16(3), 55-66.

Publicado

2020-12-30

Edição

Seção

Artigos