EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA À DISTÂNCIA

A RELAÇÃO DO CONSUMO, CONSUMISMO E MEIO AMBIENTE NA EDUCAÇÃO BÁSICA

Autores

Palavras-chave:

Extensão Universitária, Formação de professores, Pandemia

Resumo

Neste artigo apresentamos o projeto de extensão universitária desenvolvido em parceria com a Secretaria Municipal de Educação de Uberaba -SEMED, e descrevemos as atividades desenvolvidas com alunos do ensino fundamental do munícipio e a divulgação científica à comunidade em geral. O objetivo do projeto foi promover um espaço de reflexão sobre a relação do consumo, consumismo e meio ambiente, bem como sobre a crise ambiental na contemporaneidade. Assim, no intuito de debater as problemáticas ambientais foi feito um levantamento teórico sobre os temas que iriam ser trabalhados; divulgação de conteúdos digitais; elaboração de planos de aulas e atividades para ensino não presencial utilizados nos encontros formativos virtuais com alunos da Educação Básica e o trabalho com os alunos, utilizando plataformas digitais. Com isto, consideramos contribuir com as discussões e debates sobre a extensão universitária a comunidade externa e a formação de professores desenvolvendo materiais de ensino visando a indissociabilidade entre Ensino, Pesquisa e Extensão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Borges de Andrade, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Professora Doutora

Referências

ABRELPE. (2019). Panorama dos resíduos sólidos no Brasil. http://abrelpe.org.br/download-panorama-2018-2019/

Brasil. (1988). Constituição Federal de 1988. Brasília.

Brasil. (1996). Lei no. 9.394, de 20 de dezembro de 1996 (Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional). 1–32. Brasília. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm

Brasil (1997). PCN - Parâmetros Curriculares Nacionais:meio ambiente, saúde. Brasília. http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro091.pdf

Brasil. (1998). PCN - Parâmetros Curriculares Nacionais 5a a 8a Séries: Temas Transversais - Trabalho e Consumo.Brasília, 337–406. http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=5473

Brasil. (2013a). Portaria n. 343, de 24 de abril de 2013. Brasília, 24–25.

Brasil. (2013b). Portaria n. 976, de 24 de abril de 2013. Brasília, 40–42.

Brasil (2018). Resolução CNE/CES no. 7, de 18 de dezembro de 2018. Estabelece as Diretrizes para a Extensão na Educação Superior Brasileira e regimenta o disposto na Meta 12.7 da Lei no 13.005/2014 que aprova o Plano Nacional de Educação –PNE –2014-2014 e dá outras prov, 1(2018). Brasília. https://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/55877808

Brasil (2001). Parecer CNE/CP n°9 (Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena). Brasília. http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/009.pdf

Brasil. (2002). Resolução CNE/CP 1, de 18 de fevereiro de 2002, 1. Brasília. http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CP012002.pdf

Brasil. (2015). Resolução no 2/2015, de 1° de 25 de junho de 2015 (Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Brasília. https://doi.org/10.21573/vol32n012016.65681

Brasil. (2018). Base Nacional Comum Curricular - BNCC. Brasília. http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf

Ferraz, A. P. do C. M., & Belhot, R. V. (2008). Evaluating a Case Study Using Bloom’s Taxonomyof Education. AORN Journal, 88(3), 421–431. https://doi.org/10.1016/j.aorn.2008.04.020

Freitas, N. T. A. (2018). Educação ambiental, consumo e resíduos sólidos no contexto da educação infantil: um diálogo necessário com os professores. 254. https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/154210/freitas_nta_dr_prud.pdf?sequence=3&isAllowed=y

Oliveira, V. M. de, & Cândido, G. A. (1995). Contemporaneidade do Consumo Sustentável e as suas Correlações com as Práticas Empresariais e o Comportamento do Consumidor. 1–20.

Pinto, A. O. (2013). Consumo e trabalho: impactos no meio ambiente do trabalho e na saúde do trabalhador. São Paulo: Universidade de São Paulo.

Prado, G., & Salvi, R. F. (2010). Globalização e Ensino: Um Estudo sobre o Sistema Educacional na Fase Atual do Capitalismo. In TORRES. Eloíza Cristina. et al (org.). Múltiplas Geografias – ensino-pesquisa reflexão (pp. 99–118). Midiograf.

Santos, M. (2003). Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Record.

Santos, W. L. P. (2007). Contextualização no ensino de ciências por meio de temas CTS em uma perspectiva crítica. Ciência & Ensino, 1, 1–12.

Shulman, L. S. (1986). Those Who Understand: Knowledge Growth in Teaching. Educational Researcher, 4–14.

Shulman, L. S. (1987). Knowledge and teaching: Foundations of the New Reform. Harvard Educational Review, 57(1), 1–21.

Zanirato, S. H., & Rotondaro, T. (2016). Consumo, um dos dilemas da sustentabilidade. Estudos Avançados, 30(88), 77–92. https://doi.org/10.1590/S0103-40142016.30880007

Downloads

Publicado

2023-12-30

Como Citar

FELICIANO, J. M. O.; ANDRADE, F. B. de. EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA À DISTÂNCIA: A RELAÇÃO DO CONSUMO, CONSUMISMO E MEIO AMBIENTE NA EDUCAÇÃO BÁSICA. Interfaces - Revista de Extensão da UFMG, [S. l.], 2023. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistainterfaces/article/view/37485. Acesso em: 24 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos