O CICLO PICTÓRICO DO TETO DA SACRISTIA DA IGREJA DO COLÉGIO DOS JESUÍTAS DA BAHIA.

Autores

  • Belinda Maria de Almeida Neves Universidade Federal da Bahia

Palavras-chave:

Barroco, Companhia de Jesus, Colégio da Bahia, Arte Colonial

Resumo

Resumo: A presente pesquisa aborda a iconografia e iconologia na sacristia da igreja dos jesuítas em Salvador, Bahia, séculos XVII e XVIII, período barroco. Nas pinturas do teto da sacristia estão retratados 21 painéis de jesuítas mártires e confessores da fé católica, pertencentes aos quatro continentes em que atuou a Societas Jesu. Com a análise e interpretação feita em camadas, observamos que estão presentes e em constante diálogo a religiosidade, fé, arte e ciência. Destacamos nesse aspecto a astronomia, matemática, humores e temperamentos, poesia, música, astrologia e alquimia, temas pertinentes e em consonância com o século XVII. No centro deste programa está o painel de S. Ignacio de Loyola, ladeado por outros quatro painéis dos jesuítas S. Francisco Xavier, S. Francisco de Borja, S. Stanislaw Kostka e S. Luis Gonzaga, e formam uma cruz grega. No conjunto estão quatro representações de Orfeu encantando os animais com alaúdes e violinos, juntamente com um significativo contingente zoomorfo de espécies do continente americano. Entre aves e mamíferos estão retratados 46 animais e o repertório abrange o tucano, a onça, o guará, o ganso-do-Orinoco, o cão-da-pradaria, a cegonha, a andorinha, o macaco, entre outros. O mito de Orfeu popularizou-se através da obra do poeta Ovídio (43 a.C-18 d.C.) intitulada Metamorfoses. No Livro X e XI da obra, Orfeu encanta as bestas e as transforma através de sua música. Analisamos a metáfora do encantamento e estabelecemos as possíveis relações entre o mito de Orfeu, Jesus Cristo, as missões jesuíticas, e a transformação do gentio colonial mediante a doutrina cristã e a educação.

Palavras-chave: Barroco. Igreja do Colégio da Bahia. Companhia de Jesus.

Abstract: The present research approaches the iconography and iconology in the sacristy of the Jesuit church in Salvador, Bahia, 17th and 18th centuries, baroque period. The paintings on the sacristy ceiling show 21 panels of Jesuit martyrs and confessors of the Catholic faith, belonging to the four continents where Societas Jesu operated. With the analysis and interpretation made in layers, we observe that religiosity, faith, art and science are present and in constant dialogue. In this aspect, we highlight astronomy, mathematics, moods and temperaments, poetry, music, astrology and alchemy, pertinent themes and in line with the 17th century. At the center of this program is the panel by S. Ignacio de Loyola, flanked by four other panels by the Jesuits S. Francisco Xavier, S. Francisco de Borja, S. Stanislaw Kostka and S. Luis Gonzaga, and form a Greek cross. In the set are four representations of Orpheus enchanting animals with lutes and violins, along with a significant zoomorphic contingent of species from the American continent. Among birds and mammals, 46 animals are portrayed and the repertoire includes the toucan, the jaguar, the guará, the Orinoco goose, the prairie dog, the stork, the swallow, the monkey, among others. The myth of Orpheus became popular through the work of the poet Ovid (43 BC-18 AD) entitled Metamorphoses. In Books X and XI of the work, Orpheus enchants the beasts and transforms them through his music. We analyzed the metaphor of enchantment and established the possible relationships between the myth of Orpheus, Jesus Christ, the Jesuit missions, and the transformation of the colonial gentile through Christian doctrine and education.

Keywords: Baroque. Church of the College of Bahia. Society of Jesus.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Belinda Maria de Almeida Neves, Universidade Federal da Bahia

Artista visual, arte educadora, arteterapeuta e pesquisadora. Possui graduação em Comunicação Social pela ESPM - Escola Superior de Propaganda e Marketing (1987, São Paulo). É especialista em Treinamento e Desenvolvimento pela Fundação Universidade Federal do Paraná (1989, Curitiba), especialista em Arte Educação: Cultura Brasileira e Linguagens Artísticas Contemporâneas pela Escola de Belas Artes, Universidade Federal da Bahia (2010, Salvador) e especialista em Arteterapia Junguiana pelo Instituto Junguiano da Bahia (2012, Salvador). É mestre em artes visuais - História e teoria da arte - pela Escola de Belas Artes da UFBA (2015) e doutoranda em artes visuais pela mesma instituição. Desenvolve pesquisas em arte contemporânea, história da arte e arte-educação. Elabora projetos educativos para museus e centros culturais, criando atividades educativas que dialoguem com os processos artísticos. Participa do grupo de pesquisa EBA/UFBA intitulado Historia das artes visuais brasileiras

Referências

Referências

BRESCIANI, Carlos. As pinturas da Catedral Basílica de Salvador, Bahia. Salvador: Colégio Antonio Vieira, 2006. 93 p. Il.

CALDERÓN, Valentin. A pintura jesuítica em Salvador-Bahia, Brasil. Braga: 1974, vol. XXVII, fax 64 (76), ano 1973. [Separata da Revista Bracara Augusta].

CYMBALISTA, Renato. Martírios de jesuítas e a construção de uma territorialidade cristã na América Portuguesa. ANPUR – Revista Brasileira de estudos urbanos e regionais, v. 10, n.3 (2008). Disponível em <http://www.anpur.org.br/revista/rbeur/index.php/shcu/article/view/1238>. Acesso em 17/08/2013.

______. Os mártires e a cristianização do território na América portuguesa, séculos XVI e XVII. An. mus. paul. [online]. 2010, vol.18, n.1, pp. 43-82. ISSN 0101-4714. Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_pdf&pid=S0101-47142010000100003>. Acesso 05/06/2013

LEITE, Serafim. História da Companhia de Jesus no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1938-1950; Lisboa: Portugalia. 10 v.

LIVRO DE JEREMIAS. In: Bíblia sagrada: edição pastoral. São Paulo: Paulus, 1990, p.1080.

LOYOLA, Ignacio de. Exercícios espirituais. São Paulo: Edições Loyola, 2000. 158p.

MASSIMI, Marina. A teoria dos temperamentos na literatura jesuítica, nos séculos XVI e XVII. Revista Atalaia/Intermundos – CICTSUL – no. 6-7, Universidade de Lisboa, 2000 – pp. 223-229.

NEVES, Belinda Maria de Almeida. O bestiário na igreja do Colégio da Companhia de Jesus em Salvador. Dissertação de mestrado. Salvador: EBA/UFBA, 2015a. 273f. Il.

______. A melodia de Orfeu: Arte, harmonia e religiosidade nas pinturas da igreja dos jesuítas em Salvador, Bahia. In: Anais do 3º. Congresso Brasileiro de Iconografia Musical: Iconografia, Música e Cultura: relações e trânsitos. Salvador: Ufba, 2015b. pp.217-247.

______. Catedral Basílica de Salvador. 1 Álbum (10 fotos) 10 x 15 cm. Color. 2012-2020.

OVIDIO. Metamorfoses. São Paulo: Madras, 2003. 335p.

PEREIRA, Sonia Gomes. Artistas e artífices da Catedral de Salvador, antiga igreja dos jesuítas na Bahia. In: MARTINS, Fausto Sanches (Coord.). Artistas e artífices e a sua mobilidade no mundo de expressão portuguesa. Porto: FLUP, 2005, pp. 483-493.

SOBRAL, Luís de Moura. Ut pictura poesis: José de Anchieta e as pinturas da Sacristia da Catedral de Salvador. In: Barroco 18. Belo Horizonte: Instituto Cultural Flavio Gutierrez, 2000, pp.209-246.

Downloads

Publicado

2022-06-18

Como Citar

Maria de Almeida Neves, B. (2022). O CICLO PICTÓRICO DO TETO DA SACRISTIA DA IGREJA DO COLÉGIO DOS JESUÍTAS DA BAHIA. Perspectiva Pictorum, 1(1), 132–143. Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistaperspectivapictorum/article/view/37447