CIÊNCIA, TRABALHO E A FUGA DE CÉREBROS DO BRASIL

Autores

  • Everton Henrique Eleutério Fargoni Universidade Federal de São Carlos

DOI:

https://doi.org/10.35699/2238-037X.2023.40156

Palavras-chave:

Ciência, fuga de cérebros, trabalho

Resumo

Este artigo tem por objetivo o entendimento do trabalho dos pesquisadores no Brasil sob as condições de mudanças no perfil do cientista exigidos pelo capital e refletir sobre o fenômeno da fuga de cérebros da nação. Os pesquisadores no compromisso com a ciência, enquanto se internacionalizam e desenvolvem seus trabalhos, vivem contradições na imersão com culturas que se entrecruzam. Esses intelectuais, no entanto, trabalham sob novas tendências globais criadas pela ciência mundializada, circunstância na qual podem levar-se ao extremo da exploração de suas capacidades técnicas e epistemológicas. Para reflexionar sobre esta conjuntura, discutimos o trabalho intelectual diante do capitalismo do século XXI e concluímos analisando como crises econômicas reverberam no campo científico e parecem estar contribuindo para o acentuamento do fenômeno da evasão de cientistas do Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALTBACH, P. G. Globalization and the university: Myths and realities in an unequal world, Tertiary Education & Management, 10:1, 3-25, 2004.

ALTBACH, P. G.; DE WIT, H. The Challenge to Higher Education Internationalisation. University World News, February, 2018.

ANTUNES, R.; ALVES, G. As mutações no mundo do trabalho na era da mundialização do capital. Educação e Sociedade, v. 25, n. 87, p. 335-351, 2004

ANTUNES, R. Os Sentidos do Trabalho: ensaio sobre a afirmação e negação do Trabalho. São Paulo: Boitempo, 2009.

BRANDENBURG, U.; DE WIT, H. The End of Internationalization. International Higher Education, 62, p.15–16, 2011.

BRAVERMAN, H. Trabalho e capital monopolista: a degradação do trabalho no século XX. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987.

BREINBAUER, A. Brain Drain – Brain Circulation or...What else happens or should happen to the Brains some Aspects of Qualified Person Mobility/Migration. FIW Working Paper, n. 4, jun. 2007.

BATISTA, P. N. A visão neoliberal dos problemas da América-Latina. USP: São Paulo, 1994.

BIANCHETTI, L. O processo de Bolonha e a globalização da educação superior: antecedentes, implementação e repercussões no que fazer dos trabalhadores da educação. Campinas: Mercado de Letras, 2015.

BRESSER-PEREIRA, L. C. A reforma do Estado dos anos 90: lógica e mecanismos de controle. Lua Nova: Revista de cultura e política, p. 49-95, 1998.

CAPES. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Relatório de Trabalho Internacionalização: Relatório e Recomendações. DAV. Brasília, novembro de 2019. Disponível em: <https://www.gov.br/capes/pt-br/centrais-de-conteudo/2020-01-03-relatorio-gtinternacionalizacao-pdf> Acesso em: 18 mai. 2022.

CASSEB-GALVÃO, V. C. Políticas de Promoção e Ensino da Língua Portuguesa ao Redor do Mundo. Campinas, SP: Pontes, 2015.

CASTELLS, M. A era da informação: economia, sociedade e cultura. V. 1. Trad. Roneide Venâncio Majer e Klauss Brandini Gerhardt. 5. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2001.

CHESNAIS, F. A mundialização do capital. São Paulo: Xamã, 1996.

FARGONI, E. H. E.; CATANI, A.; SILVA JR, J. R. La fuga de cerebros en Brasil bajo la política del bolsonarismo. Argumentos. Revista de crítica social, v. 24, p. 317, 2021.

FEENBERG, A. Tecnociência e a desreificação da natureza. Filosofia Unisinos, 21 (1), 2020.

GORZ, A. O imaterial: conhecimento, valor e capital. São Paulo: Annablume, 2005.

GRANGE, L. The role of (dis)trust in a (trans)national higher education development project. Higher Education, v. 46, n. 4, p. 491–505, 2003.

HAZELKORN, E. Rankings and the reshaping of higher education: The battle for world class excellence. Basingstoke: Palgrave Macmillan, 2011.

JENKINS, J. English as a lingua franca in the international university: The politics of academic English language policy. Routledge, 2013.

KNIGHT, J.; DE WIT, H. Internationalization of higher education: past and future. International Higher Education, n. 95, p. 2-4, 2018.

KNIGHT, J. Is Internationalisation of Higher Education Having an Identity Crisis? In: Maldonado Maldonado, A. & Bassett, R. M. (Eds.) The Forefront of International Higher Education: A Festschrift in Honor of Philip G. Altbach. Higher Education Dynamics: Springer Science + Business Media, 2014.

KNIGHT, J. The international university. Models and muddles. In: BARNETT, Ronald; PETERS, Michael A. (Eds). The idea of the university: contemporary perspectives. (Global Studies in Education). New York, Brussel: Peter Lang, 2018.

LACEY, H. Tecnociência comercialmente orientada ou investigação multiestratégica? Scientiae Studia. v. 12, n. 4, pp. 669-695, 2014.

LAZZARATO, M. Le cycle de la production immatériel. Futur Antérieur, [S.l.] n. 16, p. 111-120, 1993.

LEAL, F. G.; MORAES, M. C. B. Decolonialidade como epistemologia para o campo teórico da internacionalização da Educação Superior. Arquivos Analíticos de Políticas Educativas, 26(87), 2018.

MARGINSON, S. Higher education and the common good. Melbourne: Melbourne University Press, 2016.

MARX, K. O Capital: crítica da economia política. Tradução por Regis Barbosa e Flávio R. Kothe. São Paulo: Abril Cultural, Livro 1, v.1, t.1. 1985.

MARX, K. Manuscritos econômicos e Filosóficos. São Paulo: Boitempo, 2008.

MARX, K. Grundrisse: manuscritos econômicos de 1857-1858: esboços da crítica da economia política. São Paulo: Boitempo, 2011.

MORAES, M. C. M. O processo de Bolonha vis a vis a globalização de um modelo de Ensino Superior. Perspectiva, Florianópolis, v. 24, n. 1, p. 187-203, jan/jun. 2006.

NEVES, C. E. B.; BARBOSA, M. L. de O. Internationalization of higher education in Brazil: advances, obstacles, and challenges. Sociologias [online]. v. 22, n. 54 pp. 144-175, 2020.

PAVEL, A. P. Global university rankings - a comparative analysis. Elsevier, Procedia Economics and Finance 26, 54 – 63, 2015.

QUIJANO, A. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In.: LANDER, E. (org). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-mericanas. Edgardo Lander. colección Sur Sur, CLACSO, Ciudad autónoma de Buenos Aires, Argentina. Setembro, 2005.

SEVCENKO, N. O professor corretor. Folha de S. Paulo. 04 de junho de 2000. Disponível em <http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mais/fs0406200004.htm> Acesso em: 13 mai. 2022.

SGUISSARDI, V; SILVA JÚNIOR, J. R. Novas faces da educação superior no Brasil: Reforma do Estado e mudanças na produção. São Paulo: Cortez, 2001.

SHARPE, R. What is a World Class University? A literature review. Elementa Leadership, Articles and Provocations., 2014.

SJAASTAD, L. The cost and returns of human migration. Journal of Political Economy, v. 70, p. 80-93, 1992.

SLAUGHTER, S.; RHOADES, G. Academic capitalism and new economy – market, State and higher education. Baltimore: The John Hopkins University Press, 3rd. ed. 2011.

SLAUGHTER, S. CANTWELL, B. Transatlantic moves to the market: the United States and the European Union. Higher Education, v. 63, n. 5, p. 583–606, 2012.

SILVA, K. A.; TORRES, D. Português como língua (inter) nacional: faces e interfaces. Campinas, SP: Pontes Editores, 2013.

SILVA JR, J. R. The new Brazilian University: a busca por resultados comercializáveis: para quem? 1.ed. – Bauru: Canal 6, 2017.

SILVA JR., J. R.; KATO, F. B. G. A Política de Internacionalização da Pós-graduação stricto sensu brasileira: breves considerações sobre a atual política da CAPES. In: Valdivina Alves Ferreira. (Org.). Políticas e Avaliação da pós-graduação Stricto Sensu: da inserção social local à internacionalização. 1ed.Brasília: Universidade Católica de Brasília, v. 1, p. 17-36, 2018.

SILVA JR, J. R.; FARGONI, E. H. E. Mundialização da educação superior: notas sobre economia, produção de conhecimento e impactos na sociedade civil. Trabalho & Educação, [S. l.], v. 28, n. 3, p. 35–49, 2019.

SILVA JR, J. R; FARGONI, E. H. E. Tecnociência, industrialização e pesquisa na financeirização radical do capitalismo e da educação superior. Revista Inter Ação, Goiânia, v. 45, n. 3, p. 569–581, 2020.

SILVA JR, J. R; FARGONI, E. H. E. Notas sobre o colapso da ciência no Brasil. EccoS – Rev. Cient., São Paulo, n. 58, p. 1-18, jul./set. 2021

STEIN, S. Critical internationalization studies at an impasse: making space for complexity, uncertainty, and complicity in a time of global challenges. Studies in Higher Education, 2019.

VAVRUS, F.; PEKOL, A. Critical Internationalization: Moving from Theory to Practice. FIRE: Forum for International Research in Education, 2(2), 2015.

Downloads

Publicado

2023-10-19

Como Citar

FARGONI, E. H. E. CIÊNCIA, TRABALHO E A FUGA DE CÉREBROS DO BRASIL. Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v. 32, n. 2, p. 101–115, 2023. DOI: 10.35699/2238-037X.2023.40156. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/40156. Acesso em: 22 jun. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)