MUNDIALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

NOTAS SOBRE ECONOMIA, PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO E IMPACTOS NA SOCIEDADE CIVIL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17648/2238-037X-trabedu-v28n3-15366

Palavras-chave:

Educação Superior, Produção de Conhecimento, Mundialização do Trabalho

Resumo

O presente artigo tem como base parte de uma ampla pesquisa realizada entre os anos de 2016 e 2019 sobre políticas de financiamento de pesquisas, produção de conhecimento e o trabalho do pesquisador no contexto da mundialização da educação superior. A investigação teve por objetivo verificar os novos paradigmas do trabalho do pesquisador diante do avançado cenário de comercialização do conhecimento produzido no âmbito global acadêmico. Neste contexto, o objeto de estudo desdobrou-se em diversos casos situacionais, sendo um deles a potência indutora de pesquisas e do trabalho científico por meio de grandes corporações mundiais enquanto questões cruciais para o desenvolvimento humano aparecem em segundo plano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João dos Reis Silva Júnior, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

Possui graduação na Escola de Engenharia de São Carlos pela Universidade de São Paulo (1982), mestrado em Administração pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1988) e doutorado em História e Filosofia da Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1992). Pós-Doutorado em Sociologia Política pela Unicamp (1999-2000), Pós-doutorado em Economia na USP e University of London, Livre-Docente em Educação pela USP, Professor Titular da Universidade Federal de São Carlos, coordenador adjunto do projeto de pesquisa da Rede Universitas/Br "Políticas, gestão e direito à educação superior: novos modos de regulação e tendências em construção", pesquisador convidado - Mercer University (GA-US) e Professor Visitante na condição de Full Professor na Arizona State University (2014-2015), onde mantém pesquisa em andamento com Daniel Schugurenscky. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em educação e trabalho, reforma do estado, educação superior brasileira, politica educacional e internacionalização da educação superior brasileira no contexto das relações entre Brasil e Estados Unidos da América. Atualmente é membro do Comitê assessoramento de Educação do CNPq (CA-ED).

Everton Henrique Eleutério Fargoni, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

Mestrado em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Graduado em Pedagogia pela UFSCar. Atualmente integra o Grupo de Estudos e Pesquisa de Economia Política da Educação e Formação Humana (GEPEFH) e é membro do eixo de pesquisa Produção do Conhecimento da Rede Universitas/BR.

Referências

BRASIL, LEI Nº 13.243. Dispõe sobre estímulos ao desenvolvimento científico, à pesquisa, à capacitação científica e tecnológica e à inovação. 11 de janeiro de 2016. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2016/Lei/L13243.htm. Acesso em: 13 ago. 2019.

CHAUI, Marilena. A universidade em ruínas. In: TRINDADE, H. (Org.). Universidade em ruínas na república dos professores. Petrópolis: Vozes; Porto Alegre: CIPEDES, 1999, p. 211-222.

DOWBOR, Ladislau. A era do capital improdutivo: Por que oito famílias têm mais riqueza do que a metade da população no mundo? São Paulo, Autonomia Literária, 2017.

GARCIA, Adir Valdemar; HILLESHEIM, Jaime. Pobreza e desigualdades educacionais: uma análise com base nos Planos Nacionais de Educação e nos Planos Plurianuais Federais. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, Edição Especial n. 2, p. 131-147, set. 2017.

HAZELKORN, Ellen. “World Class Excellence”: Rankings and Emerging Societies. In Higher Education in the Global Age: Universities, Interconnections and Emerging Societies, Routledge Studies in Emerging Societies series, 2012.

KING, Gary. PERSILY, Nate. A New Model for Industry-Academic Partnerships. Havard University, Paper Havard.edu. 2019.

LEHER, Roberto. Análise preliminar do “FUTURE-SE” indica a refuncionalização das Universidades e Institutos Federais. In: Dôssie sobre o Programa FUTURE-SE do Governo/MEC e as implicações para a universidade e a sociedade. Grupo de Pesquisa Trabalho, Precarização e Resistências Centro de Estudos e Pesquisas em Humanidades/CRH-UFBa, 2019, 187-197.

MARCUS, Alfred A. Innovation in Sustainability: Fuel and Food. University Printing House, University of Cambridge, 2015.

MARGINSON, Simon. Emerging countries need world-class universities.” World University News, March 25. Retrieved April 5, 2012.

MARX, Karl. Grundrisse: manuscritos de 1857-1858. Trad. Mario Duayer e Nélio Schneider. São Paulo: Boitempo, 1987.

SILVA JÚNIOR, João dos Reis.The new Brazilian University: a busca por resultados comercializáveis: para quem? 1.ed. – Bauru: Canal 6, 2017.

SLAUGHTER, Sheila; RHOADES, Gary. Academic capitalism and the new economy: market, State and Higher Education. Baltimore, MD: Johns Hopkins University Press, 2009.

STREECK, Wolfgang. The Crisis in Context Democratic Capitalism and Its Contradictions. Max Planck Institute for the Study of Societies, Cologne. 2011.

Downloads

Publicado

2019-12-11

Como Citar

SILVA JÚNIOR, J. dos R.; FARGONI, E. H. E. MUNDIALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR : NOTAS SOBRE ECONOMIA, PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO E IMPACTOS NA SOCIEDADE CIVIL. Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v. 28, n. 3, p. 35–49, 2019. DOI: 10.17648/2238-037X-trabedu-v28n3-15366. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/15366. Acesso em: 19 jan. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS