O TRABALHO INFANTO-JUVENIL NA AGRICULTURA NO MUNICÍPIO DE TOCANTINÓPOLIS / Children's work in agriculture in the city of Tocantinópolis

Autores

  • Ana Cristina Serafim da Silva UFT
  • Joelma Sirqueira Pereira UFT

Palavras-chave:

Trabalho infanto-juvenil, Agricultura, Crianças e adolescentes

Resumo

O objetivo deste artigo é identificar as características do trabalho infanto-juvenil na agricultura no município de Tocantinópolis, de modo a traçar o perfil socioeconômico destas crianças e adolescentes e de suas famílias, a sua situação de trabalho e como vivem. A amostra foi de 12 sujeitos de ambos os sexos. As respostas foram categorizadas e os dados foram tratados através do software SPSS e da estatística descritiva. A partir do estudo, constata-se que o trabalho infanto-juvenil na agricultura se configura como uma ajuda à família para sobrevivência, as crianças ajudam os pais nas atividades da lavoura, e é uma atividade que gera um sofrimento, visto que as crianças e adolescentes deixam atividades de lazer e até os estudos para poderem trabalhar. As atividades que desenvolvem os expõe a riscos físicos, como exposição ao sol e altas temperaturas; a riscos químicos, como poeira e poluição; a riscos ergonômicos, com posições inadequadas e carregamento de peso, entre outros; e a riscos psicológicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Cristina Serafim da Silva, UFT

Doutoranda em Psicologia Social, Mestrado em Psicologia Social e Graduação em Psicologia, todos pela UFPB. Professora da UFT e Coordenadora do Grupo de Pesquisa e Estudo sobre Infância e Adolescência.

Joelma Sirqueira Pereira, UFT

Graduanda em Pedagogia pela UFT-Campus Tocantinópolis.

Downloads

Publicado

2014-02-09

Como Citar

SILVA, A. C. S. da; PEREIRA, J. S. O TRABALHO INFANTO-JUVENIL NA AGRICULTURA NO MUNICÍPIO DE TOCANTINÓPOLIS / Children’s work in agriculture in the city of Tocantinópolis. Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v. 22, n. 3, p. 55–69, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/9068. Acesso em: 17 out. 2021.