CRISE CAPITALISTA, PRODUÇÃO DE EXCEDENTE E FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Autores

  • Mauro Augusto Burkert Del Pino UFPel

Palavras-chave:

Educação profissional, Crise capitalista, Políticas de formação

Resumo

Este artigo tem por objetivo identificar os elementos que possibilitam a construção teórico-explicativa da reforma da educação profissional, a partir de uma análise crítica da crise capitalista; Mostra que a geração de um excedente característico - a mercadoria mão de obra -, produz importantes conseqüências sociais, vinculadas ao processo de resstruturação produtiva. O texto estabelece nexos entre as modificações nos postos de trabalho e as políticas de formação profissional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mauro Augusto Burkert Del Pino, UFPel

É Doutor em Educação pela UFRGS (2000) e Mestre em Educação pela UFRGS (1994). Possui Graduação em Licenciatura Plena em Disciplinas Especializadas de 2º Grau pela UFPel (1984), Graduação em Engenharia Civil pela UCPel (1983) e Pós-Graduação em nível de Especialização em Ensino pela UFPel (1989). Atua principalmente nas seguintes áreas: educação e trabalho, formação profissional, política educacional e gestão educacional. Entre suas publicações destaca-se o livro “Educação, trabalho e novas tecnologias”, pela Editora UFPel. Foi Secretário Municipal de Educação de Pelotas-RS (2001-2004).

Downloads

Como Citar

DEL PINO, M. A. B. CRISE CAPITALISTA, PRODUÇÃO DE EXCEDENTE E FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v. 5, p. 144–161, 2013. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/9153. Acesso em: 22 maio. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS