A CENTRALIDADE FORMATIVA DO TRABALHO FRENTE AS ALTERAÇÕES NA PEDAGOGIA DO CAPITAL

Autores

  • Paulo Henrique de Queiroz Nogueira FaE/UFMG

Palavras-chave:

Trabalho, Formação humana, Pedagogia do capital

Resumo

Nossa hipótese, quando da elaboração desta dissertação, foi a de que era necessário investigar, conceituai mente, uma literatura mais recente que, ao abordar as mudanças ocorridas no mundo do trabalho, postulasse a dissolução de qualquer vínculo formativo centrado na atividade laborativa: Kurz, De Masi, Grupo Krisis, Gorz, Shaff e Habermas. Partimos da conceituação da pedagogia do capital e, conforme a tematização marxiana, enveredamos pela análise teórica da temática do trabalho e a sua caracterização como aparte central da formação do humano. Marx nos serviu como horizonte reflexivo da condição do trabalho no capitalismo e do teor da qualificação em jogo, quando da organização dos processos produtivos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

NOGUEIRA, P. H. de Q. A CENTRALIDADE FORMATIVA DO TRABALHO FRENTE AS ALTERAÇÕES NA PEDAGOGIA DO CAPITAL. Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v. 8, p. 204–205, 2013. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/9193. Acesso em: 16 maio. 2022.

Edição

Seção

RESUMOS