PRESERVAÇÃO DOS SABERES TRADICIONAIS DO ALFAIATE / Preservation of traditional knowledge of the tailor

Autores

  • Juliana Barbosa UFMG

Palavras-chave:

A Alfaiataria é um segmento do vestir que está para o universo masculino assim como a Alta Costura está para o universo feminino. Seu modelo de aprendizagem se perpetuou através dos séculos até os nossos dias por meio da relação mestre/aprendiz. P

Resumo

A Alfaiataria é um segmento do vestir que está para o universo masculino assim como a Alta Costura está para o universo feminino. Seu modelo de aprendizagem se perpetuou através dos séculos até os nossos dias por meio da relação mestre/aprendiz. Porém, por implicações trabalhistas e mudanças no ensino profissional, o aprendiz já não está mais presente nas oficinas de alfaiates, o que faz com que hoje nos deparemos com a última geração de alfaiates formada de maneira tradicional. A falta de aprendizes, os avanços da área têxtil e de produção do prêt-à-porter forçaram os alfaiates a procurar alternativas para manterem-se competitivos no mercado. Técnicas foram retiradas ou substituídas comprometendo significativamente o trabalho final do artesão. Técnicas como as de corte e acabamento são a essência da alfaiataria, e o que a distingue da roupa feita em escala industrial. Há, portanto, uma necessidade de preservar estas técnicas com o intuito de garantir a salvaguarda de um ofício secular e que ainda encontra espaço no mundo contemporâneo. A partir deste problema, o objetivo desta pesquisa é o de analisar os saberes tradicionais utilizados pelos alfaiates de forma a garantir a sua salvaguarda na perspectiva de contribuir com ações inovadoras de formação profissional e com o desenvolvimento local. A Ergologia está na base do referencial teórico, abordando os conceitos de atividade, saberes investidos, saberes constituídos; ergonomia: AET - Análise Ergonômica do Trabalho. A metodologia empregada foi a qualitativa, tipo exploratório-descritiva...

___

The Tailoring is a segment of dressing that is for the male universe as haute couture is for the female universe. Its learning model was perpetuated through the centuries to the present day through the relationship between master and apprentice. But by labor implications and changes in vocational education, apprentice is no longer present in the ateliers of tailors, that makes today encounter with the latest generation of tailors formed in the traditional way. The lack of apprentices, advances in textiles and production of ready-to-wear forced tailors to look for alternatives to remain competitive in the market. Techniques have been removed or replaced compromising significantly the final work of the craftsman. Techniques such as shaping and finishing are the essence of tailoring, and what distinguishes it from the clothes made on an industrial scale. There is therefore a need to preserve these techniques in order to ensure the protection of a secular office and still finds room in the contemporary world. From this problem, the purpose of this research is to analyze the traditional knowledge used by tailors to ensure their protection in order to contribute to innovative actions of vocational training and local development. The Ergology underpins the theoretical framework, addressing the concepts of activity, knowledge invested, knowledge constituted, ergonomics: EWA - Ergonomic Work Analysis. The methodology used was qualitative, exploratory and descriptive... 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Barbosa, UFMG

Professora do Curso de Design de Moda, Departamento de Desenho da Escola de Belas Artes - UFMG.

Professora do Curso Moda do Instituto de Comunicação e Artes do Centro Universitário UNA.

Downloads

Publicado

2016-03-03

Como Citar

BARBOSA, J. PRESERVAÇÃO DOS SABERES TRADICIONAIS DO ALFAIATE / Preservation of traditional knowledge of the tailor. Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v. 24, n. 2, p. 317–318, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/9445. Acesso em: 17 out. 2021.

Edição

Seção

RESUMOS