A AUTOCRÍTICA DE LUKÁCS A SUAS OBRAS JUVENIS: O FATOR SUBJETIVO E O PROCESSO REVOLUCIONÁRIO / Lukács's self-criticism of his youthful works: The subjective factor and the revolutionary process

Palavras-chave: Young Lukacs, History and Class Consciousness, Subjectivity and revolution, Jovem Lukács, História e Consciência de Classe, Subjetividade e revolução

Resumo

A theme still untreated in a proper manner is the self-criticism carried out by the Hungarian philosopher György Lukács to his book History and Class Consciousness. By criticizing his most influential work, Lukacs locates in his mistakes of the past the same erratic traits that prevail in the philosophical thought of his time, making the critique of his youthful thought the mainstay for the refutation of the deviations of Marxism itself and of the so-called contemporary critical theories. The article seeks to bring to light important elements of Lukács' late considerations on the problem of the relation between the subjective role in revolutionary processes.

___

Tema ainda não tratado de maneira devida é a autocrítica realizada pelo filósofo húngaro GyörgyLukács ao seu livro História e Consciência de Classe. Ao criticar sua obra mais influente, Lukács localiza em seus erros do passado os mesmos traços erráticos que vigoram no pensamento filosófico de seu tempo, tornando a crítica de seu pensamento juvenil o esteio para a refutação dos desvios do próprio marxismo e das chamadas teorias críticas contemporâneas. O artigo procura trazer à tona elementos importantes das considerações tardias de Lukács acerca do problema da relação entre o papel subjetivo nos processos revolucionários.

Biografia do Autor

Ronaldo Vielmi Fortes, Faculdade de Serviço Social - Universidade Federal de Juiz de Fora
Professor Adjunto da Universidade Federal de Juiz de Fora, Faculdade de Serviço Social. Graduado em Bacharelado e Psicologia pela Fundação Mineira de Educação e Cultura (1992). Pela Universidade Federal de Minas Gerais concluiu o mestrado em filosofia no ano de 2002. Também pela UFMG concluiu o doutorado na área de filosofia em 2011. Realizou pesquisa de pós-doutorado pela UBA - Universidad de Buenos Aires/Faculdad de Filosofia y Letras sobre a ontologia no pensamento de György Lukács e Nicolai Hartmann. Em 2014 realizou pós-doutorado na Universidade Federal de Juiz de Fora, junto à Faculdade de Serviço Social, cujo tema versou sobre a politicidade na obra tardia de György Lukács. Desenvolve pesquisas na área do marxismo, ontologia no século XX, com ênfase na investigação das obras de Karl Marx, György Lukács e Nicolai Hartmann. Áreas de Interesse: Ontologia, Marxismo, Lukács, Marx, Realismo Crítico e Filosofia Social e Política. Co-coordenador da "Biblioteca Lukács" coleção editada pela Boitempo Editorial.
Publicado
2019-02-20
Como Citar
FORTES, R. A AUTOCRÍTICA DE LUKÁCS A SUAS OBRAS JUVENIS: O FATOR SUBJETIVO E O PROCESSO REVOLUCIONÁRIO / Lukács’s self-criticism of his youthful works: The subjective factor and the revolutionary process. Trabalho & Educação - ISSN 1516-9537, v. 28, n. 1, p. 29-41, 20 fev. 2019.