Vestígios do cotidiano: remédios e coleções arqueológicas

  • Diego Antonio Gheno Graduado em História pela Univates. Pesquisador do Setor de Arqueologia, Univates
  • Paula Dresch dos Santos Graduanda em História e Bolsista de Iniciação Científica no Setor de Arqueologia, Univates
  • Neli Teresinha Galarce Machado Programa de Pós-Graduação em Ambiente e Desenvolvimento da Univates
Palavras-chave: Arqueologia Histórica, remédios, casas comerciais

Resumo

O objetivo desse estudo centra-se em analisar a cultura material coletada em uma antiga Casa Comercial de Arnaldo Fensterseifer, localizada no interior do Rio Grande do Sul. Os esforços foram concentrados na interpretação dos recipientes de vidro, por representarem 91,30% do total de materiais arqueológicos. As análises caracterizam a cultura material coletada por meio das marcas deixadas nos recipientes pelos métodos de confecção, da cor dos vidros, da comparação com anúncios de revistas, bibliografias especializadas, sites de laboratórios, bulas de medicamentos e das informações presentes nos rótulos dos vidros em estudo.
Procurou-se tratar aspectos relacionados às práticas de saúde na região e das continuidades na fabricação, comercialização e uso de alguns medicamentos da coleção analisada.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-12-31
Como Citar
Gheno, D. A., dos Santos, P. D., & Machado, N. T. G. (2016). Vestígios do cotidiano: remédios e coleções arqueológicas. Vestígios - Revista Latino-Americana De Arqueologia Histórica, 10(2), 132-156. https://doi.org/10.31239/vtg.v10i2.10560
Seção
Artigos