Entre pensamento, arte e etnografia: O gume crítico da revista Documents / Through thought, art and ethnography: The critical edge of Documents magazine

  • Marília Rothier Cardoso Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Palavras-chave: etnografia, crítica literária, Bataille, Documents, escritas ameríndias e afrodescendentes, ethnography, literary criticism, Amerindian and Afro descendant writings

Resumo

Resumo: A publicação, em português, nos meados de 2018, do volume Documents, reunião dos ensaios e dos verbetes de um “dicionário crítico” redigidos por Georges Bataille, secretário geral da revista do mesmo título (1929-1931), traz subsídios importantes para a crítica brasileira. Os textos foram traduzidos criteriosamente por professores-pesquisadores especializados, garantindo o destaque das relações estreitas entre belas artes, arqueologia e etnografia – aspecto caracterizador do periódico francês. Como pensador especialmente arguto, anticonvencional e inventivo, Bataille pode abrir novas perspectivas epistemológicas e estéticas para a avaliação de escritas provenientes de culturas híbridas ou mesmo predominantemente não ocidentais, hoje circulantes ao lado dos cânones filosóficos e literários. Neste artigo, comentam-se aspectos do material, agora acessível, experimentando o contraponto das questões nele levantadas há cerca de noventa anos, com registros e reelaborações literárias de mitologia, postos em circulação a partir de espaços periféricos, trazendo a dicção e/ou a assinatura de ameríndios e afrodescendentes.

Palavras-chave: etnografia; crítica literária; Bataille; Documents; escritas ameríndias e afrodescendentes.

Abstract: The mid-2018 publication, in Portuguese, of the volume Documents – a collection of the essays and entries in a “critical dictionary” written by Georges Bataille, editor of the homonymous magazine (1929-1931) –, provides important tools for Brazilian criticism. The texts were carefully translated by specialized professor-researchers, highlighting the close relationship between fine arts, archeology and ethnography – characteristics of the French periodical. As a particularly witty, unconventional and inventive thinker, Bataille may open new epistemological and aesthetic perspectives for the evaluation of writings from hybrid or even predominantly non-Western cultures, now current alongside the philosophical and literary canons. This article discusses aspects of the now accessible material, exploring the counterpoint of questions raised about ninety years ago, with records and literary reworkings of mythology, put into circulation from peripheral spaces, featuring the diction and/or the signature of Amerindians and Afro descendants.

Keywords: ethnography; literary criticism; Bataille; Documents; Amerindian and Afro descendant writings.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marília Rothier Cardoso, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), Rio de Janeiro, Rio de Janeiro

Graduada em Letras pela UFMG. Mestre e Doutora em Letras pela PUC-Rio. Professora de Literatura na PUC-Rio e professora aposentada da UERJ.

Publicado
2019-09-30
Seção
Dossiê – Teoria e Crítica Literária no Tempo Presente