Cartografia editorial da produção não-ficcional afro-brasileira

livros individuais (1906-2019)

Autores

  • Luiz Henrique Silva de Oliveira Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG), Belo Horizonte, Minas Gerais / Brasil

Palavras-chave:

cartografia editorial, edição afro-brasileira , não ficção , produção editorial

Resumo

Este estudo propõe um mapeamento da produção de livros individuais não ficcionais de autores afro-brasileiros. Consideramos apenas a produção não ficcional de autores afro-brasileiros que também escreveram ficção. Foram tomadas como parâmetro as primeiras edições dos livros. As fontes de coleta de dados foram: o Portal Literafro; materiais de referência; currículos dos autores; e banco próprio de dados. As seguintes perguntas pautam as reflexões aqui propostas: quais são os autores afro-brasileiros de ficção que também atuaram no campo da não ficção? Que títulos escreveram os autores de ficção no terreno da não ficção? Por que meio ou casa editorial publicaram? Em que local? Que assuntos perpassam esta produção? Pretende-se, portanto, apresentar uma amostra numérica da produção aqui delineada a fim de tecer uma breve e jamais estanque cartografia da produção não ficcional afro-brasileira e tentar explicar razões para a configuração de tal cartografia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Henrique Silva de Oliveira, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG), Belo Horizonte, Minas Gerais / Brasil

Luiz Henrique Silva de Oliveira é doutor em Teoria da Literatura e Literatura Comparada pela UFMG (2013), onde também concluiu Pós-Doutorado em Estudos Literários. Na mesma instituição, realizou o mestrado (2007) em Teoria da Literatura e a Graduação em Letras, Língua Portuguesa (2004). Atualmente, é Professor do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagens, da Graduação em Letras (Tecnologias de Edição) e do Ensino Médio do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG). Coordenador do Grupo Interdisciplinar de Estudos do Campo Editorial (GIECE). Autor de Poéticas negras (2010) e Negrismo (2014). Tem atuado principalmente nos seguintes temas: negrismo; literatura brasileira; edição, história e memória cultural.

Referências

BARROS, Ricardo Paes de; FOGUEL, Miguel Nathan; ULYSSES, Gabriel. Desigualdade de renda no Brasil: uma análise da queda recente. Brasília: IPEA, 2006.

BRASIL. Lei Federal 10.639/03, de 09 de janeiro de 2003. Brasília-DF. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2003/lei-10639-9-janeiro-2003-493157-publicacaooriginal-1-pl.html. Acesso em: 25 mar. 2021.

BOURDIEU, Pierre. Os usos sociais da ciência: por uma sociologia clínica do campo científico. São Paulo: UNESP, 2004.

CALABRE, Lia. Políticas culturais no Brasil: dos anos 1930 ao século XXI. São Paulo: Editora FGV, 2009.

CÂMARA DOS DEPUTADOS. Informativo técnico nº 6/2019-CONOF/CD Ministério da Educação: despesas primárias pagas 2014-2018 e impacto da EC Nº 95/2016 (teto de gastos). Brasília: Câmara dos Deputados, fev. 2019. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/orcamento-da-uniao/estudos/2019/inf_6-2019-ministerio-educacao-despesas-primarias-pagas. Acesso em: 25 ago. 2020.

CAMARGO, Oswaldo de. O negro escrito: apontamentos sobre a presença do negro na literatura brasileira. São Paulo: Secretaria de Estado da Cultura/IMESP, 1987.

CARVALHO, José Jorge. O confinamento racial do mundo acadêmico brasileiro. Revista USP, São Paulo, n. 68, p. 88-103, dez./fev. 2005-2006. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i68p88-103.

CASSIANO, Célia Cristina de Figueiredo. O mercado do livro didático no Brasil: da criação do Programa Nacional do Livro Didático no Brasil (PNLD) à entrada do capital internacional espanhol (1985-2007). Orientador: Kazumi Munakata. 2007. 252 f. Tese (Doutorado em História da Educação) – Faculdade de Educação, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2007.

CAZETTA, Felipe. Pátria-nova e integralismo lusitano: propostas autoritárias em contato por meio de revistas luso-brasileiras. Tempo, Niterói, v. 24, n. 1, p. 41-54, jan. 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/tem-1980-542x2018v240103.

CICLO Contínuo Editorial: um pouco sobre nós... [São Paulo]: Ciclo Contínuo Editorial, [2021]. Disponível em: http://ciclocontinuoeditorial.com. Acesso em: 22 fev. 2021

CUTI, Luiz Silva. Literatura negro-brasileira. São Paulo: Selo Negro, 2010.

DALCASTAGNÈ, Regina. A personagem do romance brasileiro contemporâneo: 1990-2004. Estudos de literatura brasileira contemporânea. Brasília, v. 1, n. 26, p. 13-71, 2011.

DOMINGUES, Petrônio. Movimento negro brasileiro: alguns apontamentos históricos. Tempo, Niterói, v. 12, n. 23, p. 100-122, 2007. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-77042007000200007.

FERNANDES, Florestan. A integração do negro na sociedade de classes. São Paulo: Dominus/Editora da Universidade de São Paulo, 1965.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP). Indicadores Financeiros Educacionais. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/indicadores-financeiros-educacionais. Acesso em: 26 ago. 2018.

LÓPEZ WINNE, Hernán; MALUMIÁN, Víctor. Independientes, ¿de qué?: hablan los editores de América Latina. México: FCE, 2016.

MAZZA Edições e Penninha edições: pioneirismo e resistência. Belo Horizonte: Mazza Edições, [2021]. Disponível em: https://www.mazzaedicoes.com.br/editora/. Acesso em: 22 fev. 2021.

MEDEIROS, Nuno. Notas sobre o mundo social do livro: a construção do editor e da edição, Revista Angolana de Sociologia, Luanda/Mangualde, n. 9, jun. 2012. p. 33-48. DOI: https://doi.org/10.4000/ras.412. Disponível em: https://journals.openedition.org/ras/412. Acesso em:27 ago. 2018.

MOURA, Clóvis; FERRARA, Miriam Nicolau. Imprensa Negra. São Paulo: IMESP, 1984.

MUNIZ JR., José de Souza. O mercado profissional e a formação em edição. In: OLIVEIRA, Luiz Henrique Silva de; MOREIRA, Wagner (Org.). Edição & crítica. Belo Horizonte: CEFET-MG, 2018. p. 37-63.

NASCIMENTO, Abdias do. Teatro experimental do negro: trajetória e reflexões. Estudos Avançados, São Paulo, v. 18, n. 50, jan./abr. 2004.

p. 209-224.

OLIVEIRA, Eduardo de. Quem é quem na negritude brasileira. São Paulo: Congresso Nacional Afro-brasileiro, 1998.

OLIVEIRA, Luiz Henrique Silva de. Os quilombos editoriais como iniciativas independentes. Aletria, Belo Horizonte, v. 28, n. 4, p. 155-170, 2018. DOI: https://doi.org/10.17851/2317-2096.28.4.155-170

OLIVEIRA, Luiz Henrique Silva de; RODRIGUES, Fabiane Cristine. Panorama editorial da literatura afro-brasileira através dos gêneros romance e conto. Em Tese, Belo Horizonte, v. 22, p. 90-107, 2017. DOI: https://doi.org/10.17851/1982-0739.22.3.90-107.

PINTO, Ana Flávia Magalhães. Imprensa negra no Brasil do século XIX. São Paulo: Selo Negro, 2010.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização. 24. ed. Rio de Janeiro: Record, 2015. DOI: https://doi.org/10.4322/tp.24205.

Sindicato Nacional dos Editores de Livros. Produção e vendas do setor editorial brasileiro: ano base 2018. Disponível em: https://snel.org.br/wp/wp-content/uploads/2019/04/Apresentacao_pesquisa_ano_base_2018_imprensa.pdf. Acesso em 25 ago. 2020.

Downloads

Publicado

2021-03-31

Como Citar

Oliveira, L. H. S. de. (2021). Cartografia editorial da produção não-ficcional afro-brasileira: livros individuais (1906-2019). Aletria: Revista De Estudos De Literatura, 31(1), 195–222. Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/aletria/article/view/25007

Edição

Seção

Dossiê: Estudos Editoriais