Como fazer um Livro do Desassossego

Autores

Palavras-chave:

Fernando Pessoa, Bernardo Soares, Livro do Desassossego, Livro, Edição, Organização

Resumo

O Livro do Desassossego, obra que Fernando Pessoa não terminou nem organizou, deixa a quaisquer editores uma série de dilemas que decorrem de sua própria natureza fragmentária e irregular: é uma obra assinada por diferentes heterônimos, composta em diferentes momentos e enfim deixada de lado pelo autor. O presente artigo procura comparar e analisar diferentes edições do Livro do Desassossego, desde as mais antigas e tradicionais até as mais modernas e experimentais. Para tanto, procura entender o Livro do Desassossego dentro do contexto da produção pessoana, e faz referência a obras de autores da Teoria Literária, como Gérard Genette e Roland Barthes, que refletiram sobre a natureza do objeto livro. A ideia é propor uma reflexão sobre a tarefa do editor e as possibilidades que a ele se apresentam diante de uma obra de tão problemática organização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Cordeiro de Mello, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, Minas Gerais / Brasil

Marcelo Mello é Doutor em Estudos Literários pela Universidade Federal de Minas Gerais (2019). Mestre em Literatura Portuguesa pela Universidade Paris IV, Sorbonne (2011). Graduado pela Universidade de Brasília: Bacharel em Letras Português (2007) e Licenciado em Francês (2013). Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Língua e Literatura. Lecionou Língua portuguesa e respectiva literatura na Faculdade Evangélica de Brasília e no Liceu Francês de Brasília (2012-2014). Atuou como Assistente de Língua Portuguesa da Academia de Bordeaux, França (2010-2011). Foi Leitor de Língua Portuguesa da Universidade de Bourgogne, França (2008-2010)

Referências

BARTHES, Roland. A preparação do romance. Tradução de Leyla Perrone-Moisés. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

BARTHES, Roland. Roland Barthes por Roland Barthes. Tradução de Leyla Perrone-Moisés. São Paulo: Cultrix, 1977. DOI: https://doi.org/10.1007/978-1-349-03518-2.

BLANCO, José. Livro do desassossego: História da Edição. In: MARTINS, Fernando Cabral. Dicionário de Fernando Pessoa e do Modernismo Português. Lisboa: Editoral Caminho, 2008. p. 416.

CASTRO, Ivo. Quantas horas tem um dia triunfal?. Revista Estranhar Pessoa, Lisboa, n. 1, p. 12-25, out. 2014.

COELHO, Jacinto Prado. Prefácio. In: PESSOA, Fernando. Livro do Desassossego por Bernardo Soares. Lisboa: Ática, 1982. p. 7.

DELEUZE, Gilles. Cinema I: a imagem-movimento. Tradução Stella Senra. São Paulo: Brasiliense, 1985.

ESTEVES, José Cerqueira; NEVES, João Miguel (ed.). Arquivo Pessoa. Lisboa: Obra Aberta CRL, 2008. Disponível em: http://arquivopessoa.net/. Acesso em: 31 ago. 2015.

FOUCAULT, Michel. O corpo utópico: as heterotopias. Tradução de Salma Tannus Muchail. São Paulo: N-1 Edições, 2013.

GENETTE, Gérard. Paratextos Editoriais. Tradução de Álvaro Faleiros. São Paulo: Ateliê Editorial, 2009. (Artes do Livro, 7)

LIVRO do Desassossego. MARTINS, Fernando Cabral. Dicionário de Fernando Pessoa e do Modernismo Português. Lisboa: Editoral Caminho, 2008.

MARTINS, Fernando Cabral. Dicionário de Fernando Pessoa e do Modernismo Português. Lisboa: Editoral Caminho, 2008.

MELOT, Michel. Livro. Cotia: Ateliê Editorial, 2012.

OSAKABE, Haquira. O livro do mundo. In: NOVAES, Adauto. Poetas que pensaram o mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 2005. p. 419-441.

PESSOA, Fernando. Cartas de Fernando Pessoa a Armando Côrtes-Rodrigues. Lisboa: Confluência, 1944.

PESSOA, Fernando. Da República (1910-1935). Lisboa: Ática, 1979.

PESSOA, Fernando. Livro do Desasocego. Editado por Jerónimo Pizarro. Lisboa: INCM, 2010. Tomos I e II.

PESSOA, Fernando. Livro do Desassossego por Bernardo Soares. Organizado por Maria Aliete Galhoz e Teresa Sobral Cunha. Lisboa: Ática, 1982.

PESSOA, Fernando. Livro do Desassossego. Composto por Bernardo Soares, ajudante de guarda-livros na cidade de Lisboa. Organizado por Richard Zenith. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

PESSOA, Fernando. Livro do Desassossego. Organizado por António Quadros. Sintra: Publicações Europa-América, 1986.

PESSOA, Fernando. Livro(s) do Desassossego. Edição de Teresa Rita Lopes. São Paulo: Global, 2015.

PESSOA, Fernando. Páginas íntimas e de auto-interpretação. Lisboa: Ática, 1966.

PORTELA, Manuel; SILVA, António Rito (org.). Arquivo LdoD: arquivo digital colaborativo do Livro do Desassossego. Coimbra: Centro de Literatura Portuguesa da Universidade de Coimbra, 2017. Disponível em: https://ldod.uc.pt. Acesso em: 31 ago. 2015.

QUEIRÓS, Luís Miguel. O “dia triunfal” de Pessoa: uma ficção verdadeira. Público, Maia, mar. de 2014. Seção Ípsilon. Disponível em: https://www.publico.pt/2014/03/08/culturaipsilon/noticia/o-dia-triunfal-de-pessoa-uma-ficcao-verdadeira-1627473. Acesso em: 31 ago. 2015.

RAMA, Ángel. A cidade letrada. Trad. Emir Sader. São Paulo: Editora Brasiliense, 1985.

SOARES, Bernardo. In: MARTINS, Fernando Cabral. Dicionário de Fernando Pessoa e do Modernismo Português. Lisboa: Editoral Caminho, 2008.

SEPÚLVEDA, Pedro; ULRIKE, Henny-Krahmer; URIBE, Jorge (ed.). Digital Edition of Fernando Pessoa: Projects and Publications. Lisbon and Cologne: IELT, New University of Lisbon and CCeH, University of Cologne, 2017. DOI: https://doi.org/10.18716/cceh/pessoa. Disponível em: http://www.pessoadigital.pt. Acesso em: 31 ago. 2015.

ZENITH, Richard. Introdução. In: PESSOA, Fernando. Livro do Desassossego. Composto por Bernardo Soares, ajudante de guarda-livros na cidade de Lisboa. Organizado por Richard Zenith. São Paulo: Companhia das Letras, 1997. p. 13-36.

Downloads

Publicado

2021-03-31

Como Citar

Mello, M. C. de . (2021). Como fazer um Livro do Desassossego. Aletria: Revista De Estudos De Literatura, 31(1), 55–78. Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/aletria/article/view/25039

Edição

Seção

Dossiê: Estudos Editoriais