LEVANTAMENTO EPIDEMIOLÓGICO DE CARIE DENTÁRIA NO MUNICIPIO DE POÇO FUNDO, MINAS GERAIS, NOS ANOS DE 1999 E 2003

  • José Roberto de Magalhães Bastos USP
  • Silas Arlindo Magalhães APCD-Bauru
  • Ricardo Henrique Alves da Silva UNIP-Bauru

Resumo

Os levantamentos epidemiológicos em saúde bucal possibilitam o conhecimento das condições dentárias de determinadas localidades, possibilitando um diagnóstico para ações futuras. Desta maneira, foram realizados, no município de Poço Funda Estado de Minas Gerais, levantamentos epidemiológicos nos anos de 1999 e 2003, permitindo uma comparação dos dados obtidos. Observou-se uma acentuada redução nos índices de cárie dentária, CPOD aos 12 anos de idade de 3,57 a 1,91 e ceod aos cinco anos de idade de 4,11 a 2,31, bem como a ampliação do percentual de Indivíduos sem experiência de cárie em diversas idades. O trabalho permitiu conclui que há a necessidade de uma contínua atenção para atingir as metas preconizadas pela OMS para 2010 e que as medidas tomadas no município já têm demonstrado resultados favoráveis.

Descritores Epidemidogia; Saúde bucal; Levantamentos epidemiológicos; Cárie dentária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Roberto de Magalhães Bastos, USP
Professor Titular (FOB-USP)
Silas Arlindo Magalhães, APCD-Bauru

Especialista em Saúde Coletiva (APCD-Bauru) 

Ricardo Henrique Alves da Silva, UNIP-Bauru

Professor Assistente (UNIP-Bauru)

Referências

1. Amaranto E. Roodal M. Espelid I. Impact of diognostic criteria on the prevalence of dental caries in Norwegion children oged 5.12 and 18 years. C ommunity Dent. Oral Epidemiol. 1998; 26: 87-94.
2. Barros AJD. Bertddi AD. Barros AJD, Bertoldi AD. Desigualdades no utilização e no acesso o serviços odontológicos: uma avaliação em nível nacional. Ciênc. Saúde Coletiva 2002; 7: 709-17.
3. Bastos R do S. Büella VT, Bastos JR de M. Buzalaf MAR. Declínio de cárie dentária e incremento no percentual de escolares, de 12 anos de idade. livres da doença. em Bauru. São Paulo. entre 1976 e 1995. Rev. Foc. Odontol. Bauru 2002; 10:75-80.
4. Cardoso L. Rõsing C. Kramer P. Costa CC, Costa-Filho LC. Polarização da cárie em município sem águo fluoretoda. Cod. Saúde Pública 2003; 19237-243.
5. Freire MCM, Melo RB, Silvo SA. Dental caries prevalence in relaflon to socioeconomic status of nursey school children in Goiânia-GO. Brozil. Community Dent. Oral Epidemiol. 1996; 24: 357-361.
6. Golindo EM de V. Pereira JA do C. Feliciano KV de O et al. Prevalência de cárie e fatores associados em crianças da comunidade do Vietnã. Recife. Rev. Bras. Saude Mater. Infant 2005; 5: 199-208.
7. Gomes PR, Costa SC, Cypriono S. Sousa MLR. Paulínia, São Paulo. Brasil: situação do cárie dentário com relação às metas OMS 2000 e 2010. Cad. Saúde Pública 2034; 20: 866-870.
8. Matiz M. Barbochan, PS. Relação entre cárie. gengivite. fluorose e nível sócio-econômico em escolares. Rev. Saúde Pública 2001; 35: 170-176.
9. Mandei ID. Bennick A. Quantitaflon of human solivary ocidic proline- rich proteins in oral diseases. J. Dent. Res. 1983; 62: 943-945.
10. Nadanovsky P. O declínio do cárie. In: Pinto VG. Saúde Bucal Coletivo. 4 ed. São Paulo: Santos. 2000: 341-51.
11. Norvoi PC, Frazão P. Roncolli AG, Antunes JLF. Cárie dentário no Brasil: decknio, polarização. iniqüidade e exclusão sociol. Rev. Ponom. Solud Público 2006; 19:385-393.
12. Norvoi PC. Declínio na experiência de cárie em dentes permanentes de escdores brasileiros no final do século XX. Odontol. Sociedade 1999; 1: 25-29.
13. Newbrun E. Coriologio. São Paulo: Santos. 1988: 326.
14. Organizoção Mundial de Saúde. Levantamento epidemiológico básico de saúde bucal: manual de instruções. São Paulo: Santos. 1991:53.
15. Patirio JSR. Prevalência de cárie dentário e fluorose dentário em escolares de 5 a 12 anos, matriculados em escolas públicas e privadas do município de Comboriú-SC, 2000. (Dissertação). São Paulo. São Paulo: Faculdade de Saúde Público do USP. 2001. 116p.
16. Pinto VG. Saúde bucal coletivo. 4 ed. São Paulo: Santos. 2000: 541.
17. Prefeitura Municipal de Poço Fundo. Dados de Poço Fundo. Disponível em URL: http://www.pocofundo.mg.gov.br (Acesso em 23/Nov/2006).
18. Romires I. Bastos JRM, Bastos RS. Soles-Peres SHC, Castro RFM, Cardoso. MIV. Crianças livres de cárie entre 7 e 12 anos de idade. Bauru. 2001. Pesqui. Odontol. Bras. 2002; 16(supI): 24.
19. Soles-Peres SHC, Bastos JRM. Perfil epidemiológico de cárie dentária em crianças de 12 anos de idode, residentes em cidades fluoretodos e não fluoretadas, na região cenho-oeste do estado de São Paulo. Cad. Saúde Público 2032; 18: 1281-1288.
20. Soles-Peres SHC. Perfil epidemiológico de cárie dentário, em cidades fluoretadas e não fluoretadas, no região centro-oeste do estado de São Paulo. (Dissertação). Bauru. São Paulo: Faculdade de Odontologia de Bauru do USP. 2001. 175p.
21. Sweeney PC, Gelbier S. The dental health of pre-school children in o deprived urbon community in Glasgow. Community Dent. Oral Heatth 1999; 16: 22-25. 22. Thylstrup A.
Publicado
2016-03-02
Como Citar
Bastos, J. R. de M., Magalhães, S. A., & Silva, R. H. A. da. (2016). LEVANTAMENTO EPIDEMIOLÓGICO DE CARIE DENTÁRIA NO MUNICIPIO DE POÇO FUNDO, MINAS GERAIS, NOS ANOS DE 1999 E 2003. Arquivos Em Odontologia, 42(2). Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/arquivosemodontologia/article/view/3409
Seção
Artigos