Avaliação dos níveis de cinza de cimentos ionômero de vidro em imagens digitais indiretas

Autores

  • Ricardo Yuki de Castro
  • Cláudia Borges Brasileiro Universidade Federal de Minas Gerais -UFMG
  • José Flávio Batista Gabrich Giovannini Centro Universitário Newton Paiva, Belo Horizonte, MG

Resumo

Objetivo: Comparar a radiopacidade de quatro marcas comerciais de cimentos ionômero de vidro por meio da mensuração dos níveis de cinza em imagens digitais indiretas. Materiais e Métodos: Foram confeccionados cinco corpos de prova nas espessuras de 1, 2, 3 e 4mm dos seguintes materiais: Magic Glass® R, Maxxion® R, Vidrion® R e Chemflex®. As amostras foram separadas por marca e espessura e radiografadas seguindo uma técnica padronizada. Foram realizadas três radiografias por espessura para cada material avaliado. As imagens obtidas foram posteriormente digitalizadas e analisadas por meio da ferramenta histograma do software Adobe Photoshop 8.0 para a determinação dos níveis de cinza. Para isso, foram realizadas três leituras em áreas diferentes de cada uma das amostras confeccionadas para cada espessura das marcas comerciais avaliadas. Os valores obtidos foram posteriormente submetidos a uma média aritmética e os resultados
expressos como média dos níveis de cinza por espessura para cada material. Os dados foram analisados por meio da análise de variância ANOVA (p<0,05) e comparação múltipla de Bonferroni (p<0,05). Resultados: Para todos os cimentos avaliados as espessuras apresentaram diferenças estatisticamente significativas quando comparadas entre si para o mesmo material (p<0,001). Os valores dos níveis de cinza aumentaram conforme a espessura dos corpos de prova. As médias dos valores de níveis de cinza encontradas em cada um dos cimentos avaliados, para uma mesma espessura, foram diferentes e os resultados estatisticamente significativos (p<0,001). Conclusão: Os cimentos ionômeros de vidro apresentaram variações quanto à radiopacidade, sendo que a espessura dos corpos de prova contribuiu para tal propriedade. O Chemflex® apresentou o maior valor médio de níveis de cinza, sendo o material de maior radiopacidade dentre todos os avaliados.
Descritores: Cimentos de ionômeros de vidro. Radiografia dentária digital.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Yuki de Castro

Cirurgião-dentista

Cláudia Borges Brasileiro, Universidade Federal de Minas Gerais -UFMG

Departamento de Engenharia Nuclear, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil

José Flávio Batista Gabrich Giovannini, Centro Universitário Newton Paiva, Belo Horizonte, MG

Curso de Odontologia, Centro Universitário Newton Paiva, Belo Horizonte, MG, Brasil

Referências

1. Queiroz VAO. Uso do cimento ionômero de vidro na prática odontológica [dissertação]. Bauru (SP): Faculdade de Odontologia de Bauru da USP; 2003.
2. Giovannini JBG. Influência da energia de manipulação na propriedade de um cimento polialcenoato de vidro encapsulado para
cimentação [dissertação]. Belo Horizonte (MG): Faculdade de Odontologia da UFMG; 2002.
3. Sidhu SK. Glass-ionomer cement restorative materials: a sticky subject? Aust Dent J. 2011; 56:23-30.
4. Loguercio AD, Reis A, Bauer JRO, Rodrigues Filho RE, Busato ALS. Avaliação da radiopacidade de resinas compostas indicadas para dentes posteriores. Passo Fundo. 2001; 6:49-52.
5. Ergucu Z, Turkun LS, Onem E, Guneri P. Comparative radiopacity of six flowable resin composites. Oper Dent. 2010; 35:436-40.
6. Tsuge T. Radiopacity of conventional resinmodified glass-ionomer and resin-based luting materials. J Oral Sci. 2009; 51:223-30.
7. Souza FCPP, Pardini LC, Cruvinel DR, Hamida HM, Garcia LFR. In vitro comparison of the radiopacity of cavity lining materials with human dental structures. J Conserv Dent. 2010; 13:65-70.
8. Dutra GMC, Wienandts, P, Costa NP, Araújo FB. Avaliação da densidade óptica da superfície oclusal através de radiografias digitalizadas e sua relação com a presença de lesões de cárie
em molares decíduos. Rev Odonto Ciênc. 2007; 22:222-7.
9. Aznar FDC, Bueno CES, Nishiyama CK, Martin AS. Radiopacidade de sete cimentos endodônticos avaliada através de radiografia digital. Rev Gaucha Odontol. 2010; 58:181-4.
10. Bagatini L, Hehn L, Fontanella V. Avaliação da densidade óptica de três cimentos de ionômero de vidro associados à estrutura dental. Rev Fac Odontol Porto Alegre. 2004; 45:6-10.
11. Hehn L, Mahl CRW, Freitas MPM, Conde A, Veeck EB, Fontanella V. Comparação de três sistemas digitais em relação à densidade óptica
de cimentos de ionômero de vidro. Rev Odonto Ciênc. 2007; 22:233-7.
12. Williams JA, Billington RW. The radiopacity of glass ionomer dental materials. J Oral Rehabil. 1990; 17:245-8.
13. Skartveit L, Halse A. Radiopacity of glass ionomer materials. J Oral Rehabil. 1996; 23:1-4.
14. Gegler A, Cruz AT, Barbisan AO, Pacheco JFM, Fontanella V. Radiopacidade de ionômeros de vidro. Rev Fac Odontol Porto Alegre. 1999; 40:19- 24.
15. Baksi BG, Ermis RB. Comparison of conventional and digital radiography for radiometric differentiation of dental cements. Quintessence Int. 2007; 38:532-6.

Downloads

Publicado

2016-05-23

Como Citar

Castro, R. Y. de, Brasileiro, C. B., & Giovannini, J. F. B. G. (2016). Avaliação dos níveis de cinza de cimentos ionômero de vidro em imagens digitais indiretas. Arquivos Em Odontologia, 48(2). Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/arquivosemodontologia/article/view/3593

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)