INSTANTE DE VER, TEMPO PARA COMPREENDER E MOMENTO DE CONCLUIR: APONTAMENTOS SOBRE PSICANÁLISE E EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS

EL INSTANTE DE VER, EL TIEMPO DE COMPRENDER Y EL MOMENTO DE CONCLUIR: NOTAS SOBRE PSICOANÁLISIS Y EDUCACIÓN CIENTÍFICA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1983-21172021230126

Palavras-chave:

Educação e Psicanálise, Discursos, Lacan, Educação em Ciências

Resumo

No presente artigo, buscamos estabelecer uma interlocução com o trabalho de Gleici Kelly de Lima e Rodolfo Langhi, intitulado “Observando o invisível: a relação transferencial a partir dos discursos entre crianças e professoras monitoras em um observatório astronômico”. Considerando que uma das contribuições mais potentes do trabalho é a operacionalização de conceitos psicanalíticos na relação entre educadoras e crianças, direcionamos nosso diálogo às relações entre Psicanálise e Ensino de Ciências. Para isso, dividimos o texto em três seções: na primeira, retomamos algumas reflexões sobre a exploração de analogias entre Psicanálise e Educação em Ciências; posteriormente, aprofundamos a discussão sobre a relação analógica entre os quatro discursos de Lacan e os discursos do professor de Ciências; por fim, enfatizando o papel dos discursos nas diferentes etapas da aprendizagem em ciências, adentramos nas interpretações dos discursos na relação transferencial entre as monitoras e as crianças no observatório astronômico.

En este artículo buscamos dialogar con el trabajo de Gleici Kelly de Lima y Rodolfo Langhi, titulado “Observando lo invisible: la relación transferencial a partir de los discursos entre niños y maestras monitoras en un observatorio astronómico”. Considerando que uno de los aportes más potentes del trabajo es la operacionalización de conceptos psicoanalíticos en la relación entre educadoras y niños, dirigimos nuestro diálogo a la relación entre Psicoanálisis y Educación en Ciencias. Para ello, dividimos el texto en tres secciones: en la primera, retomamos algunas reflexiones sobre la exploración de analogías entre Psicoanálisis y Educación Científica; posteriormente, profundizamos la discusión sobre la relación analógica entre los cuatro discursos de Lacan y los discursos del profesor de Ciencias; finalmente, enfatizando el papel de los discursos en las diferentes etapas del aprendizaje de las Ciencias, nos adentramos en las interpretaciones de los discursos en la relación transferencial entre monitoras y niños en el observatorio astronómico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wilson Elmer Nascimento, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Doutor e Mestre em Ensino de Ciências pelo Programa de Pós-Graduação Multiunidades em Ensino de Ciências e Matemática da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP (2014). Possui graduação em Licenciatura em Física pela Universidade Estadual Paulista - UNESP - Campus de Guaratinguetá (2011). Atualmente é professor do Departamento de Práticas Educacionais e Currículo (DPEC), vinculado ao Centro de Educação (CE) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Psicanalista em formação pelo Percurso Livre em Psicanálise (PLP/natal). Tem experiência na área de Educação e os principais temas de interesse são: Ensino de Ciências, Ensino de Física, Formação e Desenvolvimento Profissional de Professores de Ciências, Narrativas e Psicanálise. 

Alberto Villani, Universidade de São Paulo

Possui graduação em Filosofia - Licenza - Aloisianum Facultas Philosophica (1966), graduação em Fisica - Laurea - Universita degli Studi di Padova (1969) e doutorado em Física pelo Instituto de Física Teórica de São Paulo (Universidade Estadual Paulista 1972), Livre Docência pela Universidade de São Paulo(1987) e pos-doutorado pela Universitá di Bologna (1989) . Atualmente é Professor Senior da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Ensino de Ciências, atuando principalmente nos seguintes temas: psicanálise e educação, formação de professores, grupos de aprendizagem.

Referências

Altarugio, M. H. & Villani, A. (2010). O papel do formador no processo reflexivo de professores de Ciências. Investigações em Ensino de Ciências, 15(2), 385-401.

Araújo, A. T. S. Psicanálise e ensino. (1993). Cad. Cat. Ens. Fis., 21, 243-246.

Arruda, S. M. & Baccon, A. L. P. (2007). O professor como um “lugar”: uma metáfora para a compreensão da atividade docente. Ensaio. Pesquisa em Educação em Ciências, 9(1), 112-131.

Arruda, S. M. & Passos, M. M. (2012). Da Psicanálise ao Ensino de Ciências: o “desejo do docente” e o “professor como um lugar”. Ciência & Educação, 18(1), 69-80.

Arruda, S. M. & Ueno, M. H. (2003). Sobre o ingresso, desistência e permanência no curso de Física da Universidade Estadual de Londrina: algumas reflexões. Ciência & Educação, 9(2), 159-175.

Arruda, S. M., Villani, A., Ueno, M. H. & Dias, V. S. (2004). Da aprendizagem significativa à aprendizagem satisfatória na educação em Ciências. Cad. Cat. Ens. Fis, 13(2), 235-251.

Associação Mundial de Psicanálise. (1995) Como terminam as análises: textos reunidos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Aulagnier, P. (1975). A violência da interpretação: do pictograma ao enunciado. Rio de Janeiro: Imago.

Barcelos, N. N. S. & Villani, A. (2006). Troca entre universidade e escola na formação docente: uma experiência de formação inicial e continuada. Ciência & Educação, 11(1), 73-97.

Barolli, E., Valadares, J. M. & Villani, A. (2007). Explicitando uma metodologia de pesquisa: a experiência de uma professora de Física revisitada. Ciência & Educação, 13(2), 253-271.

Barros, M. A. & Villani, A. (2004). A dinâmica de grupos de aprendizagem de Física no ensino médio: um enfoque psicanalítico. Investigações em Ensino de Ciências, 9(2), 115-136.

Barros, M. A., Laburú, C. E. & Rocha, Z. F. D. C. (2007). Análise do vínculo entre grupo e professora numa aula de ciências do ensino fundamental. Ciência & Educação, 10(2), 197-217.

Barros, M. A., Arruda, S. M., Laburú, C. E., Batista, M. C. & Silva, A. I. (2006). Entre a queixa e a reflexão: a promoção de mudanças no discurso de um grupo de professoras de Ciências no ensino fundamental. Ensaio. Pesquisa em Educação em Ciências, 8(2), 132-145.

Cifalli, M. (1882). Freud pédagogue? Psychanalyse et éducation Paris: Inter Editions.

Ferenczi, S. (2011a). Transferência e introjeção. In: S. Ferenczi. Psicanálise I (pp. 87-123). São Paulo: WMF Martins Fontes. (Trabalho originalmente publicado em 1908).

Ferenczi, S. (2011b). O problema do fim da análise. In S. Ferenczi. Psicanálise IV (pp. 17-27). São Paulo: WMF Martins Fontes. (Trabalho originalmente publicado em 1928).

Filloux, J. C. (2002). Psicanálise e Educação São Paulo: Expressão & Arte.

Fink, B. (1998). O Sujeito Lacaniano - entre a linguagem e o gozo Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor.

Freud, S. (1996). A história do movimento psicanalítico. In S. Freud. Edição standard das obras psicológicas completas de Sigmund Freud (pp. 14-73). Rio de Janeiro: Imago. (Trabalho originalmente publicado em 1914).

Freud, S. (2010a). Prefácio a O método Psicanalítico, de Oskar Pfister. In: S. Freud. Obras completas volume 10. Observações psicanalíticas sobre um caso de paranoia relatado em autobiografia (“o caso Schreber”), artigos sobre técnica e outros textos (1911-1913) (pp. 340-343). São Paulo: Companhia das Letras. (Trabalho originalmente publicado em 1913).

Freud, S. (2010b). A dinâmica da transferência. In: S. Freud. Obras completas volume 10. Observações psicanalíticas sobre um caso de paranoia relatado em autobiografia (“o caso Schreber”), artigos sobre técnica e outros textos (1911-1913) (pp. 133-146). São Paulo: Companhia das Letras . (Trabalho originalmente publicado em 1912).

Freud, S. (2010c). Observações sobre o amor de transferência. In: S.Freud. Obras completas volume 10. Observações psicanalíticas sobre um caso de paranoia relatado em autobiografia (“o caso Schreber”), artigos sobre técnica e outros textos (1911-1913) (pp. 210-228). São Paulo: Companhia das Letras . (Trabalho originalmente publicado em 1915).

Freud, S. (2011). Prólogo à juventude Abandonada de August Aichhorn. In: S. Freud. Obras completas volume 16. O Eu e o Id, “autobiografia” e outros textos (1923 - 1925) (pp. 347-350). São Paulo: Companhia das Letras . (Trabalho originalmente publicado em 1925).

Freud, S. (2014). A questão da análise leiga: diálogo com um interlocutor imparcial. In: S. Freud. Obras completas volume 17. Inibição, sintoma e angústia, o futuro de uma ilusão e outros textos (1926-1929) (pp. 99-186). São Paulo: Companhia das Letras . (Trabalho originalmente publicado em 1926).

Freud, S. (2018). Análise terminável e interminável. In: S. Freud. Obras completas volume 19. Moisés e o monoteísmo, Compêndio de Psicanálise e outros textos (1937 - 1939) (pp. 274-326). São Paulo: Companhia das Letras . (Trabalho originalmente publicado em 1937).

Imbert, F. (2001). A questão da ética no campo educativo Petrópolis: Vozes.

Jorge, M. A. C. (2006). Lacan e a formação do psicanalista Rio de Janeiro: Contra Capa.

Kupfer, M. C. M. (1991). Freud e a educação: o mestre do impossível. São Paulo: Scipione.

Lacan, J. (1992). O seminário, Livro 17: o avesso da psicanálise, 1969-1970. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor .

Lacan, J. (1997). O saber do psicanalista Seminário 1971-1972. Centro de estudos freudianos do Recife.

Lacan, J. (1998). O tempo lógico e a asserção da certeza antecipada. In: J. Lacan. Escritos (pp. 197-213). Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor . (Trabalho originalmente publicado em 1945).

Lacan, J. (2003a). Proposição de 9 de outubro de 1967 sobre o psicanalista de escola. In: J. Lacan. Outros escritos (pp. 249-264). Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor . (Trabalho originalmente publicado em 1968).

Lacan, J. (2003b). Televisão. In: J. Lacan. Outros escritos (pp. 508-543). Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor . (Trabalho originalmente publicado em 1974).

Lacan, J. (2003c). Introdução à edição alemã de um primeiro volume dos Escritos. In: J. Lacan. Outros escritos (pp. 550-556). Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor . (Trabalho originalmente publicado em 1973).

Lajonquiére, L. (1999). Infância e ilusão (psico)pedagógica: escritos de psicanálise e educação. São Paulo: Vozes.

Lima, G. K. de, & Langhi, R. (2021). Observando o invisível: a relação transferencial a partir dos discursos entre crianças e professoras monitoras em um observatório astronômico. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, 23 https://doi.org/10.1590/1983-21172021230115.

Millot, C. (1987). Freud antipedagogo São Paulo: Jorge Zahar Editor.

Minerbo, M. (2012). Transferência e contratransferência São Paulo: Casa do Psicólogo

Mrech, L. M. (1999). Psicanálise e educação: novos operadores de leitura. São Paulo: Thomson Learning.

Pedroza, R. L. S. (2010). Psicanálise e Educação: análise das práticas pedagógicas e formação do professor. Psicologia da Educação 30, pp. 81-96.

Penna, L. M. D. M. (2003). Psicanálise e universidade: há transmissão sem clínica? Belo Horizonte: Autêntica.

Pereira, M. R. (2005). Subversão docente: ou para além da “realidade do aluno”. In: L. Mrech. M. O impacto da psicanálise na educação (pp. 93-116). São Paulo: Avercamp.

Pommier, G. (1990). O desenlace de uma análise Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor .

Quinet, A. (2009). As 4+1 condições da análise Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor .

Silva, G. S. F. da. & Villani, A. (2012). A dinâmica de um grupo de alunas nas aulas de Física, a sua relação com o saber e as intervenções do professor. Investigações em Ensino de Ciências, 17(1), 183-208.

Valadares, J. M. & Villani, A. (2004). Crise, mudança e intermediário: o papel do professor de Ciências na constituição das relações intersubjetivas em um grupo de professores. Ensaio. Pesquisa em Educação em Ciências, 6(1), 09-23.

Villani, A. (1999). O professor de Ciências é como um analista? Ensaio. Pesquisa em Educação em Ciências, 1(1), 06-24.

Villani, A. & Barolli, E. (2000). Interpretando a Aprendizagem nas Salas de Aula de Ciências. In XXIII Reunião anual da ANPED. Atas da XXIII ANPED - CD-Room GT-04, (pp. 1-20). Disponível em: < Disponível em: https://anped.org.br/sites/default/files/5_interpretando_a_aprendizagem_nas_salas_de_aula_de_ciencias.pdf >. Acesso em: 16 jul. 2021.

» https://anped.org.br/sites/default/files/5_interpretando_a_aprendizagem_nas_salas_de_aula_de_ciencias.pdf

Villani, A. & Barolli, E. (2006). Os discursos do professor e o ensino de Ciências. Pro-Posições, 17(1), 155-175.

Villani, A., Barolli, E. & Cabral, T. C. B., Fagundes, M. B., Yamazaki, S. C. (1997) Filosofia da Ciência, História da Ciência e Psicanálise: analogias para o ensino de Ciências. Cad. Cat. Ens. Fis, 14(1), 37-55.

Villani, A., Barolli, E., Arruda, S. M., Franzoni, M., Valadares, J. M., Gurudi, V. & Ferreira, D. B. (2011). Contribuições da Psicanálise para uma metodologia de pesquisa em educação em ciências. In F. M. T. Santos & I. Grega, (org.) A pesquisa em Ensino de Ciências no Brasil e suas metodologias (pp. 323-390). Unijuí: Ed. Unijuí.

Villani, A., Barros, M. A., & Arruda, S. M. (2011). Impasses na sala de aula de ciências: a psicanálise pode auxiliar?. Revista Brasileira De Pesquisa Em Educação Em Ciências, 4(1), 31-44. Disponível em: Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/4094 Acesso em: 16 jul. 2021.

» https://periodicos.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/4094

Villani, A., Santana, D. A. & Arruda, S. M. (2003). Perfil subjetivo: estudos de caso. Caderno Catarinense de Ensino de Fisica, 20(3), 336-371.

Villani, A. & Cabral, T. C. B. (1997). Mudança conceitual, subjetividade e psicanálise. Investigações em Ensino de Ciências, 2(1), 43-61.

Villani, A. & Carvalho, L. O. de. (2005). Discurso do professor e subjetividade na aprendizagem de Física. Investigações em Ensino de Ciências, 10(3), 363-386.

Villani, A. & Franzoni, M. (2000). A competência dialógica e a formação de um grupo ‘docente’. Investigações em Ensino de Ciências, 5(3), 191-211.

Villani, A. & Santana, D. A. (2004). Analisando as interações dos participantes numa disciplina de física. Ciência & Educação, 10(2), 197-217.

Villani, A., Dias, V. S. & Valadares, J. M. (2010). The Development of Science Education Research in Brazil and Contributions from the History and Philosophy of Science. International Journal of Science Education, 32(7), 907-937.

Voltolini, R. (2011). Educação e psicanálise São Paulo: Jorge Zahar Editor.

Downloads

Publicado

2021-11-22

Edição

Seção

ARTIGO TEÓRICO / THEORETICAL ARTICLE