João Havelange, uma vida extraordinária? Ideologia e ação política na formação de um patrimônio social-esportivo, 1916-1958

Main Article Content

Luiz Guilherme Burlamaqui Soares Porto Rocha

Resumo

Este artigo discute a ideologia e ação política na ascensão de João Havelange. Via de regra, as biografias tradicionais sobre o dirigente brasileiro ressaltam o caráter inovador e distinto da vida de João Havelange. Na contramão desta narrativa, este artigo pretende inserir as ideias de Havelange no próprio contexto em que elas foram difundidas e produzidas. Neste sentido, longe de se constituir um caso atípico e singular, a trajetória de Havelange é observada como uma estratégia metodológica para compreender características mais abrangentes do grupo em que representa – os dirigentes de futebol e a elite política carioca. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Rocha, L. G. B. S. P. (2021). João Havelange, uma vida extraordinária? Ideologia e ação política na formação de um patrimônio social-esportivo, 1916-1958 . FuLiA / UFMG, 5(3), 75–97. https://doi.org/10.35699/2526-4494.2020.25830
Seção
DOSSIÊ
Biografia do Autor

Luiz Guilherme Burlamaqui Soares Porto Rocha, Instituto Federal de Brasília

Doutorado em História Social, USP.

Referências

ALTAMIRANO, Carlos. Intelectuales: notas de investigación. Buenos Aires: Grupo Editorial Norma, 2007.

BOURDIEU, Pierre. L’illusion biographique. Actes de la Recherche en Sciences Sociales, Paris, v. 62-63, p. 69-72, 1986. Disponível em: https://bit.ly/3bPETwg. Acesso em: 05 dez. 2018.

BOURDIEU, Pierre. Questões de sociologia. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1983.

BURLAMAQUI, Luiz Gullherme. A outra razão: os presidentes de futebol entre práticas e representações. Dissertação (Mestrado em História Social), Instituto de História da Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2012.

BROMBERGER, Christian. Le match de football: ethnologie d’une passion partisane à Marseille, Naples et Turin. Paris: Edition de la Maison de la Science du Homme, 1995.

CASTRO GOMES, Ângela de. Ideologia e trabalho no Estado Novo. In: PANDOLFI, Dulce. Repensando o Estado Novo. Rio de Janeiro: FGV, 1999.

CASTRO GOMES, Ângela de (org.). Engenheiros e economistas: novas elites burocráticas. Rio de Janeiro: FGV, 1994.

DAMO, Arlei S. Futebol e identidade social: uma leitura antropológica da rivalidade entre torcedores e clubes. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2002.

D’ARAUJO, Maria Celina. O Estado Novo. Rio de Janeiro: Zahar, 2000, p. 35-6.

DIETSCHY, Paul. Le football et les jeux olympiques. (1896-1936). In: MILZA, Pierre; TÉTART, Philippe; JEQUIER, François. Le pouvoir des anneaux: les jeux olympiques à la lumière de la politique. Paris: Vuibert, 2004, p. 161-181.

DURKHEIM, Émile. As formas elementares da vida religiosa: o sistema totêmico na Austrália. Rio de Janeiro: Martins Fontes, 1996.

FÉDÉRATION INTERNATIONALE DE FOOTBALL ASSOCIATION. (livro institucional sem autor) Fédération Internationale de Football Association, 1904-1929. Amsterdam: J. H. de Bussy, 1929.

GAMBETTA, Wilson. E a bola rolou: o velódromo paulista e os espetáculos de futebol, 1895-1916. 2013. Tese (Doutorado em História Social) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

GINZBURG, Carlo. O queijo e os vermes: o cotidiano e as ideias de um moleiro perseguido pela Inquisição. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

GINZBURG, Carlo; PONI, Carlo. A micro-história e outros ensaios. Lisboa: DIFEL, 1989, p. 169-178.

GRENDI, Edoardo. Microanálise e história social. In: SILA, Carla (org.). Exercícios de micro-história. Rio de Janeiro: FGV, 2009, p. 19-38.

GUIMARÃES, César. Vargas e Kubitschek: a longa distância entre Petrobras e Brasília. In: CARVALHO, Maria Alice Rezende de. A República no Catete. Rio de Janeiro: Museu da República, 2001, p. 155-175.

HAMILTON, Aidan. Domingos da Guia: o divino mestre. Rio de Janeiro: Gryphus, 2005.

HEINZ, Flávio M. O historiador e as elites – à guisa de introdução. In: HEINZ, Flávio M. (org.). Por outra história das elites. Rio de Janeiro: FGV, 2006, p. 154-165.

HIPPOLITO, Lucia. De raposas e reformistas: o PSD e a experiência democrática brasileira (1945-64). Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.

HOBSBAWM, Eric J. A era dos Impérios, 1817-1914. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2015.

HOLT, Richard. Sport and the British: A Modern History. Oxford: Oxford University Press, 1990.

IORIS, Rafael. Qual desenvolvimento? Os debates, sentidos e lições da era desenvolvimentista. São Paulo: Paco, 2017.

LEVI, Giovanni. A herança imaterial: trajetória de um exorcista no Piemonte do século XVII. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

PEREIRA, José Mario; VIEIRA, Silvia Marta. João Havelange: o dirigente esportivo do século XX. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2010, p. 132.

PEREIRA, Leonardo. Footballmania: uma história social do futebol no Rio de Janeiro, 1902-1938. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2000.

RODRIGUES, Ernesto Carneiro. Jogo duro: a história de João Havelange. Rio de Janeiro: Record, 2007.

STOLS, Eddy (org.); MASCARO, Luciana Pelaes (org.); BUENO, Clodoaldo (org.). Brasil e Bélgica: cinco séculos de interações. São Paulo: Narrativa Um, 2014.

STOLS, Eddy. Panorama das relações belgo-brasileiras. Apresentação na Universidade Federal de Minas Gerais. 20 set. 2005. Disponível em: http://www.belgica.org.br/panorama.htm. Acesso em: 25 jul. 2019.

VIGARELLO, Georges. Virilidades esportivas. In: CORBIN, Alan; COURTINE, Jean Jacques; VIGARELLO, G. História da virilidade: a virilidade em crise. Petrópolis: Vozes, 2013, p. 269-301.

ENTREVISTAS

HAVELANGE, João. [Entrevista]. Série Depoimentos para a posteridade. Rio de Janeiro, Acervo Depoimentos para a Posteridade, Museu da Imagem e do Som, 10 out. 1967.

HAVELANGE, João. [Entrevista]. Entrevistadores: Bernardo Borges Buarque de Hollanda; Daniela Alfonsi, Carlos Sarmento. Entrevistado: João Havelange. Acervo do Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (CPDOC), 2012.

Depoimento de Paula Havelange – irmã e secretária em AZEVEDO, Vivaldo de. João Havelange – determinação e coragem. São Paulo: Editora Nacional, 1974. p. 17-24.