Notícias

Revista sobre Futebol, Linguagem, Artes e outros Esportes

 

Este periódico eletrônico de fluxo contínuo, quadrimestral, tem o objetivo de atender às demandas crescentes de publicações de pesquisas sobre o esporte relacionadas aos estudos da linguagem e cultura, das ciências humanas, artes e mídias e do lazer.

A FuLiA / UFMG aceita submissões, preferencialmente de doutores, de artigos e ensaios para as seções Dossiê e Paralelas, além de textos para as seções Resenha, Entrevista e Tradução/Edição.

A revista conta ainda com a seção Poética, sob a responsabilidade dos editores, que pretende publicar áudios, imagens, vídeos e textos artísticos em diálogo com o dossiê temático. 

Serão aceitos textos em português, espanhol, inglês, francês, italiano e alemão

A revista está vinculada ao Núcleo de Estudos sobre Futebol, Linguagem e Artes (FULIA), fundado em 2010, da Faculdade de Letras da UFMG. 

  • CHAMADA v. 6, n. 3 (2021): submissão até 15 de agosto de 2021

    2020-10-14

    TORCER, TORCEDOR E TORCIDAS: adesões e resistências às intervenções do capital

    csm_Torcida_Vasco_-_Foto_Divulgacao_-_Vasco_368b0ddc4b_2.jpgImagem: Torcida do Vasco (Web).

    Ao longo dos anos, a prática de torcer sofreu muitas intervenções em função de interesses do capital, tendo suas formas de organização, manifestação e representação significativamente alteradas. Essas intervenções ensejaram reações diversas dos atores que compõem o universo do futebol: ora de adesão; ora de resistência.

    Com esssa proposta, a revista FuLiA/UFMG tem o objetivo de reunir trabalhos de diferentes campos de pesquisa e perspectivas teórico-metodológicas em torno das temáticas do torcer, do torcedor e das torcidas de futebol, que reflitam sobre o processo social e histórico de organização, manifestações e representação das práticas torcedoras, assim como sobre as intervenções a que elas têm sido submetidas.

    Coorganizadores: Verónica Moreira (Universidad de Buenos Aires), Silvio Ricardo da Silva (Universidade Federal de Minas Gerais); Felipe Tavares Paes Lopes (Universidade de Sorocaba).

    Saiba mais sobre CHAMADA v. 6, n. 3 (2021): submissão até 15 de agosto de 2021
  • CHAMADA v. 6, n. 1 (2021): submissão até 15 de dezembro de 2020

    2020-04-08

    O ESPORTE NAS ARTES E CIÊNCIAS SOCIAIS DE MOÇAMBIQUE

    CHAMADA611.jpg
    Imagem: Selos de Moçambique (Web).

    O esporte foi e ainda é uma questão política num sentido positivo e negativo. A sua profissionalização nas primeiras décadas do século XX fez com que certas barreiras de classe, gênero e “raça” se rompessem, funcionando como um instrumento de protesto e de resistência política. Regimes autoritários, geralmente, não mediram esforços em instrumentalizar e ideologizar a prática esportiva, quase sempre por um viés “masculino”.

    Sendo assim, desde o surgimento da era moderna do esporte (1896), os comitês responsáveis vêm se orientando pela nacionalidade e pelo gênero dos(as) atletas para organizarem suas competições, como se a divisão entre países, homens e mulheres fosse algo “natural”.

    Ao enfocar o universo moçambicano, marcado por intenso entusiasmo pelos desportos, surgem movimentos muito interessantes sobre as narrativas de gênero, nação, sociedade e cultura, evidenciadas pelas representações nos campos da linguagem, da cultura popular, da mídia e das artes e ciências humanas, onde os “jogos de poder” igualmente se manifestam e se digladiam.

    Neste número da revista FuLiA/UFMG, serão bem-vindas contribuições de estudos que reflitam sobre a relação entre nacionalidade e gênero no esporte em Moçambique ou de estudos que, de modo geral, reflitam sobre o esporte nas artes, na mídia, na cultura e nas ciências sociais moçambicanas, a partir de uma perspectiva específica ou interdisciplinar.

    Coorganizadores: Aurélio Rocha (Universidade Eduardo Mondlane, Moçambique); Elídio Nhamona (UEM); Gustavo Cerqueira Guimarães (UEM); Nuno Domingos (Universidade de Lisboa).

    Saiba mais sobre CHAMADA v. 6, n. 1 (2021): submissão até 15 de dezembro de 2020
  • CHAMADA v. 6, n. 2 (2021): submissão até 21 de abril de 2021

    2020-04-08

    ESPORTE PELO PRISMA DOS MÉTODOS QUANTITATIVOS

    MQ_esporte_Fulia.PNG
    Imagem
    (fonte): IBGE.

    Nas últimas duas décadas é possível identificar um aumento da utilização dos métodos e técnicas quantitativas em pesquisas sociais nas mais variadas áreas do conhecimento. Muitos desafios foram debatidos para superar as principais dificuldades do campo e favorecer o crescente interesse e uso das técnicas quantitativas de produção e análise de dados.

    O desenvolvimento tecnológico com a ampliação do potencial de processamento e armazenamento de dados em computadores pessoais combinado com a redução dos custos de aquisição de softwares e equipamentos informáticos garantiram o acesso mais facilitado e viabilizaram esse processo. Embora estes sejam fatores essenciais, é importante mencionar a ampliação das possibilidades de participar de cursos e treinamentos sofisticados voltados para a aplicação dos métodos e técnicas quantitativas em pesquisas sociais nas mais variadas áreas do conhecimento, em várias instituições brasileiras, seja na graduação, seja na pós-graduação. O desenvolvimento das habilidades dos pesquisadores tem promovido cada vez mais a aplicação destes recursos analíticos. Cabe ainda mencionar o fim da oposição dos métodos de pesquisa qualitativo e quantitativo passando para um paradigma de complementaridade entre as distintas metodologias de pesquisa em um mesmo projeto, potencializando os resultados obtidos e a análise da realidade social.

    No âmbito dos esportes – não apenas do futebol – diversas pesquisas utilizam dados produzidos por meio de survey, análise do discurso, raspagem de dados de redes sociais e análise quantitativas de fontes diversas. O presente dossiê da revista FuLiA/UFMG busca alargar as possibilidades de aplicação dos métodos quantitativos no âmbito dos esportes, convocando trabalhos que utilizam esta abordagem em diferentes perspectivas esportivas, nas diversas áreas do conhecimento.  .

    Organizador: Jimmy Medeiros (Escola de Ciências Sociais - FGV/Rio de Janeiro).

      Saiba mais sobre CHAMADA v. 6, n. 2 (2021): submissão até 21 de abril de 2021