Notícias

Revista sobre Futebol, Linguagem, Artes e outros Esportes

 

Este periódico eletrônico de fluxo contínuo, quadrimestral, tem o objetivo de atender às demandas crescentes de publicações de pesquisas sobre o esporte relacionadas aos estudos da linguagem e cultura, das ciências humanas, artes e mídias e do lazer.

A FuLiA / UFMG aceita submissões, preferencialmente de doutores, de artigos e ensaios para as seções Dossiê e Paralelas, além de textos para as seções Resenha, Entrevista e Tradução/Edição.

A revista conta ainda com a seção Poética, sob a responsabilidade dos editores, que pretende publicar áudios, imagens, vídeos e textos artísticos em diálogo com o dossiê temático. 

Serão aceitos textos em português, espanhol, inglês, francês, italiano e alemão

A revista está vinculada ao Núcleo de Estudos sobre Futebol, Linguagem e Artes (FULIA), fundado em 2010, da Faculdade de Letras da UFMG. 

  • CHAMADA v. 5, n. 3 (2020): submissão até 15 de outubro de 2020

    2020-04-08

    (AUTO)BIOGRAFIAS NO MUNDO DOS ESPORTES

    JPG_WhatsApp_Image_2019-02-09_at_21.27_.40_(1)_2.jpg
    Imagem
    FuLiA/UFMG.

    As narrativas sobre a vida dos personagens mais destacados do futebol e do mundo dos esportes, como os grandes atletas, técnicos e dirigentes, assim como de personagens trágicos, pitorescos ou controversos que também fazem parte desse universo, sempre atraíram grande interesse, tanto por parte do público quanto dos estudiosos do fenômeno esportivo.

    Um interesse que talvez se justifique pelo fato de que um mega espetáculo esportivo, como é o caso do futebol, é sempre mais do que um simples jogo ou prática atlética, mas um campo fértil para a elaboração de significações, identificações e projeções de nossos desejos, dilemas, alegrias e sofrimentos. Por meio da complexa rede de discursos que se desenvolve em torno do esporte, o que se desenrola dentro do campo de jogo entra sempre, de alguma forma, em relação com o que acontece fora dele. Como parte dessa rede, as (auto)biografias dos personagens esportivos são uma dessas linhas de fuga que, de diferentes maneiras, ligam o esporte e a vida, o jogo e a experiência existencial de seus aficionados. Daí, talvez, o nosso fascínio pela história do craque humilde que alcançou o estrelato apesar de todas as dificuldades, do dirigente poderoso que exerceu sua força sobre as instituições esportivas ou do simples garoto que imaginou um dia se tornar um ídolo e teve seu sonho ceifado pelas armadilhas do destino.

    Neste número da revista FuLiA/UFMG, nosso objetivo é reunir trabalhos que se dediquem a refletir sobre as múltiplas possibilidades de leitura dos relatos biográficos e autobiográficos sobre personagens do mundo do futebol e dos esportes em geral, considerando suas significações, suas relações com o modo como vivemos e construímos a experiência coletiva do esporte e sua importância na constituição de nossa cultura.

    Organizadores: Francisco Pinheiro (Universidade de Coimbra); Marcelino Rodrigues da Silva (Faculdade de Letras - UFMG).

    Saiba mais sobre CHAMADA v. 5, n. 3 (2020): submissão até 15 de outubro de 2020
  • CHAMADA v. 6, n. 1 (2021): submissão até 15 de dezembro de 2020

    2020-04-08

    O ESPORTE NAS ARTES E CIÊNCIAS SOCIAIS DE MOÇAMBIQUE

    CHAMADA611.jpg
    Imagem: Selos de Moçambique (Web).

    O esporte foi e ainda é uma questão política num sentido positivo e negativo. A sua profissionalização nas primeiras décadas do século XX fez com que certas barreiras de classe, gênero e “raça” se rompessem, funcionando como um instrumento de protesto e de resistência política. Regimes autoritários, geralmente, não mediram esforços em instrumentalizar e ideologizar a prática esportiva, quase sempre por um viés “masculino”.

    Sendo assim, desde o surgimento da era moderna do esporte (1896), os comitês responsáveis vêm se orientando pela nacionalidade e pelo gênero dos(as) atletas para organizarem suas competições, como se a divisão entre países, homens e mulheres fosse algo “natural”.

    Ao enfocar o universo moçambicano, marcado por intenso entusiasmo pelos desportos, surgem movimentos muito interessantes sobre as narrativas de gênero, nação, sociedade e cultura, evidenciadas pelas representações nos campos da linguagem, da cultura popular, da mídia e das artes e ciências humanas, onde os “jogos de poder” igualmente se manifestam e se digladiam.

    Serão bem-vindas contribuições de estudos que reflitam sobre a relação entre nacionalidade e gênero no esporte em Moçambique ou de estudos que, de modo geral, reflitam sobre o esporte nas artes, na mídia e nas ciências sociais moçabicanas, a partir de uma perspectiva específica ou interdisciplinar.

    Organizadores: Aurélio Rocha (Universidade Eduardo Mondlane, Moçambique); Elídio Nhamona (UEM); Gustavo Cerqueira Guimarães (UEM); Nuno Domingos (Universidade de Lisboa).

    Saiba mais sobre CHAMADA v. 6, n. 1 (2021): submissão até 15 de dezembro de 2020