Pequenos times, grandes disputas conflito, controle e fama em um time de futebol sul-mineiro

Conteúdo do artigo principal

Bruna Motta dos Santos
Marcos Paulo Mello

Resumo

O presente trabalho buscou abordar o futebol como um fenômeno social e o encarou como parte de um processo social mais amplo. Para este empreendimento, realizamos etnografia com jogadores, dirigentes e torcedores do Catanga Futebol Clube, time de futebol amador de Passa Quatro, região sul-mineira. Foi possível compreender como essa coletividade participava ativamente de dinâmica que envolvia operações de mapeamento, em que esses sujeitos se mantinham sempre atentos às ações e aos acontecimentos, sob os contornos de sociabilidade agonística que reforçava uma conflitividade latente, cujos embates de reputação orientavam aspectos desses personagens em narrativas sociais. Assim, na condição de representantes de uma localidade marginalizada na cidade, o time de futebol se tornou fonte de respeitabilidade e oportunidade de demonstrar o valor daquele lugar – o bairro era ressignificado pelo futebol por meio dos conflitos da torcida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
SANTOS, B. M. dos; MELLO, M. P. Pequenos times, grandes disputas: conflito, controle e fama em um time de futebol sul-mineiro. FuLiA/UFMG , Belo Horizonte/MG, Brasil, v. 7, n. 2, p. 137–161, 2022. DOI: 10.35699/2526-4494.2022.36798. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/fulia/article/view/36798. Acesso em: 15 abr. 2024.
Seção
DOSSIÊ
Biografia do Autor

Bruna Motta dos Santos, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Bruna Motta dos Santos

Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro/RJ, Brasil

Doutoranda em Antropologia Cultural , UFRJ

bruna-motta@outlook.com

Marcos Paulo Mello, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)

Marcos Paulo Mello

Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora/MG, Brasil

Mestre em Ciências Sociais, UFJF

Share |

Referências

BRASIL. IBGE. Censo Demográfico, 2020. Disponível em: https://bit.ly/3Bfon4m. Acesso em: 20 ago. 2020.

COMERFORD, J. Como uma família: sociabilidades, territórios de parentesco e sindicalismo rural. Rio de Janeiro: Relume Dumará – Núcleo de Antropologia da Política/UERJ, 2003.

DAINESE, G. Chegar à Terceira Margem: um caso de prosa, paixões e maldade. Anuário Antropológico/2014, Brasília, UnB, 2015, v. 40, n. 1, p. 233-255, 2015.

DAMATTA, R. Carnavais, malandros e heróis: para uma sociologia do dilema brasileiro. Rio de Janeiro: Rocco, 1997.

DAMO, A. Do dom à profissão: Uma etnografia do futebol espetáculo a partir da formação de jogadores no Brasil e na França. 2005. Tese (Doutorado em Antropologia Social), UFRGS, Porto Alegre, 2005.

DAMO, A. S. Futebol e antropologia. In: GIGLIO, S. SETTANIS. PRONI, M. W. (org.). O futebol nas ciências humanas no Brasil. Campinas: Editoria Unicamp, 2020.

DAMO, A. S. Senso de Jogo. Universidade de Santa Cruz do Sul, Esporte e Sociedade, n. 1, nov. 2005/fev. 2006.

GLUCKMAN, M. Rituais de rebelião no sudeste da África. Série Tradução, Brasília, v. 1, n. 3, s. p., 2011.

KESSLER, C. S. “Torcedor joga na palavra”: uma etnografia em jogos de equipes de futebol de mulheres de Porto Alegre/RS. In: KESSLER, C. S.; COSTA, L. M. da; PISANI, M. da S. As mulheres no universo do futebol brasileiro. Santa Maria: Editora UFSM, 2020.

MAUSS, M. O ensaio sobre a dádiva. Cosac & Naify, 2013.

MAGNANI, J. G. C. Da periferia ao centro: pedaços & trajetos. Revista de Antropologia, v. 35, p. 191-203, 1992.

MAGNANI, J. G. C. Festa no Pedaço: Cultura popular e lazer na cidade. São Paulo: Hucitec, UNESP, 2003.

MOSSRI, P. Apostila Passa Quatro. 1995.

PEREIRA, L. P. As vicissitudes da fama: os dons divinos e os pactos demoníacos entre os tocadores de viola de dez cordas do norte e noroeste mineiro. Revista de Antropologia, São Paulo, USP, v. 55, n. 2, 2012.

SALES, J. R. A tromba-d’água de 1956 em Passa Quatro/MG: perfil socioeconômico das vítimas fatais. Varginha, 2011.

SPAGGIARI, E. Família joga bola: constituição de jovens futebolistas na várzea paulistana. 2015. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, 2015.

SPAGGIARI, E. Futebol e antropologia, um jogo etnográfico “de categoria”. In: GIGLIO, S. S.; PRONI, M. W. (org.). O futebol nas ciências humanas no Brasil. Campinas: Editoria Unicamp, 2020.

TOLEDO, L. H. Torcidas organizadas de futebol. Campinas: Anpocs, 1996.