Elas, as boas de bola futebol no sertão norte-mineiro entre a prática e a resistência

Conteúdo do artigo principal

Andréia Luciana Ribeiro de Freitas
Alex Sander Freitas
Ester Liberato Pereira

Resumo

O futebol de campo feminino, em Montes Claros, cidade localizada na região norte de Minas Gerais, emerge, de uma forma oficial, por volta do ano de 1973, com esforços dos dois times da cidade, Cassimiro e Ateneu, que se dispuseram a criar plantéis de atletas. No Brasil, a deliberação nº 7, de 1965, do Conselho Nacional de Desportos (CND), proibia a prática de futebol de campo e de salão para as mulheres, reservando-os como práticas esportivas masculinas. Assim, o presente trabalho utilizou a narrativa de uma ex-atleta e as reportagens publicadas no Jornal de Montes Claros, no início da década de 1980, para entender os discursos que permeavam a prática do futebol de campo feminino. Inferimos que o futebol feminino foi abarcado pela população montes-clarense. No entanto, havia a permanência dos sistemas coercitivos e do discurso de fragilidade feminina para a manutenção do espaço esportivo como masculino; em contrapartida, a prática do futebol também era espaço de transgressão feminina.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
FREITAS, A. L. R. de; FREITAS, A. S.; PEREIRA, E. L. Elas, as boas de bola: futebol no sertão norte-mineiro entre a prática e a resistência. FuLiA/UFMG , Belo Horizonte/MG, Brasil, v. 8, n. 3, p. 132–154, 2023. DOI: 10.35699/2526-4494.2023.45176. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/fulia/article/view/45176. Acesso em: 12 abr. 2024.
Seção
DOSSIÊ
Share |

Referências

ALBERTI, Verena. História dentro da História. In: PINSK, Carla Bassanezi. (Org). Fontes Históricas. São Paulo: Contexto, 2008.

ALMEIDA, Caroline Soares de. “Boas de bola”: um estudo sobre o ser jogado-ra de futebol no Esporte Clube Radar durante a década de 1980. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social), UFSC, Florianópolis, 2013.

ALVES, Rogério Othon Teixeira. “Da ponta dos trilhos ao centenário inven-tado”: práticas modernas de divertimento em Montes Claros/ MG (1926-1957). Tese (Doutorado em Estudos do Lazer), EEFFTO/UFMG, 2018.

Artilheira Valeria é destaque pelo Ateneu. Jornal de Montes Claros, Montes Claros, p. 5, 04 fev. 1981.

Ateneu x Cassimiro com equipes femininas. Jornal de Montes Claros, Montes Claros, p. 5, 31 jan. 1981.

Ateneu e Cassimiro no campeonato estadual de futebol feminino. Jornal de Montes Claros, Montes Claros, p. 5, 28 fev. 1981.

BEAUVOIR, Simone de. O segundo sexo: fatos e mitos. Tradução: Sérgio Mil-liet. Capa: Fernando Lemos. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1970.

BITENCOURT, L. Prefácio. In: PIRES, Giovani de Lorenzi. (Org). Observatório da mídia esportiva: a cobertura jornalística dos Jogos Abertos de Santa Cata-rina, 2007.

BRASIL. Decreto Lei nº 3.199, de 14 de abril de 1941. Estabelece as normas para desporto em todo país. Rio de Janeiro, RJ, 1941.

BRASIL. Lei nº 6.251, de 8 de outubro de 1975. Institui normas gerais sobre desportos, e dá outras providências. Brasília, DF, 1975.

CAPELATO, Maria Helena Rolim. História da imprensa no Brasil. São Paulo: Contexto, 1998.

Clássico feminino antecipado para dia 13. Jornal de Montes Claros, Montes Claros, p. 5, 04 fev. 1981.

CND proíbe a pratica de futebol feminino. Jornal de Montes Claros, Montes Claros, p. 5, 16 mar. 1981.

CRENSHAW, Kimberlé. Documento para o encontro de espe¬cialistas em as-pectos da discriminação racial relativos ao gênero. Estudos Feministas, n. 10, p. 171-188, 2002.

DELGADO, Lucilia de Almeida Neves; História oral e narrativas: tempos, me-mória e identidades. História Oral, v. 6, Dossiê: Tempo e Narrativa, p. 9-25, 2003.

DIAS, Cleber. Esporte e cidade: balanços e perspectivas. Tempo, Niterói, v. 17, n. 34, p. 33-44, 2013.

DURÃES, Geraldo Magela. O Associativismo desportivo no estado de Mi-nas Gerais: estudo das “Praças de Esportes” com ênfase na criação do Montes Claros Tênis Clube. Tese (Doutorado em Ciências do Desporto), Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, 2011.

Entrevista a Gláucia Eliana Rodrigues gravada via Google Meet. Entrevistado-ra: Andréia Luciana Ribeiros de Freitas. Montes Claros/MG, CEMESP-Unimontes, 20’, 18 ago. 2021.

FRANZINI, Fábio. Futebol é "coisa para macho"? Pequeno esboço para uma história das mulheres no país do futebol. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 25, n. 50, p. 315-328, 2005.

Elas as boas de bola... Jornal de Montes Claros, Montes Claros, p. 5, 07 fev. 1981.

FERNANDES, Mario Luiz. A proximidade como valor-notícia na imprensa do interior. In: ASSIS, F. (Org.). Imprensa do interior: conceitos e contextos. Chapecó: Argos, 2013.

FOUCAULT, Michel. The subject and power. Critical Inquiry, v. 8, n. 4, Sum-mer, 1982, p. 777-795.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Tradução: Raquel Ramalhete. Petrópolis/RJ: Vozes, 1987.

FOUCAULT, Michel. Prefácio à transgressão. In: MOTTA, M. B. (Org.). Ditos e Escritos, v. I: Problematização do sujeito: psicologia, psiquiatria e psicanálise. Tradução: Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006, p. 152-161.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. Tradução: Laura Franca de Almei-da Sampaio. São Paulo: Editora Loyola, 2014.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade I: a vontade de saber. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 9 ed, 2019.

FOUCAULT, Michel. Arqueologia do saber. Tradução: Luiz Felipe Baeta Ne-ves, Rio de Janeiro: Fonseca Universitária, 2020.

FREITAS, Andréia Luciana Ribeiro de. Mulheres, “sexo fraco… Pois sim!”: práticas esportivas em Montes Claros/MG (1979 a 1986). Dissertação (Mestrado em História), Unimontes, Montes Claros/MG, 2022.

Futebol Feminino. Coluna Coquetel. Jornal de Montes Claros, Montes Cla-ros, p. 4, 27 jan. 1981.

Futebol feminino deverá empolgar torcedores locais. Jornal de Montes Cla-ros, Montes Claros, p. 5, 27 jan. 1981.

GABRIEL, Bruno José. A cobertura acerca da seleção brasileira de futebol feminino realizado pelo caderno de esporte da Folha de São Paulo (1991-2011). Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais Aplicadas), UEPG, Ponta Grossa/PR, 2015.

GLEYSE, Jacques; SOARES, Carmem Lúcia. Os manuais escolares franceses de Educação Física, de Higiene e de Moral seriam sexistas? (1880-2004). Educ. Soc., Campinas, v. 29, n. 102, p. 137-156, 2008.

GOELLNER, Silvana Vilodre; FARIA, M. F de. Bela, maternal e feminina: ima-gens da mulher na Revista Educação Physica. Ijuí: Unijuí, 2003, 152 p. (Cole-ção educação física). Pensar a Prática, Goiânia, v. 11, n. 2, p. 221-223.

GOELLNER, Silvana Vilodre. Mulheres e esporte no Brasil: entre incentivos e interdições elas fazem história. Pensar a Prática, 8 (1), p. 85-100, 2005-a.

GOELLNER, Silvana Vilodre. Mulheres e futebol no Brasil: entre sombras e visibilidades. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, v. 19, n. 2, p. 143-151, 2005-b.

GOMES, Fernanda Silva. Discursos contemporâneos sobre Montes Claros: (re)estruturação urbana e novas articulações urbano-regionais. Dissertação (Mestrado em Arquitetura), UFMG, Belo Horizonte, 2007.

HOLT, Richard. Primeiros esportes. In: CORBIN, Alain. (Org). História do cor-po: da Revolução a Grande Guerra, v. II. Petrópolis/RJ: Vozes, 2012.

JANUÁRIO, Soraya Barreto. Modos de ver: a (in)visibilidade feminina enquan-to profissional do esporte. XXXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Co-municação. São Paulo; Rio de Janeiro, 2015.

KNIJNIK, Jorge Dorfman. A mulher brasileira e o esporte: seu corpo, sua his-tória. São Paulo: Mackenzie, 2003.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, história e educação: construção e descons-trução. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 20, p. 99-108, 1995.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis/RJ: Vozes, 1997.

MAINGUENEAU, Dominique. Novas tendências em Análise do Discurso. Tradução: Freda Indursky. Campinas/SP: Pontes, 1993.

MARTINS, Leonardo Tavares; MORAES, Laura. Futebol feminino e sua inser-ção na mídia: a diferença que faz uma medalha de prata. Pensar a Prática, Goiânia, v. 1, n. 10, p. 69-81, jan./jun. 2007.

MEIHY, José Carlos Sebe B; RIBEIRO, Suzana L. Salgado. Guia prático de história oral para empresas, universidades, comunidades e famílias. São Paulo: Contexto, 2011.

MOURA, José Eriberto Lessa. As relações entre lazer, futebol e gênero. Dis-sertação (Mestrado em Educação Física), Unicamp, Campinas/SP, 2003.

MOURÃO, Ludmila Gênero e educação: teoria e política. In: LOURO, Guacira; NECKEL, Jane; GOELLNER, Silvana V. (Org.). Corpo, gênero e sexualidade: um debate contemporâneo em educação. Petrópolis/RJ: Vozes, 2003.

MOURÃO, Ludmila; MOREL, Marcia As narrativas sobre o futebol feminino: o discurso da mídia impressa em campo. Revista Brasileira de Ciências do Es-porte, Campinas, v. 26, n. 2, p. 73-86, jan. 2005.

NETTO, Américo R.. Esporte libertador da mulher. Revista Educação Physica, n. 10, p. 23-24; 92, jun.1933.

ORLANDI, Eni. Análise de Discurso: princípios e procedimentos. Campi-nas/SP: Pontes, 2005.

PÊCHEUX, Michel. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Campinas/SP: Editora Unicamp, 1995.

PEREIRA, Laurindo Mékie; LOPES, Irineu Ribeiro. Experiências e vivências dos trabalhadores da Companhia de Materiais Sulfurosos S. A. – MATSUL-FUR de Montes Claros/MG (1969-1994). Revista Semina, Passo Fundo/RS, v. 13, n. 1, p. 286-301, 2014.

PEREIRA, Marcela Caroline. Às margens de uma revista esportiva: a sele-ção brasileira de futebol feminino nas páginas da Placar (1991-2015). Disser-tação (Mestrado em Ciências Sociais Aplicadas), UEPG, Ponta Grossa/PR, 2018.

ROMERO, Eliane. A hierarquia de gênero no jornalismo esportivo. In: III Fórum de debate sobre mulher e esporte: mitos e verdades, 2004.

Saiote, é a novidade que as cassimirenses vão mostrar na 6.ª feira. JORNAL DE MONTES CLAROS, Montes Claros, p. 5, 25 mar. 1981.

SANTOS, Doiara Silva dos; MEDEIROS, Ana Gabriela Alves. O futebol femini-no no discurso televisivo. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Floria-nópolis, v. 34, n. 1, p. 185-196, jan./mar. 2012.

SILVA, Lindon Jonhson Dias da. A modernidade no sertão: a experiência do I Plano Diretor de Montes Claros na década de 1970. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Social), Unimontes, Montes Claros/MG, 2008.

SIQUEIRA, Nathália Cristina Pinheiro. Fragilidade, ode ao corpo e “derrota”: Uma pesquisa sobre como a mulher no esporte é representada no jornal Cor-reio Braziliense. Trabalho apresentado à Faculdade de Ciências Sociais Apli-cadas Bacharelado em Jornalismo do Centro Universitário de Brasília, 2007.

SOARES, Carmem Lúcia. As roupas nas práticas corporais e esportivas: a educação do corpo entre o conforto, elegância e eficiência (1920-1940). Cam-pinas/SP: Autores Associados, 2011.

SOUZA, Juliana Sturmer Soares; KNIJNIK, Jorge Dorfman. A mulher invisível: gênero e esporte em um dos maiores jornais diários do Brasil. Revista Brasi-leira de Educação Física e Esportes; 21(1): 35-48, jan.-mar. 2007.

TELLES, Gabriella Pereira. País do Futebol… Feminino? A (in)visibilidade das mulheres quando nas linhas. Rio de Janeiro, 2017. Monografia (Gradua-ção em Comunicação Social/Jornalismo), Escola de Comunicação, UFRJ, 2017.

TOLVHED, Helena. “Sex dilemmas, amazons and cyborgs: feminist cultural studies and sport”, Culture Unbound, Journal of Current Cultural Research. v. 5, 2013, p. 273-289.

WITTER, João Sebastião. O que é futebol. São Paulo, Brasiliense, 1990.