“Médias” e “desvios” na análise geográfico-climatológica: o episódio de chuva concentrada do dia 23 de novembro de 2010 e o veranico de janeiro/fevereiro de 2011 em Belo Horizonte - MG

  • Carlos Henrique Jardim Universidade Federal de Minas Gerais
Palavras-chave: Eventos extremos, Variabilidade climática, Impacto ambiental

Resumo

A compreensão de um fato climático sob a perspectiva geográfica exige que se reconheçam alguns aspectos: a gênese (origem, causa) do fenômeno, interação com os componentes do meio (relevo, uso da terra etc.) e sua repercussão sobre as organizações espaciais terrestres (ecossistemas florestais, áreas agrícolas, cidades etc.). Com o objetivo de demonstrar essa relação elaborou-se um breve resgate teórico ao redor do significado do conceito “clima”, considerando as variações da chuva em Belo Horizonte - MG, a partir do episódio de chuva intensa do dia 23 de novembro de 2010 (147 mm de chuva) e o episódio de veranico entre janeiro e fevereiro de 2011. Isso exigiu, primeiramente, um resgate junto à literatura especializada, a análise de série histórica de chuva em Belo Horizonte, assim como a caracterização dos eventos em destaque. Os resultados mostraram que os desvios nas variações dos elementos climáticos fazem parte da variabilidade natural do clima. Entretanto, a repercussão negativa desses eventos ocorre devido a intervenções não ajustadas às características ambientais como alterações no perfil hidrológico dos rios, modificações nas características das vertentes, quase ausência de áreas verdes, serviços de limpeza urbana ineficiente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Henrique Jardim, Universidade Federal de Minas Gerais
Professor Adjunto do Departamento de Geografia do IGC/UFMG.
Publicado
2012-06-01
Seção
Artigos