Entre distopias e utopias conjunturais

o lugar e o papel das mulheres das cidades brasileiras

Autores

  • Yara Coelho Neves Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Juiz de Fora, Brasil
  • Jessica Rossone Alves Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, Brasil https://orcid.org/0000-0002-9921-3158

DOI:

https://doi.org/10.35699/2525-3263.2020.29017

Palavras-chave:

Direito à cidade, Cidadania urbana, Gênero

Resumo

Na perspectiva do mundo capitalista ocidental, a pandemia do novo coronavírus escancarou e potencializou as desigualdades deste modelo de sociedade. Na conjuntura brasileira, em um momento de caos político e econômico, agravam-se as disparidades sociais e a lógica segregacionista do espaço urbano, em um momento no qual anseios utópicos transformamse em realidades distópicas. Debruçadas majoritariamente sobre escritos de mulheres e observando a atual conjuntura, discutimos as cidades a partir da perspectiva do corpo feminino, que foi historicamente aprisionado e relegado ao espaço privado. Observamos que a relação entre tal aprisionamento e a privatização da terra reflete-se ainda hoje nas cidades e na apropriação destas por nós, mulheres. Ao interseccionar a problemática de gênero com a racial, notamos que as mulheres negras acabam sendo as mais afetadas pela atual estrutura social, pois ocupam majoritariamente os espaços de exploração e subjugação. Nesse sentido, questionamos como podemos nos apropriar dos espaços urbanos, se ainda estamos lutando para nos apropriar de nossos próprios corpos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Yara Coelho Neves, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Juiz de Fora, Brasil

Arquiteta e Urbanista pela Universidade Federal de Juiz de Fora, Mestra pelo Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal da Bahia.

Jessica Rossone Alves, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, Brasil

Arquiteta e Urbanista e Mestra em Ambiente Construído pela Universidade Federal de Juiz de Fora. Doutoranda do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Referências

ARRUZZA, C; FRASER, N; BHATTACHARYA, T. Feminismo para os 99%: um manifesto. São Paulo: Boitempo, 2019.

ASSUNÇÃO, D. A precarização tem rosto de mulher. São Paulo: Iskra, 2013.

BEAUVOIR, S. O segundo sexo. Vol. 2. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009. Trad. Sergio Milliet.

BERTH, J. As cidades brasileiras não foram projetadas para a diversidade. Casa Vogue, 2018. Disponível em: https://casavogue.globo.com/Casa-Vogue-Experience/noticia/2018/11/cidades-brasileiras-nao-foram-projetadas-para-diversidadedisse-arquiteta-joice-berth.html. Acesso em: 18 ago. 2020.

CHAUÍ, M. Notas sobre utopia. Ciência e Cultura, São Paulo, v. 60, n. 1 - Especial, p. 7-12, 2008.

CORREIA, A; COELHO, C; SALES, L. Cidade Interseccional: O Direito à Cidade nas Perspectivas de Gênero e Raça.

Observatório das Metrópoles, 2018. Disponível em: https://www.observatoriodasmetropoles.net.br/o-direito-cidade-nasperspectivas-de-genero-e-raca/. Acesso em: 10 ago. 2020.

FEDERICI, S. Calibã e a bruxa: mulheres, corpo e acumulação primitiva. São Paulo: Elefante, 2017. Trad. Coletivo Sycorax.

FELIPPSEN, C. Vivência no Território, Ações Locais e Representatividade: Curso Formação de Educação Patrimonial “Valongo, Cais de Ideias”. 02 de dezembro de 2020. Notas de aula.

FERNANDES, S. Sintomas Mórbidos: A encruzilhada da esquerda brasileira. São Paulo: Autonomia Literária, 2019.

FERREIRA, K; SILVA, G. R. Urbanismo feminista. In: Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional, 17, 2017, São Paulo.

FRANCO, M. UPP – A Redução da Favela a Três Letras: Uma Análise da Política de Segurança Pública do Estado do Rio De Janeiro. Dissertação (Mestrado em Administração) - Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal Fluminense. Niterói. 2014.

GARCIA, A. S. Desigualdades raciais e segregação urbana em antigas capitais: Salvador, cidade d’Oxum e Rio de Janeiro, Cidade de Ogum. Rio de Janeiro: Garamond, 2009.

GONZALEZ, L; HASENBALG, C. Lugar de Negro. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1982.

HARVEY, D. Cidades Rebeldes: do direito à cidade à revolução urbana. São Paulo: Martins Fontes, 2014. Trad. Jeferson Camargo.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD COVID19. 2020. Disponível em: https://covid19.ibge.gov.br/pnad-covid/. Acesso em 30 nov. 2020.

JESUS, C. M. Quarto de despejo: diário de uma favelada. São Paulo: Ática, 2014.

KILOMBA, G. Memórias da Plantação. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

LEFEBVRE, H. O Direito à Cidade. São Paulo: Centauro, 2001.Trad. Rubens Eduardo Frias

MONTANER, J. M; MUXÍ, Z. A cidade próxima: o urbanismo sem gênero. In: Arquitetura e Política: ensaios para mundos alternativos. São Paulo: Gustavo Gili, 2014.

MONTEIRO et al. O Protagonismo Feminino na Luta Contra as Remoções do Rio de Janeiro. In: TANAKA, G. et al. (org.). Viva a Vila Autódromo: O Plano Popular e a Luta Contra a Remoção. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2018. p. 288 – 309.

NEVES, Y. C. Amarrar fios, cartografar lugares: Notícias, Política e Cotidiano no Pelourinho. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal da Bahia. Salvador. 2019.

PEREIRA, G. L. Corpo, discurso e território: a cidade em disputa nas dobras da narrativa de Carolina Maria de Jesus. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) – Programa de PósGraduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal da Bahia. Salvador. 2015.

SAFFIOTI, H. O Poder do Macho. São Paulo: Moderna, 1987. ______. A questão da mulher na perspectiva socialista. Lutas Sociais. N. 27. 2011.

TEIXEIRA, S. M. F. Política social e democracia: reflexões sobre o legado da seguridade social. Cad. Saúde Pública. V.1, N.4. 1985.

TEIXEIRA, S. M. F; PINHO, C E. S. A Desconstrução da Democracia Social e da Cidadania Urbana no Brasil. Textos Para Debate. Fiocruz, 2019.

TV UFBA na íntegra HD - Angela Davis - Conferência Completa em Alta Definição. TV UFBA. 2017, 2h 10min, son., color. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=waCyuZZap9I Acesso em: 30 nov. 2020.

Downloads

Publicado

2020-12-31 — Atualizado em 2020-12-31

Como Citar

Neves, Y. C., & Alves, J. R. (2020). Entre distopias e utopias conjunturais: o lugar e o papel das mulheres das cidades brasileiras. Indisciplinar, 6(2), 234–253. https://doi.org/10.35699/2525-3263.2020.29017