Eternamente estrangeiros: judeus na Inglaterra do século XI no romance de Walter Scott

  • Ethel Mizrahy Cuperschmid Universidade Federal de Minas Gerais
Palavras-chave: Idade Média, Romance histórico, Judaísmo, Ivanhoé

Resumo

O presente artigo discute a representação de personagens judeus do romance histórico Ivanhoé, de Walter Scott. Durante a Idade Média, a comunidade judaica na Inglaterra estava sob a proteção de nobres e também à mercê de taxações arbitrárias, bem como de leis discriminatórias. Até que ponto a obra de Walter Scott contribui para desvendar esse universo da diáspora? Sua narrativa reforça estereótipos ou apenas ilustra ficcionalmente uma realidade onde as diferenças eram sistematicamente marcadas?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ethel Mizrahy Cuperschmid, Universidade Federal de Minas Gerais

Mestre e Doutora em História pela Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal de Minas Gerais. Atualmente coordena o Centro de Memória da Medicina da Faculdade de Medicina UFMG.

Referências

LE GOFF, Jacques. A civilização do Ocidente medieval. Trad. José Rivair de Macedo. Bauru; SP: Edusc, 2005.

POLIAKOV, Leon. De cristo aos judeus da corte. História do anti-semitismo I. Trad. Jair Korn e J. Ginsburg. São Paulo: Perspectiva, 1979.

ROTH, Cecil. Pequena história do povo judeu. Segundo Volume. Diáspora – 425-1492. Trad. Enanuele Corinaldi. São Paulo: Congregação Israelita Paulista; Fundação Fritz Pinkuss, 1963.

SCOTT, Walter. Ivanhoé. Trad. Roberto Nunes Whitaker. São Paulo: Nova Cultural, 2003.

YERUSHALMI, Yosef Hayim. Zakhor: história judaica e memória judaica. Trad. Lina G. Ferreira da Silva. Rio de Janeiro: Imago, 1992.

Publicado
2010-10-30
Como Citar
Cuperschmid, E. M. (2010). Eternamente estrangeiros: judeus na Inglaterra do século XI no romance de Walter Scott. Arquivo Maaravi: Revista Digital De Estudos Judaicos Da UFMG, 4(7), 18-26. https://doi.org/10.17851/1982-3053.4.7.18-26