DRIF: notação para representação diagramática de fluxo de informação e comportamento informacional em processos organizacionais

Autores

Palavras-chave:

fluxo de informação, comportamento informacional, notação, processos organizacionais

Resumo

Gerenciar o fluxo de informação produzido nas organizações é um dos grandes desafios enfrentados por gestores. Representar o fluxo de informação acrescido de considerações do comportamento informacional dos atores apresenta-se como uma alternativa inédita de visualização da complexidade da dinâmica da informação no contexto organizacional. Este estudo teve como objetivo propor uma notação, denominada de DRIF, para representar o fluxo de informação enriquecido por considerações de comportamento informacional em processos organizacionais. Classificado como aplicado quanto à sua natureza e exploratório quanto aos objetivos, o estudo foi operacionalizado por meio da Design Science Research (DSR). Possui como contribuição a criação de uma notação com bases teóricas de ciência da computação, administração e ciência da informação para representar de forma visual o fluxo de informação em processos e que ainda considera aspectos de comportamento informacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARAÚJO, W. C. O.; SILVA, E. L. da; VARVAKIS, G. Fluxos de informação em projetos de inovação: estudo em três organizações. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 22, n. 1, p. 57-79, Mar. 2017.

ASSOCIATION OF BUSINESS PROCESS MANAGEMENT PROFESSIONALS BRAZIL. BPM CBOK: guia para o Gerenciamento de Processos de Negócio: Corpo Comum do Conhecimento: ABPMP BPM CBOK, v. 3.0, ABPMP, 2013.

BARRETO, A. Mudança estrutural no fluxo de conhecimento: a comunicação eletrônica. Ciência da Informação, Brasília, v. 27, n. 2, 1998.

BEAL, A. Gestão estratégica da informação: como transformar a informação e a tecnologia da informação em fatores de crescimento de alto desempenho nas organizações. São Paulo: Atlas, 2004. p. 137.

BOCCATO, V. R. C.; FERREIRA, E. M. Estudo comparativo entre o grupo focal e o protocolo verbal em grupo no aprimoramento de vocabulário controlado em fisioterapia: uma proposta metodológica qualitativa-cognitiva. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, v. 5 n. 1, n. 1, p. 47-68, 2014. DOI: 10.11606/issn.2178-2075.v5i1p47-68 Acesso em: 29 ago. 2020.

BYSTRÖM, K.; JÄRVELIN, K. Task complexity affects information seeking and use. Information Processing and Management, v. 31, n. 2, p. 191-213, mar./abr. 1995. Disponível em: http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/030645739580035R. Acesso em: 20 dez. 2019.

BYSTRÖM, K.; HANSEN, P. Conceptual framework for tasks in information studies. Journal of the American Society for Information Science & Technology, 56(10), 1050-1061. 2005.

BYSTRÖM, K.; LLOYD, A. Practice theory and work task performance: How are they related and how can they contribute to a study of information practices. Proceedings of the American Society for Information Science and Technology, 49(1), 1-5. 2012.

CHINOSI, M.; TROMBETTA, A. BPMN: An introduction to the standard. Computer Standards & Interfaces, v. 34, n. 1, p. 124-134, 2012.

CHOO, C. W. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. 2. ed. São Paulo: Editora Senac, 2006. p. 425.

DAVENPORT, T. H. Ecologia da informação: por que só a tecnologia não basta para o sucesso na era da informação. São Paulo: Futura, 1998.

DRESCH, A.; LACERDA, D. P.; ANTUNES JUNIOR, J. A. V. Design Science Research: método de pesquisa para avanço da ciência e tecnologia. Porto Alegre: Bookman, 2015.

FISHER, K.; LANDRY, C.; NAUMER, C. Social spaces, casual interactions, meaningful exchanges: ‘Information ground’ characteristics based on the college student experience. Information Research, 12, 2007. Disponível em: p://www.informationr.net/ir/12-2/paper291.html. Acesso em: 22 dez. 2019.

FOWLER, M. UML Distilled: A Brief Guide to the Standard Object Modeling Language. [S.l.: s.n.], 2003.

FREUND, J. RÜCKER, B. HITPASS, B. BPMN 2.0 Manual de referencia y Guía Práctica. 1 edição. Santiago de Chile. Disponível em: https://www.academia.edu/17474893/BPMN_2_0_Manual_de_Referencia_y_Gu%C3%ADa_Pr%C3%A1ctica_Spanish_Edition. Acesso em: 18 Jun 2019.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo, SP, Ed. Atlas, 2008. 216 p.

GONZÁLEZ DE GOMÉZ, M. N. Metodologia da pesquisa no campo da Ciência da Informação. Datagramazero: Revista de Ciência da Informação, v.1,n. 6, dez/2000.

GUEDES, G. T. A. UML 2 : uma abordagem prática. São Paulo: Novatec Editora, 2009.

HANSEN, P. User interface design for IR interaction: A task-oriented approach. In T. APARAC, T. SARACEVIC, P. INGWERSEN, P. VAKKARI (Eds.), Digital libraries: Interdisciplinary concepts, challenges and opportunities, Conceptions of the Library and Information Science (CoLIS3). p. 191–205, 1999.

HARRINGTON, H. J. Aperfeiçoando os processos empresariais: estratégia revolucionária para o aperfeiçoamento da qualidade, da produtividade e da competitividade. São Paulo: Makron Books, 1993. 342p.

HEVNER, A. R. et al. Design Science in information systems research. MIS Quarterly, v. 28, n. 1, p. 75-105, 2004.

HIKAGE, O. K. Planejamento da evolução de sistemas de tecnologia da informação: estudo de casos múltiplos em empresas de manufatura. Tese (Doutorado), 142f. Universidade de São Paulo. São Paulo, 2011.

LE COADIC, Y. F. A ciência da informação. Brasília: Briquet de Lemos, 2004.

MARTINS, J. A. Fluxo de informação no processo de produção de material didático na EaD. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação. UFSC, Florianópolis, 2011.

MINAYO, M. C. de S. O desafio da pesquisa social. In: DESLANDES, Suely F.; GOMES, Romeu; MINAYO, M. C. de S. (Org.). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 28. ed., Petrópolis, RJ: Vozes, 2009. p. 9-29.

OMG. Object Management Group, 2019. Unified Modeling Language. Disponível em: https://www.omg.org/spec/UML. Acesso em: 14 mai 2019.

OMG. Object Management Group, 2019. Business Process Model and Notation. Disponível em: https://www.omg.org/spec/BPMN/. Acesso em: 17 jun 2019.

ROBBINS, S. P. Comportamento Organizacional. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 11ª ed., 2005.

SMITH. H.; FINGAR, P. Business Process Management: Third Wave, Meghan Kiffer, 2003.

TARAPANOFF, K. Informação, conhecimento e inteligência em corporações: relações e complementaridade. In: TARAPANOFF, K. O. (Ed.). Inteligência, informação e conhecimento. Brasília: IBICT, 2006. p. 19-36. 2006.

TRIST, E. L. The Evolution of Sociotechnical Systems. Documento n. 2, Ontario Quality of Working Life Center, Toronto, Ontario, junho, 1981.

UNIFIED Modeling Language (UML) Specification, version 2.5.1, 2017. Disponível em: https://www.omg.org/spec/UML/2.5.1/PDF. Acesso em: 16 mai 2019.

VALENTIM, M. L. P. Ambientes e fluxos de informação. In: VALENTIM, M. L. P. (Org.). Ambientes e fluxos de informação. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010. p. 13-22.

VIEIRA, E. M. F. Fluxo informacional como processo à construção de modelos de avaliação para implantação de cursos em educação a distância. Tese (Doutorado), 1v. 184f. Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento. UFSC, Florianópolis, 2006.

WAJZENBERG, A. Recursos humanos e tecnologia da informação: uma abordagem alternativa. Dissertação (Mestrado em Administração) - Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas, Fundação Getúlio Vargas - FGV, Rio de Janeiro, 1997.

WEBER, L. M. D.; Na contramão da informação: os fluxos informacionais como subsídio à tomada de decisão na Universidade Estadual do Centro Oeste, UNICENTRO. Dissertação (Mestrado), 1v. 109f. Programa de Pós-Graduação em Gestão da Informação. UEL, Londrina: 2011.

Downloads

Publicado

2021-12-04

Como Citar

RUAS, W. J.; BAX, M. P. DRIF: notação para representação diagramática de fluxo de informação e comportamento informacional em processos organizacionais. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, [S. l.], n. Especial, 2021. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/moci/article/view/37093. Acesso em: 18 maio. 2022.