A Evasão na Perspectiva de quem Persiste: um Estudo sobre os Fatores que Influenciam na Decisão de Evadir ou Persistir em Cursos de Licenciatura em Física Pautado pelos Relatos dos Formandos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28976/1984-2686rbpec2020u245273

Palavras-chave:

Evasão, Licenciatura em Física, Persistência

Resumo

Centrados no problema da evasão em cursos de licenciatura, investigamos o processo de tomada de decisão entre persistir ou evadir a partir de uma perspectiva pouco explorada na literatura: a dos que superaram as dificuldades e se graduaram. Como parte da primeira etapa de uma pesquisa-ação que tem como objetivo institucionalizar ações de combate à evasão nos cursos de licenciatura em Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, entrevistamos doze formandos para investigar quais foram suas motivações para concluir o curso e de que modo a instituição pode fomentar a persistência dos demais alunos. Fundamentados no modelo de Tinto sobre persistência universitária e nas orientações metodológicas de Yin, concluímos que são elementos importantes para fomentar a persistência dos estudantes: i. as suas crenças sobre suas competências para suprirem as demandas do curso (crenças de autoeficácia) e sobre o quanto se sentem pertencentes e valorizados no curso (senso de pertencimento), e ii. a construção de uma identificação com a profissão de professor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Azzi, R. G., Mercuri, E., & Moran, R. C. (1996). Fatores que interferem na decisão de desistência de curso no primeiro ano de graduação. In Anais do III Congresso Nacional de Psicologia Escolar. (p. 144–146). Rio de Janeiro, RJ.

Bardagi, M. P., & Paradiso, Â. C. (2003). Trajetória acadêmica e satisfação com a escolha profissional de universitários em meio de curso. Revista Brasileira de Orientação Profissional, 4(1–2), 153–166.

Bardagi, M. P., & Hutz, C. S. (2005). Evasão universitária e serviços de apoio ao estudante: uma breve revisão da literatura brasileira. Psicologia Revista, 14(2), 279–301.

Bardagi, M. P., & Hutz, C.S. (2012). Rotina acadêmica e relação com colegas e professores: impacto na evasão universitária. Psico, 43(2), 174–184.

Braga, M. M., Peixoto, M. C., & Bogutchi, T. F. (2003). A evasão no ensino superior brasileiro: o caso da UFMG. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, 8(1), 161–189.

Cerqueira, T. C. S. (2003). Evasão do curso de Pedagogia da UnB: a interpretação do aluno evadido. In Anais do III Congresso Nortenordeste de Psicologia - Construindo a Psicologia Brasileira: Desafios da Ciência e Prática Psicológica (p. 282–283). João Pessoa, PB.

Daitx, A. C., Loguercio, R. Q., & Strack, R. (2016). Evasão e retenção escolar no curso de licenciatura em química do Instituto de Química da UFRGS. Investigações em Ensino de Ciências, 21(2), 153–178.

Elliott, J. (1991). Action Research for Educational Change. Philadelphia: Open University Press.

Evangelho, B., Machado, L., Dorneles, P., & Massoni, N. (2019). Permanência no Curso de Licenciatura em Física da Unipampa Campus Bagé: um estudo exploratório com estudantes em fase final de curso. Revista Thema, 16(3), 501–515.

Heidemann, L. A., Giongo, S. L., Moraes, K. R. de M. (no prelo). Evadir ou persistir? Uma disciplina introdutória centrada no fomento à persistência nos cursos de licenciatura em Física. Revista Brasileira de Ensino de Ciências e Matemática.

Junior, J. D. S. S., & Real, G. C. M. (2017). A evasão na educação superior: o estado da arte das pesquisas no Brasil a partir de 1990. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, 22(2), 385–402.

Lei n. 12.711, de 29 de agosto de 2012 (2012). Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, DF.

Lima Junior, P., Ostermann, F., & Rezende, F. (2012). Análise dos condicionantes sociais da evasão e retenção em cursos de graduação em Física à luz da sociologia de Bourdieu. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 12(1), 37–60.

Lima Júnior, P. R. M. (2013). Evasão do ensino superior de Física segundo a tradição disposicionalista em sociologia da educação. (Tese de doutorado em Ensino de Física). Instituto de Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Massi, L., & Villani, A. (2015). Um caso de contratendência: baixa evasão na licenciatura em química explicada pelas disposições e integrações. Educação e Pesquisa, 41(4), 975–992.

Mercuri, E., Moran, R. C., & Azzi, R. G. (1995). Análise de um estudo piloto sobre evasão de curso do primeiro ano de graduação de uma universidade pública estadual. In Anais da 18ª Reunião Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPPED). (p. 198). Caxambú, MG.

Moraes, K. R. de M. (2020). Uma investigação exploratória sobre as implicações das experiências de primeiro semestre de curso na decisão de evadir ou persistir dos estudantes de licenciatura em física da UFRGS. (Dissertação de Mestrado Acadêmico em Ensino de Física). Instituto de Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Mercuri, E., & Bridi, J. C. A. (2001). O desenvolvimento do compromisso com o curso como fator de permanência na universidade. In Resumos de Comunicações da XXXI Reunião Anual de Psicologia. (p. 190). Rio de Janeiro.

Moura, C. B. D., & Menezes, M. V. (2004). Mudando de opinião: análise de um grupo de pessoas em condição de re-escolha profissional. Revista Brasileira de Orientação Profissional, 5(1), 29–45.

Oliveira, C. T., & Dias, A. C. G. (2014). Dificuldades na trajetória universitária e rede de apoio de calouros e formandos. Psico, 45(2), 187–197.

Oliveira, T. E. de. (2016). Aprendizagem de física, trabalho colaborativo e crenças de autoeficácia: um estudo de caso com o método team-based learning em uma disciplina introdutória de eletromagnetismo. (Dissertação de Mestrado Acadêmico em Ensino de Física). Instituto de Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Palharini, F. de A. (2004). Elementos para a compreensão do fenômeno da evasão na UFF. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, 9(2), 51–80.

Palma, A. M. P. V., Palma, S. P. V., & Brancaleoni, A. P. L. (2005). Prevenção à evasão no ensino superior: necessária implementação de orientação profissional a graduandos em desligamento. In M. C. P. Lassance, A. C. Paradiso, M. P. Bardagi, M. Sparta, & S. L. Frischenbruder (Org.), Intervenção e compromisso social – Orientação profissional teoria e técnica (pp. 303–317). São Paulo, SP: Vetor.

Polydoro, S. A. J. (2000). O trancamento de matrícula na trajetória acadêmica do universitário: condições de saída e retorno à instituição. (Tese de Doutorado em Educação). Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

Saldaña, P. (2017, 23 de janeiro). Quase 50% dos professores não têm formação na matéria que ensinam. Folha de São Paulo. Disponível em https://www1.folha.uol.com.br/educacao/2017/01/1852259-quase-50-dos-professores-nao-tem-formacao-na-materia-que-ensinam.shtml

Silva Filho, R. L. L., Motejunas, P. R., Hipólito, O., & Lobo, M. B. C. M. (2007). A evasão no ensino superior brasileiro. Cadernos de pesquisa, 37(132), 641–659.

Tinto, V. (1975). Dropout from higher education: A theoretical synthesis of recent research. Review of Educational Research, 45(1), 89–125.

Tinto, V. (1997). Classrooms as communities: Exploring the educational character of student persistence. The Journal of Higher Education, 68(6), 599–623.

Tinto, V. (1998). Colleges as communities: Taking research on student persistence seriously. The Review of Higher Education, 21(2), 167–177.

Tinto, V. (2006). Research and practice of student retention: What next?. Journal of College Student Retention: Research, Theory & Practice, 8(1), 1–19.

Tinto, V. (2017). Through the eyes of students. Journal of College Student Retention: Research, Theory & Practice, 19(3), 254–269.

Veloso, T. C. M., & de Almeida, E. P. (2002). Evasão nos cursos de graduação da Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Universitário de Cuiabá–um processo de exclusão. Série-Estudos-Periódico do Programa de Pós-Graduação em Educação da UCDB, (13), 133–148.

Yin, R. K. (2015). Qualitative Research from start to finish. 2. ed. The Guilford Press.

Downloads

Publicado

2020-04-28

Como Citar

Tasca Pigosso, L., Schons Ribeiro, B., & Albuquerque Heidemann, L. (2020). A Evasão na Perspectiva de quem Persiste: um Estudo sobre os Fatores que Influenciam na Decisão de Evadir ou Persistir em Cursos de Licenciatura em Física Pautado pelos Relatos dos Formandos. Revista Brasileira De Pesquisa Em Educação Em Ciências, 20(u), 245-273. https://doi.org/10.28976/1984-2686rbpec2020u245273

Edição

Seção

Artigos