A simulação da reanimação cardiopulmonar e o conhecimento de socorristas

Estudo quase-experimental

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2022.39427

Palavras-chave:

Conhecimento, Parada Cardíaca, Simulação, Reanimação Cardiopulmonar.

Resumo

Objetivo: comparar o conhecimento de socorristas antes e depois da capacitação de reanimação cardiopulmonar com o método da simulação realística. Método: estudo quase-experimental realizado com 41 socorristas do Suporte Básico de Vida que contemplam 8 bases da 18° Regional de Saúde do Paraná. Os socorristas responderam ao Instrumento para Avaliação da capacitação em Ressuscitação Cardiopulmonar aplicado antes e depois da simulação realística. Resultados: obteve-se diferença estatisticamente significativa (p < 0,02) em 6 das 10 questões, as quais abordaram: a sequência das manobras de reanimação cardiopulmonar; a carga elétrica do desfibrilador externo automático; a posição, a profundidade e a velocidade das compressões torácicas; a relação compressão/ventilação; e o manuseio do desfibrilador externo automático. Já em outras duas questões — reconhecimento da parada cardiorrespiratória e dispositivo de ventilação com pressão positiva — não houve mudança quanto à alternativa de resposta. Encontraram-se 60% de acertos das questões quando avaliado o conhecimento prévio e 90% de acertos após as fases da simulação realística. Conclusão: os socorristas não atingiram com totalidade o questionário de pré-teste; entretanto, após a estratégia da simulação realística, houve um aumento significativo desse conhecimento. Esses resultados demonstraram melhoria no conhecimento cognitivo dos socorristas após simulação, o que foi comprovado pelo aumento de conhecimento expresso no pós-teste. Essa metodologia também pode ser aplicada com sucesso a essa categoria profissional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Bryant K, Aebersold ML, Jeffries PR, Kardong-Edgren S. Innovations in simulation: Nursing leaders' exchange of best practices. Clin Simul Nurs. 2019[citado em 2021 abril 14];41:33-40. Disponível em: https://e-tarjome.com/storage/panel/fileuploads/2020-04-29/1588156583_E14790-e-tarjome.pdf

Jeffries PR. The NLN Jeffries simulation theory. Wolters Kluwer, New York: National League for Nursing, 2016.

Linn AC, Caregnato RCA, Souza EM. Clinical simulation in nursing education in intensive therapy: an integrative review. Rev Bras Enferm. 2019[citado em 2021 abril 14];72(4):1061-70. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672019000401061&lng=en

Ng YY, Leong SHB, Ong MEH. The role of dispatch in resuscitation. Singapore Med J. 2017[citado em 2021 abril 14];58(7):449-52. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/28741009/

Sayed ME, Assad RA, Aad YA, Gharios N, Refaat MM, Tamim H. Measuring the impact of emergency medical services (EMS) on out-of-hospital cardiac arrest survival in a developing country. Med (NY). 2017[citado em 2021 abril 14];96(29): e7570. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/28723789/

American Heart Association. Guidelines for cardiopulmonary resuscitation and emergency cardiovascular care [Internet]. Dallas: American Heart Association; 2020[citado em 2021 abril 14]. Disponível em: https://cpr.heart.org/-/media/cpr-files/cpr-guidelines files/highlights/hghlghts_2020eccguidelines_portuguese.pdf

Moura JG, Brito MPS, Rocha GOS, Moura LTR. The Knowledge and Acting of a Nursing Team from a Sector of Cardiorespiratory Arrest Urgent Care. Rev Fund Care Online. 2019[citado em 2021 abril 14];11(3):634-40. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/6640/pdf

Yan S, Gan Y, Jiang N, Wang R, Chen Y, Luo Z, et al. The global survival rate among adult out-of-hospital cardiac arrest patients who received cardiopulmonary resuscitation: a systematic review and meta-analysis. Crit Care. 2020[citado em 2021 abril 14];24(1):61. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/32087741/

Rudolph JW, Simon R, Dufresne RL, Raemer DB. There's no such thing as "nonjudgmental" debriefing: a theory and method for debriefing with good judgment. Simul Healthc. 2006[citado em 2021 abril 14];1(1):49-55. Disponível em: https://journals.lww.com/simulationinhealthcare/Fulltext/2006/00110/There_s_No_Such_Thing_as__Nonjudgmental_.6.aspx/

Lucas MG, Nalin GV, Sant’Anna ALGG, Oliveira SA, Machado RC. Validation of content of an instrument for evaluation of training in cardiopulmonary resuscitation. REME. 2018[citado em 2021 abril 15];22:e-1132. Disponível em: https://www.scielo.br/j/reben/a/xs83trTCYB6bZvpccTgfK3w/?lang=en

American Heart Association. Guidelines for cardiopulmonary resuscitation and emergency cardiovascular care. 2015[citado em 2021 abril 15]. Disponível em: https://eccguidelines.heart.org/wp-content/up loads/2015/10/2015-AHA Guidelines-High lights-Portuguese.pdf

Saramma PP, Raj LS, Dash PK, Sarma PS. Assessment of long-term impact of formal certified cardiopulmonary resuscitation training program among nurses. Indian J Crit Care Med. 2016[citado em 2021 abril 15];20(4):226-32. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4906335/

Meira Júnior LE, Souza FM, Almeida LC, Veloso GGV, Caldeira AP. Avaliação de treinamento em suporte básico de vida para médicos e enfermeiros da atenção primária. Rev Bras Med Fam Comunidade. 2016[citado em 2021 abril 15];11(38):1-10. Disponível em: https://rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/1231

Salazar ERS, Gaspar ESL, Santos MS. Diretrizes da American Heart Association para ressuscitação cardiopulmonar: conhecimento de socorristas. Rev baiana enferm. 2017[citado em 2021 abril 15];31(3):e20449. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/enfermagem/article/view/20449/0

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria n. 2048, de 5 de novembro de 2002. Dispõe sobre o Regulamento Técnico dos Sistemas Estaduais de Urgência e Emergência. Brasília: Ministério da Saúde; 2002[citado em 2021 abril 15]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2002/prt2048_05_11_2002.html

Martins AR, Silva ML, Carvalho MTM, Nascimento JSG, Toledo DO, Silva JL, et al. Ensino de ressuscitação cardiopulmonar por meio de videoaula. Rev enferm UFPE on line. 2020[citado em 2021 abril 15];14:e243145. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem

Martins JCA. Aprendizagem e desenvolvimento em contexto de prática simulada. Rev Enf Ref. 2017[citado em 2021 abril 15];IV(12):155-62. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/3882/388250148003.pdf

Klippel C, Nieto ECB, Santos HAS, Emmerick LG, Costa LCR, Silva RCL. Contribuição do debriefing no ensino baseado em simulação. Rev enferm UFPE on line. 2020[citado em 2021 abril 15];14:e241872. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem

Espíndola MCM, Espíndola MMM, Moura LTR, Lacerda LCA. Parada cardiorrespiratória: conhecimento dos profissionais de enfermagem em uma unidade de terapia intensiva. Rev enferm UFPE on line. 2017[citado em 2021 abril 15]; 11(7):2773-8. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/23452/19162

Oliveira SN, Massaroli A, Martini JG, Rodrigues J. Da teoria à prática, operacionalizando a simulação clínica no ensino de enfermagem. Rev Bras Enferm. 2018[citado em 2021 abril 15];71(Suppl 4):1791-98. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672018001001791&lng=en

Oliveira SFG, Moreira SMBP, Vieira LL, Gardenghi G. Conhecimento de parada cardiorrespiratória dos profissionais de saúde em um hospital público: estudo transversal. Rev Pesq Fisio. 2018[citado em 2021 abril 15];8(1):101-9. Disponível em: https://www5.bahiana.edu.br/index.php/fisioterapia/article/view/1830/1750

Lima MN, Gaspar FDR, Mauro TGS, Arruda MAM, Abbad GS. Retenção da aprendizagem após treinamento em Suporte Básico de Vida com uso de simulação de baixa fidelidade em uma unidade hospitalar odontológica. Sci Med (Porto alegre). 2018[citado em 2021 abril 15];28(1): ID29410. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/324100585

Abelsson A, Rystedt I, Suserud BO, Lindwall L. Learning high-energy trauma care through simulation. Clin Simul Nurs. 2018[citado em 2021 abril 15];17:1-6. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/322224218

Kawakame PMG, Miyadahira AMK. Avaliação do processo ensino-aprendizagem de estudantes da área da saúde: manobras de ressuscitação cardiopulmonar. Rev Esc Enferm USP. 2015[citado em 2021 abril 15];49(4):657-64. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342015000400657&lng=en

Gauna SR, Irusta U, Ruiz J, Ayala U, Aramendi E, Eftestol T. Rhythm analysis during cardiopulmonary resuscitation: past, present, and future. Biomed Res In. 2014[citado em 2021 abril 15];2014:386010. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/24527445/

Arquivos adicionais

Publicado

12-07-2022

Como Citar

1.
Oliveira TMN, Moreira ACMG, Martins EAP. A simulação da reanimação cardiopulmonar e o conhecimento de socorristas: Estudo quase-experimental . REME Rev Min Enferm. [Internet]. 12º de julho de 2022 [citado 4º de fevereiro de 2023];26. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/39427

Edição

Seção

Pesquisa