Identificação de riscos e práticas na utilização de medicamentos potencialmente perigosos em hospital universitário

Autores

  • Jacione Lemos Botelho Maia Universidade Federal do Maranhão - UFMA, Hospital Universitário - HU, São Luís MA , Brasil, Universidade Federal do Maranhão - UFMA, Hospital Universitário - HU. São Luís, MA - Brasil. http://orcid.org/0000-0002-7129-438X
  • Rosângela Fernandes Lucena Batista UFMA, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde-CCBS, Departamento de Saúde Pública - DSP, São Luís MA , Brasil, UFMA, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde-CCBS, Departamento de Saúde Pública - DSP. São Luís, MA - Brasil. http://orcid.org/0000-0002-1529-0165
  • Mário Borges Rosa Instituto para Práticas Seguras no Uso de Medicamentos - ISMP, Belo Horizonte MG , Brasil, Instituto para Práticas Seguras no Uso de Medicamentos - ISMP, Belo Horizonte, MG - Brasil. Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais - FHEMIG. Belo Horizonte, MG - Brasil. http://orcid.org/0000-0002-6922-8367
  • Francimary Martins Silva Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares - EBSERH, São Luís MA , Brasil, Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares - EBSERH; UFMA, Hospital Universitário. São Luís, MA - Brasil. http://orcid.org/0000-0001-9606-708X
  • Hanna-Arony Wanderley Pereira Araújo Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares - EBSERH, São Luís MA , Brasil, Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares - EBSERH; UFMA, Hospital Universitário. São Luís, MA - Brasil. http://orcid.org/0000-0001-7759-8571
  • Ananda lves Carvalho UFMA, Hospital Universitário, Departamento de Pós-Graduação em Residência Multiprofissional em Saúde, São Luís MA , Brasil, UFMA, Hospital Universitário, Departamento de Pós-Graduação em Residência Multiprofissional em Saúde. São Luís, MA - Brasil. http://orcid.org/0000-0003-1843-3923
  • Sueli Coelho da Silva Carneiro Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ, Faculdade de Ciências Médicas, Rio de Janeiro RJ , Brasil, Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ, Faculdade de Ciências Médicas. Rio de Janeiro, RJ - Brasil. http://orcid.org/0000-0001-7515-2365

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2020.49950

Palavras-chave:

Erros de Medicação, Segurança do Paciente, Gestão de Riscos, Sistemas de Medicação

Resumo

Objetivo: analisar as prescrições de medicamentos potencialmente perigosos e identificar as práticas adotadas na dispensação em hospital universitário público de alta complexidade, propondo estratégias para prevenção de eventos adversos. Métodos: estudo transversal realizado com 566 prescrições, em três turnos, no período de abril a dezembro de 2016. A identificação de práticas para dispensação foi por observação direta com aplicação de checklist baseado no protocolo do Ministério da Saúde (MS) /Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Utilizou-se teste não paramétrico do qui-quadrado de independência para avaliar a associação entre prescrições com e sem medicamentos potencialmente perigosos e unidades de internação. Resultados: mais da metade das prescrições (56,6%) continha dois ou mais medicamentos potencialmente perigosos e quase todos injetáveis (95,4%), principalmente analgésicos opioides (31,2%), glicose 50% (24,7%) e insulina NPH e regular (24,3%). A taxa dos prescritos correspondeu a 18,2%. As principais práticas que representaram riscos foram: distribuição coletiva de cloreto de potássio e insulina; falta de etiquetas de alerta; dupla conferência inexistente; uso de fontes de interrupção/distração em 43,9% das prescrições atendidas. Conclusão: apesar de serem frequentes em mais da metade das prescrições, as práticas adotadas na dispensação de medicamentos potencialmente perigosos foram insuficientes para uma dispensação segura, podendo comprometer a administração desses medicamentos e causar danos aos pacientes. É importante a implementação do protocolo do MS/ANVISA para prevenção de erros de medicação, em consonância com o terceiro desafio global da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

World Health Organization (WHO). Medication Safety in High-risk situations- Technical reports. Genebra: WHO; 2019[citado em 2019 jul. 20]. Disponível em: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/325131/WHO-UHC-SDS-2019.10-eng.pdf?ua=1

World Health Organization (WHO). Medication Without Harm - Global Patient Safety Challenge on Medication Safety. Genebra: WHO; 2017[citado em 2019 jul. 20]. Disponível em: https://www.who.int/patientsafety/medication-safety/en/

Engels M, Ciarkowski S. Nursing, pharmacy, and prescriber knowledge and perceptions of high-alert medications in a large, academic medical hospital. Hosp Pharm. 2015[citado em 2019 jul. 20];50(4):287-95. Disponível em: https://doi.org/10.1310/hpj5004-287

Reis MAS, Gabriel CS, Zanetti ACB, Bernardes A, Laus AM, Pereira LRL. Medicamentos potencialmente perigosos: identificação de riscos e barreiras de prevenção de erros em terapia intensiva. Texto Contexto Enferm. 2018[citado em 2019 jul 22];27(2):1-9. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/0104-07072018005710016

Bohomol E, Oliveira CB. Conhecimento da equipe de Enfermagem sobre erros de medicação: estudo survey descritivo. Enferm Foco. 2018[citado em 2019 jul. 20];9(1):44-8. Disponível em: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2018.v9.n1.1253

Institute for Safe Medication Practices Canada. Deaths Associated with Medication Incidents: learning from Collaborative Work with Provincial Oces of the Chief Coroner and Chief Medical Examiner. ISMP Canada Safety Bulletin. 2013[citado em 2018 mar. 13];13(8):1-7. Disponível em: https://www.ismp-canada.org/download/safetyBulletins/2013/ISMPCSB2013-08_DeathsAssociatedWithMedicationIncidents.pdf

Basile LC, Santos A, Stelzer LB, Alves RC, Fontes CMB, Borgato MH, et al. Análise das ocorrências de incidentes relacionados aos medicamentos potencialmente perigosos dispensados em hospital de ensino. Rev Gaúch Enferm. 2019[citado em 2019 jun. 12];40(esp):e20180220. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rgenf/v40nspe/en_1983-1447-rgenf-40-spe-e20180220.pdf

Instituto de Práticas Seguras no uso de Medicamentos. Medicamentos potencialmente perigosos de uso hospitalar-lista atualizada 2019. Boletim ISMP Brasil. 2019[citado em 2019 abr. 14];8:1-7. Disponível em: https://www.ismp-brasil.org/site/wp-content/uploads/2019/02/615-boletim-ismp-fevereiro-2019.pdf

Savage IT. Observing pharmacists at work: quantifying the Hawthorne effect. J Soc Adm Pharm. 1996;13(1):8-19.

Instituto de Práticas Seguras no Uso de Medicamentos. Medicamentos potencialmente perigosos de uso hospitalar e ambulatorial - listas atualizadas. Boletim ISMP Brasil. 2015[citado em 2018 nov. 14];4:1-7. Disponível em: https://www.ismp-brasil.org/site/wp-content/uploads/2015/12/V4N3.pdf

World Health Organization (WHO). Collaborating Centre for Drug Statistics Methodology, Guidelines for ATC classification and DDD assignment 2019. Norway; 2018[citado em 2019 mar. 22]. Disponível em: https://www.whocc.no/filearchive/publications/2019_guidelines_web.pdf

Organização Mundial de Saúde (OMS). Manual de referência técnica para a higiene das mãos para ser utilizado por profissionais de saúde, formadores e observadores de práticas de higiene das mãos. Brasília: OPAS, ANVISA; 2015[citado em 2019 dez. 18]. Disponível em: https://www20.anvisa.gov.br/segurancadopaciente/index.php/publicacoes/item/manual-de-referenciatecnica-para-a-higiene-das-maos

Ministério da Saúde (BR). Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Protocolo de segurança na prescrição, uso e administração de medicamentos. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2013.

Clinical excellence commission - NSW Government. Medication Safety, High-Risk Medicines - A PINCH. Clinical excellence commission; 2018[citado em 2020 jan. 12]. Disponível em: http://www.cec.health.nsw.gov.au/patientsafety-programs/medication-safety/high-risk-medicines/A-PINCH

Lobaugh LMY, Martin LD, Schleelein LE, Tyler DC, Litman RS. Medication errors in pediatric anesthesia: a report from the Wake Up Safe quality improvement initiative. Anesth Analg. 2017[citado em 2019 mar. 12];125(3):936-42. Disponível em: https://doi.org/10.1213/ANE.0000000000002279

Bohomol E. Erros de medicação: estudo descritivo das classes dos medicamentos e medicamentos de alta vigilância. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2014[citado em 2019 mar. 22];18(2):311-6. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5935/1414-8145.20140045

Kane-Gill SL, Dasta JF, Buckley MS, Devabhakthuni S, Liu M, Cohen H, et al. Clinical Practice Guideline: safe medication use in the ICU. Crit Care Med. 2017[citado em 2019 mar. 15];45(9):e877-e915. Disponível em: https://dx.doi.org/10.1097/CCM.0000000000002533

Instituto de Práticas Seguras no uso de Medicamentos. Erros de medicação, riscos e práticas seguras na Terapia com insulinas. Boletim ISMP Brasil. 2012[citado em 2018 set. 15];1:1-7. Disponível em: https://www.ismp-brasil.org/site/wp-content/uploads/2015/07/AF-Diabe--ticos-Insulinas_VER2.pdf

Breuker C, Abraham O, di Trapanie L, Mura T, Macioce V, Boegner C, et al. Patients with diabetes are at high risk of serious medication errors at hospital: interest of clinical pharmacist intervention to improve healthcare. Eur J Intern Med. 2017[citado em 2019 mar. 16];38:38-45. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.ejim.2016.12.003

Porto DTG. Implantação de práticas seguras para distribuição e dispensação de medicamentos potencialmente perigosos em um hospital oncológico na rede sentinela. [monografia]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba; 2014.

Institute for Safe Medication Practices. How colorful is too colorful when it comes to patient safety? ISMP Medication Safety Alert. 2009[citado em 2019 jun. 13];14(8):1-3. Disponível em: https://www.ismp.org/resources/will-colortinted-iv-tubing-help

Mayimele N, Meyer JC, Schellack N. What role does the pharmacist play in medicine management at ward level? S Afr Pharm J. 2015[citado em 2020 jan. 15];82(1):37-42. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/282951644_What_role_does_the_pharmacist_play_in_medicine_management_at_ward_level

Santana SB, Rodrigues SB, Stival MM, Rehem MT, Lima RL, Volpe GC. Interrupções no trabalho da Enfermagem como fator de risco para erros de medicação. Av Enferm. 2019[citado em 2019 jun. 18];37(1):56-64. Disponível em: https://doi.org/10.15446/av.enferm.v37n1.71178

Thibault M, Porteils C, Goulois S, Lévy A, Lebel D, Bussières JF. The impact of phone interruptions on the quality of simulated medication order validation using eye tracking. Simul Healthc. 2019[citado em 2019 jun. 20];14(2):90-5. Disponível em: doi: 10.1097/SIH.0000000000000350

Maia JLB, Batista RFL, Rosa MB, Melo JB, Silva FM, Carneiro S. Fatores associados a erros de dispensação de medicamentos: contribuição à melhoria de sistemas de medicação. 2019[citado em 2020 fev. 21];27:e44633. Disponível em: https://doi.org/10.12957/reuerj.2019.44633

Kapadia N, Raval S, Gadhave P. Medication errors related to high alert medication. J Nurs Health Stud. 2017[citado em 2019 jun. 22];2(3):1-4. Disponível em: doi: 10.21767/2574-2825.100021

Publicado

07-08-2020

Como Citar

1.
Maia JLB, Batista RFL, Rosa MB, Silva FM, Araújo H-AWP, Carvalho A lves, Carneiro SC da S. Identificação de riscos e práticas na utilização de medicamentos potencialmente perigosos em hospital universitário. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 7º de agosto de 2020 [citado 23º de maio de 2024];24(1). Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/49950

Edição

Seção

Pesquisa

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.