Ensaio de expressão artística sobre a fome no Brasil

A arte que manifesta a fome

Autores

  • Sarah Santos da Costa Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
  • Vitória Maria de Oliveira Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
  • Valber dos Santos Silva Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
  • Lucas Scardini Neves Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
  • Raony Pegoretti Rodrigues Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
  • Thamires Cantalejo Fontoura Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
  • Flávia Vitorino Freitas Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-770X.2023.40668

Palavras-chave:

Fome, Expressão Artística, Arte, Segurança Alimentar e Nutricional

Resumo

Ao contextualizar a fome brasileira sob um olhar de descobertas criativas e humanizadas, surgiram expressões artísticas reapresentando o tema por meio de uma outra lente: a arte. Os apelos urgentes dos famintos constituem desafio para sistemas alimentares e, especialmente, no que se refere ao acesso livre e permanente à alimentação de qualidade e em quantidade suficiente – (in)Segurança Alimentar e Nutricional. Neste ensaio, utilizou-se de aspectos socioculturais, científicos e artísticos como inspiração, reapresentando a fome através da expressão artística, resultando em dois produtos: um cordel e uma poesia sonora. O cordel, gênero literário com métrica, rima e oração, expressa a indagação da fome no título “Me diga por quê?”. A poesia sonora “Como tem fome?”, essencialmente oral e experimental, resulta em reflexões e manifestações. O ensaio trouxe à tona a sensibilidade dos autores, aproximando ciência e arte, trazendo responsabilidade de embasar-se nas inspirações, deixar fluir e sustentar a própria criação.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ASSIS, R. A.; TENORIO, C. M.; CALLEGARO, T. Literatura de cordel como fonte de informação. CRB8 Digital, v. 5, n. 1, 2012. Disponível em: <http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/9920>. Acesso em: 21 jul. 2022.

BAHIA, Sarah. Constrangimentos à expressão artística. REVISTA IBERO-AMERICANA DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO, CULTURA E ARTES. ISSN 1647-0508. Dez. 2009. Disponível em : <https://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/2698/1/Sara%20Bahia_invisibilidades_0pdf.pdf> . Acesso em : 25 jul. 2022.

BIESDORF, R. K. Arte, uma necessidade humana: função social e educativa. Itinerarius Reflectionis. Goiânia, v. 7, n. 1, 2012.

BRASIL. CONSEA Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Lei de Segurança Alimentar e Nutricional. LEI Nº 11.346, DE 15 DE SETEMBRO DE 2006. Disponível em : <http://www4.planalto.gov.br/consea/conferencia/documentos/lei-de-seguranca-alimentar-e-nutricional>. Acesso em : 03 de julho de 2022.

BRASIL. IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Literatura do Cordel. Disponível em: <http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/1943>. Acesso em: 13 de julho de 2022.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia alimentar para a população brasileira. 2. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2014. 156 p

CASTRO, J. Geografia da fome (o dilema brasileiro: pão ou aço). 10a Ed. Rio de Janeiro: Antares Achiamé, 1980.

COVALESKI, R. L. Artes e comunicação: a construção de imagens e imaginários híbridos. Galaxia (São Paulo, Online), n. 24,p. 89-101, dez. 2012.

CHIBENI, Silvio Seno. O que é ciência? Textos Didáticos. Departamento de Filosofia, IFCH, Unicamp, SP. Disponível em : <https://www.unicamp.br/~chibeni/textosdidaticos/ciencia.pdf> Acesso em: 21 jul. 2022.

FOME OCULTA (PARTE 1). Direção: Thiago Domenici. Produção de Agência Pública. São Paulo, 2018. Disponível em: <https://apublica.org/video/2018/09/fome-oculta/>

GARAPA. Direção: José Padilha. Produção de Zazen Produções. Brasil: Downtown Filmes, 2009.

GOMBRICH, E H. A História da Arte. (16° edição). Rio de Janeiro: Grupo GEN, 2000. 1076 p. 9788521636670.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Coordenação de Trabalho e Rendimento. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2017-2018: análise da segurança alimentar no Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, 2020. Disponível em: <https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101749.pdf>. Acesso em: 14 de julho de 2022.

Jornal da Cultura. Pandemia da fome: 36% dos brasileiros dizem ter comido menos durante a crise.YouTube, 2020. Disponível em : <https://www.youtube.com/watch?v=jbDrL6dScME>

MENEZES, Philadelpho. Poesia Sonora – Poéticas Experimentais da Voz do Século XX.1ª edição. EDUC, 1992.

MORIN, E. (1966). El Espirito del Tiempo. Madrid: Taurus Ediciones.

OCVIRK, Otto G.; STINSON, Robert E.; WIGG, Philip R.; et al. Fundamentos de Arte. (12ª edição). Porto Alegre: Grupo A, 2014. 328 p. 9788580553765.

DICK, André Dick (Org.). Paideuma. São Paulo: Risco Editorial, 2010.

REDE PENSSAN – Rede de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional. II Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 no Brasil [livro eletrônico]: II VIGISAN, 2021: relatório final. São Paulo, SP: Fundação Friedrich Ebert: Rede PENSSAN, 2022.

PERES, S.P.; TATIT, P.; TATIT, L.A.M. Palavra Cantada. Fome come. Álbum Canções Curiosas. 1998. (3 min). Disponível em: Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=-G1ozGVDd2I&t=104s> Acesso em: 21 jul. 2022.

VALENTE, Flávio Luiz Schieck. Fome, desnutrição e cidadania: inclusão social e direitos humanos. Saúde e Sociedade. v. 12, n. 1, p. 51-60, jan-jun, 2003.

Downloads

Publicado

2023-10-31

Como Citar

COSTA, S. S. da; OLIVEIRA, V. M. de; SILVA, V. dos S.; NEVES, L. S.; RODRIGUES, R. P.; FONTOURA, T. C.; FREITAS, F. V. Ensaio de expressão artística sobre a fome no Brasil: A arte que manifesta a fome. Revista da UFMG, Belo Horizonte, v. 29, n. 3, 2023. DOI: 10.35699/2316-770X.2023.40668. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistadaufmg/article/view/40668. Acesso em: 3 mar. 2024.