Irany Campos e seu fio da vida: o militante político agente da história contra o regime militar no Brasil (1964-1985)

  • Wellington Marçal de Carvalho UNIR

Resumo

Irany foi o único trabalhador da UFMG que não foi anistiado pela Universidade, pois todos os docentes que estiveram envolvidos na luta contra o regime militar tiveram o seu direito de reintegrar os quadros da instituição. A exceção foi justamente o nosso colega TAE, que foi reintegrado por conta da Lei da Anistia, ampla, geral e irrestrita, mas não por um ato administrativo da Universidade.” A Universidade está viva, altiva, ciente de sua função. Nós estamos aqui, vivos. Em luta. Não parece ser exato o tempo da reparação?

Biografia do Autor

Wellington Marçal de Carvalho, UNIR
Doutor em Literaturas de Língua Portuguesa pelo Programa de Pós-Graduação em Letras da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Professor na Universidade Feral de Rondônia.
Publicado
2018-12-14
Como Citar
Carvalho, W. M. de. (2018). Irany Campos e seu fio da vida: o militante político agente da história contra o regime militar no Brasil (1964-1985). Bibliotecas Universitárias: Pesquisas, Experiências E Perspectivas, 4(2). Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistarbu/article/view/3130
Seção
Diálogo