PRODUÇÃO ASSOCIADA, EDUCAÇÃO E CULTURA DO TRABALHO

PRODUÇÃO DA VIDA NA COMUNIDADE TRADICIONAL SÃO MANOEL DO PARI

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2238-037X.2020.16344

Palavras-chave:

Produção Associada, Educação, Cultura do Trabalho

Resumo

A produção da vida na comunidade tradicional camponesa São Manoel do Pari se concretiza na produção material e imaterial tanto na unidade produtiva familiar quanto na produção associada e de saberes tradicionais e da experiência. Produções estas que determinam historicamente os fundamentos para uma cultura do trabalho inerente a esta comunidade. Este presente artigo faz parte da pesquisa de doutorado do Grupo de Estudos e Pesquisa sobre Trabalho e Educação (GEPTE), o qual está vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Ainda, esta pesquisa se utiliza do método materialismo histórico dialético e de elementos da pesquisa participante, utilizando de instrumentos como entrevistas, observação, fotos, oficinas e documentos. O objetivo deste artigo é refletir a produção da vida das famílias desta comunidade tradicional, à qual possui uma organização produtiva associada, coletiva e solidária, construindo e reconstruindo saberes tradicionais, da experiência e, ainda, uma pedagogia da produção associada e uma pedagogia da solidariedade, determinações históricas embasadoras da cultura do trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristiano Cabral, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

Doutorando em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso, Mestre em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso, Graduado em Filosofia pela Universidade Católica de Goiás. Professor de filosofia pela Secretária de Educação do Estado de Mato Grosso e agente pastoral da Comissão Pastoral da Terra - MT

Edson Caetano, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

Doutor em Educação pela Universidade Estadual de Campinas, Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Campinas, Graduação em Ciências Sociais pela PUCCAMP. Professor do Instituto de Educação da Universidade Federal de Mato Grosso

Referências

ALTIERI, Miguel. Agroecologia: bases científicas para uma agricultura sustentável. SP: Expressão Popular, 2012.

BRANDÃO, C.R. A educação como cultura. SP: Brasiliense, 1985.

BRANDÃO, C.R. Saber e ensinar. Campinas: Papirus, 1984.

DIEGUES, Antonio Carlos. O mito da natureza intocada. SP: Hucitec, 1996.

DURHAM, Eunice. A dinâmica da cultura. SP: Cosac Naify, 2004.

KOSIK, Karel. Dialética do concreto. RJ: Paz e Terra, 1976.

LEFEBVRE, Henri. A produção do espaço. Paris: Éditions Antrhropos, 2000.

LUKACS, G. Para uma ontologia do ser social II. SP: Boitempo, 2013.

LUKACS, G. Para uma ontologia do ser social I. SP: Boitempo, 2012.

MARX, Karl. Contribuição à crítica da economia política. SP: Martins Fontes, 1977.

MARX, Karl. O capital. Crítica da economia política. Livro 1 - O processo de produção do capital. Volume 1. RJ: Bertrand, 1988.

MARX, Karl. Manuscrito Econômicos-Filosóficos. São Paulo, Martins Claret, 2001.

NAVARRO, Isidoro Moreno. Trabajo, ideologias sobre el trabajo y cultura del trabajo. Revista Andaluza de relaciones Laborales, n. 3. Abril, 1997.

PALUENZA, Pablo. Las culturas del trabajo: una aproximácion antropológica. In Sociología del trabajo (nueva época), n. 24, siglo XXI, 1995, p.3-28.

PALUENZA, Pablo. Culturas del trabajo e identidad local: Pescadores y mineros en Québec Sociología del Trabajo, nueva época, núm. 81, primavera de 2014, p. 68-89.

PLOEG, Jan Douwe van der. Camponeses e a arte da agricultura.SP: Editora Unesp, 2016.

SANTOS, Milton. Pensando o espaço do homem. SP: Ed. Da Universidade de São Paulo, 2012.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização. RJ: Record, 2001.

THOMPSON, Edward Palmer. Costumes em comum: estudos sobre a cultura popular tradicional. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

THOMPSON, Edward Palmer. As peculiaridades dos ingleses e outros artigos. SP: Unicamp, 2001.

TIRIBA, Lia. Economia e cultura do trabalho. Pedagogia(s) da produção associada. RS: Unijuí, 2001.

TIRIBA, Lia. Cultura do trabalho, autogestão e formação de trabalhadores associados: questão de pesquisa. Perspectiva, Florianópolis, v. 26, n. 1, 69-94, jan./jun. 2008 Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/viewFile-/2175-795x.2008v26n1p69/9566. Acesso em: 14 set. 2020.

TIRIBA, Lia. Cultura do trabalho, produção associada e produção de saberes. UNISINOS. v. 10, n. 2, maio/ago. 2006.

TIRIBA, Lia; FISCHER, Maria C.B. Produção associada e autogestão. In: Caldart, Roseli; PEREIRA, Isabel; ALENTEJANO, Paulo; FRIGOTTO, Gaudêncio. Dicionário da educação do campo. SP: Expressão Popular, 2012.

TOLEDO, Víctor M. & BARRERA-BASSOLS, Narciso. A memória biocultural. A importância ecológica das sabedorias tradicionais. SP: Expressão Popular, 2015.

Downloads

Publicado

2020-09-04

Como Citar

CABRAL, C.; CAETANO, E. PRODUÇÃO ASSOCIADA, EDUCAÇÃO E CULTURA DO TRABALHO: PRODUÇÃO DA VIDA NA COMUNIDADE TRADICIONAL SÃO MANOEL DO PARI. Trabalho & Educação, [S. l.], v. 29, n. 2, p. 133–147, 2020. DOI: 10.35699/2238-037X.2020.16344. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/16344. Acesso em: 28 nov. 2020.

Edição

Seção

ARTIGOS