A CONCEPÇÃO DE CURRÍCULO NOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2238-037X.2021.34648

Palavras-chave:

Currículo, Cursos Superiores de Tecnologia, Sociedade de mercado

Resumo

Este trabalho integra os estudos relacionados às concepções de currículo às da Educação Profissional e Tecnológica de nível superior materializados nos cursos de tecnologia. O estudo justifica-se pela crescente oferta dos cursos de graduação tecnológica no âmbito nacional e de seus programas curriculares voltados para a formação de trabalhadores especializados em nível superior, identificados como “tecnólogos”. O texto objetiva analisar as concepções curriculares que fundamentam a educação superior tecnológica na atualidade. A partir de uma abordagem qualitativa de pesquisa baseada na revisão bibliográfica, a construção deste texto alicerça-se em trabalhos já consolidados de autores que debatem as questões curriculares e a Educação Profissional e Tecnológica, bem como nos dispositivos legais que orientam e regulam a oferta destes cursos. Evidencia-se que o currículo dedicado à formação de tecnólogos privilegia os saberes tecnológicos e práticos, selecionados a partir da identidade ou perfil profissional exigido pelos postos de trabalho e no poder do mercado na definição dos propósitos que esses cursos assumem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Cristina Moraes, Universidade Estadual do Ceará (UECE)

Pós-doutora em Educação (UFC). Doutora em Educação pela Universidade de Campinas (UNICAMP-SP). Mestra em Educação pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Especialista em Metodologia do Ensino de Artes pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Graduada em Arte-educação pela UniGrande e em Serviço Social pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Professora Adjunta da Universidade Estadual do Ceará (UECE).

Referências

ARROYO, Miguel G. Currículo, território em disputa. Editora Vozes Limitada, 2013.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF: 20 de dezembro de 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm. Acesso em: 27 mai. 2020.

BRASIL. Ministérios da educação/Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CES 436 de 05 de abril de 2001. Dispõe sobre os Cursos Superiores de Tecnologia – Formação de Tecnólogos. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, DF, 06 abr. 2001, seção 1E, p. 67. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES0436.pdf. Acessado em: 22 abr. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP nº 01, de 05 de janeiro de 2021. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a Educação Profissional e Tecnológica. Diário Oficial da União, Brasília, 6 de janeiro de 2021, Seção 1, pp. 19-23. http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=167931-rcp001-21&category_slug=janeiro-2021-pdf&Itemid=30192. Acesso em 23 ago. 2021.

BRASIL. Ministério de Educação. Cadastro Nacional de Cursos e Instituições de Educação Superior – Cadastro e-MEC. Disponível em: https://emec.mec.gov.br/. Acessado em 23 ago. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Censo escolar da Educação superior 2007. Brasília, DF: Inep/Deaes, 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Censo escolar da Educação superior 2017. Brasília, DF: Inep/Deaes, 2020.

BRANDÃO, Marisa. Cursos Superiores de Tecnologia: uma formação intermediária. in: MOURA, Dante Henrique (Org.). Produção de Conhecimento, políticas públicas e formação em Educação Profissional. Campinas, São Paulo: Mercado de Letras, 2013, p. 307-343.

CARVALHO, Celso do Prado Ferraz de. O currículo oficial paulista no contexto das teorias crítica e pós-crítica da educação. Dialogia, n. 20, p. 99-120, 2014.

CASTIONI, Remi. Educação no mundo do trabalho: qualificação e competência. São Paulo: Francis, 2010.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Sinopse Estatística da Educação Superior 2019. Brasília: Inep, 2020. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/basica-censo-escolar-sinopse-sinopse. Acesso em: 23 ago. 2021.

LIMA FILHO, Domingos Leite. A descentralização da escola. Impactos da reforma da educação profissional – período 1995-2002. Curitiba: Torre de Papel, 2003.

LUKÁCS, György. Para uma ontologia do ser social I. Boitempo editorial, 2015.

MAIA FILHO, Osterne Nonato; SEGUNDO, Maria das Dores Mendes; RABELO, Josefa Jackline. O problema do mundo do trabalho no atual contexto da crise estrutural do capital. Cadernos de Pesquisa, p. 28-41, 2016. Disponível em: http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php-/cadernosdepesquisa/article/view/4627. Acesso em: 22 ago. 2021.

MÉSZÁROS, István. Para além do capital: rumo a uma teoria da transição. Boitempo Editorial, 2015.

MOURA, Dante Henrique. Mudanças na sociedade brasileira dos anos 2000 limitadas pela hegemonia do neoliberalismo: implicações para o trabalho e para a educação. in: MOURA, Dante Henrique (Org.). Produção de Conhecimento, políticas públicas e formação em Educação Profissional. Campinas, São Paulo: Mercado de Letras, 2013, p. 109-140.

PONCE, Aníbal. Educação e luta de classes. Tradução de José Severo de Camargo Pereira. 2010.

RODRIGUES, José. O moderno príncipe industrial: o pensamento pedagógico da Confederação Nacional da Industria. Campinas: Autores Associados (Coleção Educação Contemporânea), 1998.

SACRISTÁN, José Gimeno. O que significa currículo? In: SACRISTÁN, José Gimeno (Org.). Saberes e Incertezas sobre o currículo. Porto Alegre: Penso, 2013, p. 16-35.

SANTOS; José Deribaldo Gomes dos; XEREZ; Antonia Solange Pinheiro. Apontamentos sobre a expansão da graduação tecnológica no Brasil. Revista online de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v.20, n.03, p. 600-622, 2016. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.22633/rpge.v20.n3.9712>. ISSN: 1519-9029.

SILVA, Tomaz Tadeu. O currículo como fetiche: a poética e a política do texto curricular. Belo Horizonte: autêntica Editora, 2010.

SILVA, Tomaz Tadeu. Documentos de Identidade. Uma Introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte, Autêntica, 1999.

Downloads

Publicado

2021-09-20

Como Citar

NOGUEIRA, A. W. R. .; MORAES, A. C.; XEREZ, A. S. P. . A CONCEPÇÃO DE CURRÍCULO NOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA. Trabalho &amp; Educação, Belo Horizonte, v. 30, n. 2, p. 195–206, 2021. DOI: 10.35699/2238-037X.2021.34648. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/34648. Acesso em: 3 dez. 2021.

Edição

Seção

ARTIGOS