O EXERCÍCIO DA PSICOLOGIA EM INSTITUTOS FEDERAIS DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA

DESAFIOS PROFISSIONAIS

Autores

  • Milene Mabilde Petracco PUCRS
  • Cristiano Hamann PUCRS
  • Adolfo Pizzinato UFRGS

DOI:

https://doi.org/10.35699/2238-037X.2023.41978

Palavras-chave:

Educação, Psicologia, Educação e trabalho

Resumo

O presente artigo discute o papel da Psicologia como estratégica na atuação institucional em interface com educação, tendo como ponto de partida o trabalho realizado em um dos campi do Instituto Federal de Educação Científica e Tecnológica Sul-rio-grandense (IFSul). A pesquisa, realizada numa perspectiva etnográfica, contou com o acompanhamento do cotidiano de trabalho institucional e intervenções grupais com estudantes, processos investigados a partir de perspectivas de Análise do Discurso. Como resultado, um eixo analítico se mostrou um desafio profissional e interventivo: o “sucesso dos estudantes” como enunciado capitalista-tecnicista do processo educativo. Derivado deste, outros três aparecem como nodais para o exercício da Psicologia: a não burocratização do trabalho; a distribuição de prioridades organizacionais; as demandas psicológicas como associadas ao exercício de cidadania. Numa conjuntura de cooptação tecnicista, a Psicologia mostra-se fundamental para a compreensão das racionalidades institucionais e produção de singularidade, estando, potencialmente, em parceria com outros profissionais e estudantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Milene Mabilde Petracco, PUCRS

Possui graduação em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2004). Psicanalista pelo Centro de Estudos Psicanalíticos de Porto Alegre. Mestre em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Doutora em Psicologia Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Atualmente é psicóloga do Instituto Federal Sul-Rio-Grandense. Tem experiência nas áreas de Psicologia Clínica e de Psicologia Educacional, com ênfase na interlocução entre Psicanálise e Educação.

Cristiano Hamann, PUCRS

Doutor em Psicologia Social e Institucional pela UFRGS, Mestre Psicologia Social pela PUCRS, Graduação em Psicologia pela PUCRS. Professor do Curso de Psicologia da PUCRS

Adolfo Pizzinato, UFRGS

Doutor em Psicologia pela Universitat Autònoma de Barcelona. Bolsista Produtividade em Pesquisa CNPq. Foi Vice-Presidente do CRP-07 e Presidente da Comissão de Orientação e Ética (2012-2013). Editor Associado da Revista Psicologia: Ciência e Profissão e Membro da Comissão Editorial das revistas Psicologia & Sociedade e Temas em Psicologia. Atualmente é Professor Adjunto do Departamento de Psicologia do Desenvolvimento e da Personalidade da UFRGS, Professor do Programa de Pós-Graduação em Psicologia e do Programa da Pós Graduação em Política Social e Serviço Social da mesma Universidade. Coordena o NEPsiD - NÚCLEO DE ESTUDOS E INTERVENÇÃO PSICOSSOCIAL À DIVERSIDADE, cujos temas de interesse giram em torno da Psicologia Cultural, com ênfase em Relações Comunitárias e Processos Identificatórios, principalmente nos campos da infância/juventude, raça/etnicidade, gênero/sexualidade e inclusão social.

Referências

ACCORSSI, Aline; SCARPARO, Helena; PIZZINATO, Adolfo. La dialogicidad como supuesto ontológico y epistemológico en Psicologia Social: reflexiones a partir de la Teoria de las Representaciones Sociales y la Pedagogia de la Liberación. Revista de Estudios Sociales, Bogotá, n. 50, p. 31-42, sep./dec. 2014.

ARENDT, Hannah. A condição humana. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

BUTLER, Judith. Relatar a si mesmo: crítica da violência ética. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2015.

CABISTANI, Roséli Maria Olabarriaga. Os sentidos da função paterna na educação. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2007.

COSTA, André Oliveira; MOSCHEN, Simone Zanon. Psicanálise e educação: os paradoxos da alteridade. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 38, n. 2, p. 433-454, abr./jun. 2013.

FREUD, Sigmund. Prefácio a juventude desorientada de Aichhorn. In: STRACHEY, James (Org.). Edição Standard Brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. v. 19. Rio de Janeiro: Imago, 1925/1996. p. 305-308.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1989.

KRAWCZYK, Nora. Uma roda de conversa sobre os desafios do ensino médio. In: DAYRELL, Juarez; CARRANO, Paulo; MAIA, Carla Linhares (Orgs). Juventude e ensino médio. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2014.

LACAN, Jacques. Os complexos familiares. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

LIBÂNEO, José Carlos. Democratização da escola pública: a pedagogia crítico-social dos conteúdos. São Paulo: Loyola, 2011.

MAGNANI, José Guilherme Cantor. O (velho e bom) caderno de campo. Revista Sexta-feira, São Paulo, n. 1, p. 8-12, maio 1997.

MELSERT, Ana Luísa de Marsillac; BICALHO, Pedro Paulo Gastalho. Desencontros entre uma prática crítica em psicologia e concepções tradicionais em educação. Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, São Paulo, v. 16, n. 1, p. 153-160, jan./jun. 2012.

NARDI, Milena Bertollo. O trabalho do psicólogo em um Campus do Instituto Federal do Espírito Santo: possibilidades e desafios de uma prática. Tese (Doutorado em Psicologia) – Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2014.

PÉRICO, Waldir; COSTA-ROSA, Abílio. Sujeito, subjetividade e ciência em Freud e Lacan: algumas considerações teóricas prévias a uma intercessão-pesquisa no campo da saúde mental coletiva. Revista Subjetividades, Fortaleza, v. 14, n. 3, p. 418-432, dez. 2014.

WELLER, Wivian. Jovens no ensino médio: projetos de vida e perspectivas de futuro. In: DAYRELL, Juarez; CARRANO, Paulo e MAIA, Carla Linhares (Orgs.). Juventude e ensino médio. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2014.

Downloads

Publicado

2024-01-24

Como Citar

PETRACCO, M. M.; HAMANN, C.; PIZZINATO, A. O EXERCÍCIO DA PSICOLOGIA EM INSTITUTOS FEDERAIS DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA: DESAFIOS PROFISSIONAIS. Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v. 32, n. 3, p. 49–60, 2024. DOI: 10.35699/2238-037X.2023.41978. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/41978. Acesso em: 23 fev. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos Semelhantes

> >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.