FUNDAMENTOS EPISTEMOLÓGICOS DA RELAÇÃO TRABALHO E EDUCAÇÃO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2238-037X.2023.46325

Palavras-chave:

Trabalho, Educação, Neoliberalismo

Resumo

A relação trabalho e educação surgiu nos primórdios da humanidade e as interferências de um fator sobre o outro constituem um vínculo de identidade que os tornaram inseparáveis. No entanto, essa relação evoluiu temporalmente e diversos fatores passaram a influenciá-la e outros aspectos a serem influenciados. O objetivo do presente artigo foi identificar os fundamentos epistemológicos da relação trabalho e educação e compreender os avanços das políticas neoliberais no campo educacional. O estudo fundamentado no campo das ciências humanas e sociais, utilizou o levantamento bibliográfico que possibilitou aprofundar o campo de pesquisa acerca da relação trabalho e educação, tendo como principais autores Mariano Fernandez Enguita e Dermeval Saviani, além de autores que discutem tal relação no contexto neoconservador, como Gaudêncio Frigotto, Pablo Gentili, Laura Tavares Soares e Martin Carnoy. Concluiu-se que o capitalismo ressignificou de maneira efetiva a relação trabalho e educação, tornando a sociedade mais desigual e miserável. A educação nos moldes neoliberais contrapõe-se a uma formação intelectual, humana, prática e cidadã, sendo este um dos principais desafios enfrentados na atualidade. Em suma, tais políticas acentuam as características de um sistema de educação dual e precarizam ainda mais o ensino, o trabalho docente e os estabelecimentos escolares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Itamar de Oliveira Corrêa Filho, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais- Campus Muriaé

Mestre em Educação pelo Programa de Pós Graduação em Educação da Universidade Federal de Viçosa - MG, na Linha de Pesquisa Educação Pública: sujeitos e práticas. Especialização em Gestão Pública, Área de Conhecimento em Educação, pela Faculdade de Educação São Luís (2016). Graduação em Administração pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais (2013). Graduação em Matemática (Licenciatura) pela Universidade de Franca (2019). Interesse de pesquisa nas áreas de Sociologia da Educação, Trajetórias e Educação Profissional e Tecnológica. Atualmente é Auxiliar em Administração no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais - Campus Muriaé, lotado na Coordenação de Gestão de Pessoas. 

Jairo Antônio da Paixão, Universidade Federal de Viçosa

Pós-doutorado pela Universidade Federal de Viçosa (2012). Doutorado em Educação pela Ibero-American University (2018). Doutorado em Ciência do Desporto pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (2010). Mestrado em Educação pela Ibero-American University (2018). Mestrado em Educação pela Universidade do Oeste Paulista (2005). Especialização em Educação pela Universidade Federal de Viçosa (2005). Especialização em Orientação Educacional pelas Faculdades Integradas de Jacarepaguá (2002). Especialização em Pedagogia do Esporte pelas Faculdades Integradas AVM de Brasília (2014). Graduação em Pedagogia (Licenciatura) pela Universidade Federal de Viçosa (2002). Graduação em Educação Física (Licenciatura e Bacharelado) pela Universidade Federal de Viçosa (1997). Atualmente é professor da Universidade Federal de Viçosa, MG. Professor do Programa de Pós Graduação em Educação da Universidade Federal de Viçosa na linha de pesquisa Educação pública: sujeitos e práticas. Integra o Comitê de Ética em Pesquisas com Humanos da UFV. Coordena o Grupo de Estudos e Pesquisas Pedagógicas em Educação Física (GEPPEF) no Curso de Licenciatura em Educação Física no Departamento de Educação Física na Universidade Federal de Viçosa, MG. Coordena o Programa Residência Pedagógica - Educação Física, Campus Viçosa, MG.

Downloads

Publicado

2024-01-24

Como Citar

CORRÊA FILHO, I. de O.; PAIXÃO, J. A. da. FUNDAMENTOS EPISTEMOLÓGICOS DA RELAÇÃO TRABALHO E EDUCAÇÃO. Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v. 32, n. 3, p. 61–79, 2024. DOI: 10.35699/2238-037X.2023.46325. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/46325. Acesso em: 23 fev. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos Semelhantes

> >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.