Do passado como futuro da crítica: “competência performativa” e “formas de escrita” nos Estudos Literários / Of Past as the Future of Criticism: “Performative Competence” and “Forms of Writing” in Literary Studies

  • Nabil Araújo Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Palavras-chave: crítica, tradição, competência performativa, formas de escrita, método-como-jogo, formação estética, criticism, tradition, performative competence, forms of writing, method-as-play, aesthetic formation.

Resumo

Resumo: A partir da clássica reflexão metacrítica de Northrop Frye na “Introdução polêmica” à sua Anatomia da crítica (1957), na qual o autor defende uma concepção de “crítica como ciência” contra a concepção de “crítica como literatura”, voltamo-nos para a recente reflexão metacrítica de Ottmar Ette em SaberSobreViver: a (o)missão da filologia (2015), na qual o autor propõe uma “história especializada das formas de escrita” nos Estudos Literários que efetue “uma perspectivação crítica de sua tradição”, visando à sua “reinvenção”. Relendo, em contraste com a leitura de Ette, as considerações metodológicas de Erich Auerbach em Mimesis (1946), apresentamos a concepção de método-como-jogo como inerente à “competência performativa” a ser promovida por uma nova formação estética (Bildung) no tempo presente.

Palavras-chave: crítica; tradição; competência performativa; formas de escrita; método-como-jogo; formação estética.

Abstract: From Northrop Frye’s classical metacritical reflections in the “Polemical introduction” of Anatomy of Criticism (1957), in which Frye defends a concept of “criticism as science” against the understanding of “criticism as literature”, we turned to the Ottmar Ette’s ÜberLebenswissen: die Aufgabe der Philologie (2004). In his recent metacritical reflections, the author proposes an “specialized history of writing forms” in Literary Studies, one that generates “a critical perspectivation of its tradition”, aiming at its “reinvention”. Rereading Erich Auerbach’s methodological considerations in Mimesis (1946), in contrast to Ette’s own reading of it, we present the concept of method-as-play perceived as something inherent to the “performative competence” to be developed by a new aesthetic formation (Bildung) at the present time.

Keywords: criticism; tradition; performative competence; forms of writing; method-as-play; aesthetic formation.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nabil Araújo, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Graduado em Letras, mestre e doutor em Estudos Literários pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Professor de Teoria da Literatura na graduação e na pós-graduação em Letras da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Coordenador de Licenciaturas do Instituto de Letras da UERJ. Líder do grupo de pesquisa interinstitucional "Retorno à Poética: imagologia, referenciação, genericidade". Organizou "A crítica literária e a função da teoria: reflexão em quatro tempos" (2016) e coorganizou "Variações sobre o romance" (2016), "Variações sobre o romance II" (2018) e "Imagens de Fausto: história, mito, literatura" (2017). Pela sua tese, "O evento comparatista: na história da crítica / no ensino de literatura", recebeu o Prêmio UFMG de Teses, em 2014, e o Prêmio ANPOLL de Teses, em 2016. Seu projeto "Ensino de literatura e desenvolvimento da competência crítica: uma 'terceira via' didático-pedagógica" foi premiado pela Fundação Carlos Chagas como a melhor experiência educativa inovadora realizada por docente de Licenciatura em 2014. Em 2015, foi contemplado com o Prêmio Docência Dedicada ao Ensino Anísio Teixeira, conferido pela Sub-Reitoria de Graduação da UERJ. Pesquisa e produção na área de Letras: Teoria da Literatura, História da Crítica, Ensino de Literatura.
Publicado
2019-09-30
Seção
Dossiê – Teoria e Crítica Literária no Tempo Presente