O IDEÁRIO DEMOCRÁTICO E POPULAR E A LUTA PELA DEMOCRATIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO:

CONTROVÉRSIAS TEÓRICAS, ESTRATÉGICAS E TÁTICAS

Autores

Palavras-chave:

Democratização, Educação, Ideário Democrático e Popular

Resumo

O artigo problematiza alguns dos alcances e limites da Estratégia Democrática e Popular e das lutas gerais orientadas por esse ideário no campo da educação. Trata-se de um estudo bibliográfico que se vale de análise histórica, conceitual e documental. Buscou-se evidenciar como as propostas orientadas pela estratégia democrática e popular foram assimiladas pelos movimentos que lutaram pela democratização da educação, em defesa da escola pública, assim como quais foram as bandeiras levantadas, táticas utilizadas e as consequências para a organização política, indicando certa convergência entre as produções da pesquisa educacional, as reivindicações explícitas no PNE (1997), a organização do FNDEP, e as resoluções do PT e o ideário democrático e popular. O campo educacional, enquanto parte da totalidade, expressou de forma particular a consciência prática da classe trabalhadora. A pesquisa objetiva colaborar no direcionamento de críticas que contribuam para novas formulações estratégicas, orientando bandeiras e táticas de luta, com o intuito não apenas de conquistar pequenas melhorias, mas no sentido de everter a ordem social do Capital.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Emyly Kathyury Kataoka, Prefeitura Município de Jundiaí

Doutora em Educação (2018) pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC); Mestra em Educação (2012) pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Possui Licenciatura em Pedagogia (2017) pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR), e Licenciatura em Educação Física (2008) pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Atualmente é professora concursada na Rede Municipal de Jundiaí - SP (Professora PEB I), atuando nos anos iniciais do Ensino Fundamental e na Educação Infantil. Foi professora da disciplina de Educação Física na Rede Estadual de Ensino do Paraná (2009-2011) na Rede Municipal de Ensino do Município de São Paulo/SP (2011-2014). Tem experiência na área de Educação e Educação Física, atuando principalmente nos seguintes temas: Democratização da Educação; Estratégia Democrático e Popular; Relações entre Trabalho e Educação; Produção do Conhecimento; Educação Física Escolar e Metodologias de Ensino da Educação Física.

Luciana Marcassa, Universidade Federal de Santa Catarina

Possui Licenciatura em Educação Física pela UNICAMP (1998), Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Goiás (2002) e Doutorado em Filosofia da Educação pela UNICAMP (2009), com bolsa sanduíche na Université Bordeaux-3, França. Após dez anos vinculada à Faculdade de Educação Física da Universidade Federal de Goiás (UFG), hoje é docente do Departamento de Metodologia de Ensino do Centro de Ciências da Educação da Universidade Federal de Santa Catarina (MEN/CED/UFSC), e do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE/UFSC). Trabalha e estuda a formação de professores de Educação Física e também as políticas educacionais para a Educação Básica, com enfoque na relação juventude, trabalho e educação. É líder do TMT/ Núcleo de Estudos sobre as Transformações no Mundo do Trabalho (UFSC/CNPq). 

Publicado

2022-10-17

Edição

Seção

Artigos