OS IMPACTOS DA COVID-19 NOS DIREITOS EDUCATIVOS DE MIGRANTES E REFUGIADOS ADULTOS – NOTAS DE PESQUISA

Autores

  • Rita de Cássia da Cruz Silva Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo
  • Maria Clara Di Pierro Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (FEUSP) https://orcid.org/0000-0002-8343-3578

Palavras-chave:

migrantes, refugiados, migrações internacionais, direitos educativos, Covid-19

Resumo

2020 expôs a condição de vulnerabilidade do ser humano com a eclosão de uma pandemia que atingiu o mundo globalizado. No campo das migrações internacionais, os processos foram marcados por uma ruptura, em função das medidas de confinamento, adotadas pelos países para conter a Covid-19. O presente artigo tem como objetivo refletir sobre o impacto dessas medidas nas migrações internacionais, nos migrantes, bem como na efetivação de seus direitos educativos. O texto é uma análise exploratória apoiada em revisão bibliográfica e documental, subdividido em duas partes: a primeira, um panorama das vulnerabilidades às quais os migrantes estão submetidos; a segunda, referente às consequências sobre seus direitos educativos. A adoção do ensino remoto emergencial sem a necessária preparação de alunos ou professores, a não consideração das limitações tecnológicas e sociais, e a não observação das especificidades de migrantes e refugiados adultos podem levar a novos mecanismos de exclusão e à restrição de direitos educativos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rita de Cássia da Cruz Silva, Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo

Atualmente é doutoranda na Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (FEUSP), na área de concentração: Estado, Sociedade e Educação. Realiza pesquisa de estágio no exterior (Doutorado Sanduíche) na École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS), em Paris/França. É Analista de Política Públicas e Gestão Governamental na Prefeitura de São Paulo, alocada na EMASP (Escola Municipal de Administração Pública de São Paulo). Esteve alocada na Secretaria Municipal de Cultura e na extinta Secretaria Municipal de Promoção da Igualdade Racial (SMPIR). Foi editora de materiais didáticos para Educação de Jovens e Adultos na Organização Ação Educativa, bem como formadora de professores para utilização - em sala de aula - do material citado. Foi consultora de educação da UNESCO, em parceria com o Ministério da Educação (MEC), dedicando-se à pesquisa técnica relacionada com as áreas de Educação e Monitoramento de Políticas Públicas de Educação em EJA. É mestre em Literatura Comparada pela Universidade de São Paulo (2012). Possui graduação em Letras (2006) e Licenciatura em Língua Portuguesa (2007) pela mesma universidade. Além do trabalho na área de gestão pública, tem ampla experiência na área editorial, tendo atuado mais de doze anos na produção de conteúdo e edição de livros didáticos e literários.

Maria Clara Di Pierro, Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (FEUSP)

Graduada em Geografia pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (1980), é Mestre (1995) e Doutora (1999) em Educação: História, Política, Sociedade pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Em 2011-2012 realizou estágio pós doutoral no Teachers College, Columbia University. Desde 2005 é professora doutora da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, atuando na Graduação e na Pós Graduação. Orienta Iniciação Científica, Mestrado e Doutorado na Área de Concentração Estado, Sociedade e Educação. É membro do Grupo de Pesquisa Juventude e práticas educativas em Educação de Jovens e Adultos, atuando na Linha de Pesquisa Educação de Jovens e Adultos, principalmente nos seguintes temas: alfabetização e educação de jovens e adultos, políticas educacionais, educação do campo, educação popular. Mantém sua produção disponível no site www.mariaclaradipierro.com.br

Publicado

2022-07-05

Edição

Seção

Artigos