Arte e tragédia: representações sobre a seleção brasileira de 1982 em livros do século XXI

Conteúdo do artigo principal

Diano Albernaz Massarani

Resumo

A história da seleção brasileira de futebol é marcada tanto por láureas como por derrotas que perduram no tempo e são frequentemente recontadas, como é o caso da Tragédia do Sarriá, nome dado à eliminação da seleção brasileira de 1982 da Copa do Mundo. Este artigo procura compreender a Tragédia do Sarriá como um dos eventos mais rememorados e intrigantes do futebol brasileiro, através da análise da construção de representações sobre o estilo de jogo da seleção brasileira de 1982, em livros publicados neste século que narram a trajetória desta equipe. Décadas após a Tragédia do Sarriá, a seleção brasileira de 1982 surge representada como a última seleção que praticou o futebol-arte, estilo de jogo tido como “genuinamente” brasileiro, sendo, por isso, vista como injustiçada pela não conquista do título da Copa do Mundo. Nesse processo construtivo, destaca-se a significativa participação da seleção brasileira campeã da Copa do Mundo de 1994 na posição de alteridade privilegiada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Massarani, D. A. (2019). Arte e tragédia: representações sobre a seleção brasileira de 1982 em livros do século XXI. FuLiA/UFMG, 3(2), 109–133. https://doi.org/10.17851/2526-4494.3.2.109-133
Seção
DOSSIÊ

Referências

ANDRADE, Jeferson. A falta que faz um gol. Belo Horizonte: Página Aberta Editora, 2002.

BETING, Mauro. Apresentação. In: ROMAN, Gustavo; ZANATA, Renato. Sarriá 82: o que faltou ao futebol-arte?. Rio de Janeiro: Maquinaria, 2012, p. 11-13.

BETING, Mauro. Prefácio. In: ROCHA, André; COSTA, Michel. É Tetra!: a conquista que ajudou a mudar o Brasil. Rio de Janeiro: Via Escrita, 2014, p. 9-10.

CARMONA, Lédio. Contracapa. In: ROMAN, Gustavo; ZANATA, Renato. Sarriá 82: o que faltou ao futebol-arte?. Rio de Janeiro: Maquinaria, 2012.

CASTRO, Ruy. Contracapa. In: SALDANHA, João. O trauma da bola: a Copa de 82 por João Saldanha. São Paulo, Cosac & Naify, 2002.

CASTRO, Ruy. Orelha do livro. In: SALDANHA, João. O trauma da bola: A Copa de 82 por João Saldanha. São Paulo: Cosac & Naify, 2002.

COSTA, Leda. 1982: lágrimas de uma geração de ouro. In: HELAL, Ronaldo; CABO, Alvaro (orgs.). Copas do Mundo: comunicação e identidade cultural no país do futebol. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2014, p. 165-193.

DAMATTA, Roberto. Universo do futebol: esporte e sociedade brasileira. Rio de Janeiro: Pinakotheke, 1982.

FALCÃO, Paulo Roberto. Brasil 82: o time que perdeu a Copa e conquistou o mundo. Porto Alegre: AGE, 2012.

FARR, Robert. Representações sociais: a teoria e sua história. In: GUARESCHI, Pedrinho; JOVCHELICH, Sandra. (orgs.) Textos em representações sociais. Petrópolis: Vozes, 1995, p. 31-62.

FREYRE, Gilberto. Foot-ball mulato. Diário de Pernambuco. Recife, 17 jun. 1938.

FREYRE, Gilberto. Casa-grande & senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. Recife: Global Editora, 2003.

GUEDES, Simoni. De criollos e capoeiras: notas sobre o futebol e identidade nacional na Argentina e no Brasil. In: GASTALDO, Édison; GUEDES, Simoni. (orgs.) Nações em campo: Copa do Mundo e identidade nacional. Niterói: Intertexto, 2006, p. 127-146.

GUEDES, Simoni. A produção das diferenças na produção dos “estilos de jogo” no futebol: a propósito de um texto fundador. In: HOLLANDA, Bernardo Borges; Burlamaqui, Luiz Guilherme. (orgs). Desvendando o jogo: nova luz sobre o futebol. Niterói: EDUFF, 2014, p. 153-171.

HELENA JR., Alberto. Apresentação. In: MORA, Marcelo. Telê e a seleção de 82: da arte à tragédia. São Paulo: Publisher Brasil, 2012, p. 9-10.

LEITE, Milton. As melhores seleções brasileiras de todos os tempos. São Paulo: Contexto, 2010.

LISE, Riqueldi; CAPRARO, André; CAVICHIOLLI, Fernando. A Copa do Mundo de 1982 e o ‘‘turbilhão de emoções’’ nas crônicas de Nelson Motta. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Campinas, v. 39, n. 1, 2017, p. 10-16.

MAIA, Paulo Maurício. As 22 seleções que mais encantaram ao longo da história. Rio de Janeiro: Rotativa, 2013.

MORA, Marcelo. Telê e a seleção de 82: da arte à tragédia. São Paulo: Publisher Brasil, 2012.

MOSCOVICI, Serge. Prefácio. In: GUARESCHI, Pedrinho; JOVCHELICH, Sandra. (orgs.). Textos em representações sociais. Petrópolis: Vozes, 1995, p. 7-14.

MOSCOVICI, Serge. A história e a atualidade das representações sociais. In: ______. Representações sociais: investigações em psicologia social. Petrópolis: Vozes, 2009, p. 167-214.

MOSTARO, Filipe; HELAL, Ronaldo. Jornal da Tarde, 06 de julho de 1982: a imagem como construção de sentidos de uma derrota. Discursos fotográficos, Londrina, v. 12, n. 20, jan.-jul. 2016, p. 12-37.

PEREIRA, Mauro Cezar. Orelha do livro. In: ROMAN, Gustavo; ZANATA, Renato. Sarriá 82: o que faltou ao futebol-arte?. Rio de Janeiro: Maquinaria, 2012.

QUEIROZ, Maria Isaura. Identidade Nacional, Religião, Expressões Culturais: a criação religiosa no Brasil. In: SACHS, Viola. (org.). Brasil & EUA. Religião e Identidade Nacional. Rio de Janeiro: Graal, 1988, p. 59-93.

ROCHA, André; COSTA, Michel. É Tetra!: a conquista que ajudou a mudar o Brasil. Rio de Janeiro: Via Escrita, 2014.

ROMAN, Gustavo; ZANATA, Renato. Sarriá 82: o que faltou ao futebol-arte?. Rio de Janeiro: Maquinaria, 2012.

SALDANHA, João. O trauma da bola: a Copa de 82 por João Saldanha. São Paulo, Cosac & Naify, 2002.

SIMON, Luís. Orelha do livro. In: MORA, Marcelo. Telê e a seleção de 82: da arte à tragédia. São Paulo: Publisher Brasil, 2012.

SOARES, Antônio Jorge; LOVISOLO, Hugo. Futebol: a construção histórica do estilo nacional. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Campinas, v. 25, n. 1, 2003, p. 129-143.

TIEPPO, Marcelo. Prefácio. In: MORA, Marcelo. Telê e a seleção de 82: da arte à tragédia. São Paulo: Publisher Brasil, 2012, p. 11-12.

TOSTÃO. Orelha do livro. In: GALLO, Mayrant (org.). 82: uma Copa / 15 histórias. Anajé: Casarão do Verbo, 2013.

VELHO BARRETO, Túlio. Gilberto Freyre e o Futebol-Arte. Revista USP. São Paulo, n. 62, 2004, p. 233-238.