Empoderamento e relações de poder: a cobertura feminista da Copa do Mundo da Rússia pelo projeto "dibradoras"

  • Carolina Firmino Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"

Resumo

A representatividade feminina no esporte ganhou espaço com a oportunidade de debatê-la no ambiente plural da internet. Em sintonia com as demandas da sociedade, também surgiram conteúdos diferentes dos portais tradicionais de esporte, com o objetivo de promover a cobertura feminista no segmento. Neste contexto, o blog dibradoras acompanhou a Copa do Mundo de Futebol Masculino (Rússia, 14 de junho a 15 de julho de 2018), apoiado na compreensão do empoderamento como o processo de questionar ideologias e relações de poder. Para identificar a natureza dos questionamentos e medir a interação positiva ou negativa com a mensagem central da notícia, aplicamos a metodologia de análise de conteúdo em duas etapas. Definimos as categorias “posicionamento”, “gênero em profundidade” e “empoderamento” para classificar os títulos dos 20 textos que formaram o corpus. Posteriormente, analisamos o total de 214 comentários, que foram em sua maioria negativos e emitidos por homens.

* Trabalho apresentado no III Simpósio Internacional de Estudos sobre Futebol, em setembro de 2019, organizado pelo Museu do Futebol, LUDENS (FFLCH-USP), Ludopédio e pela PUC-SP.

Publicado
2019-06-11