O João sem medo e as onze feras – Warum und wie der Journalist und bekennende Kommunist João Saldanha 1969 Trainer der Seleção wurde

  • Sebastian Knoth Universidade de Aveiro
Palavras-chave: futebol; política; ditadura militar; João Saldanha; Médici, João Havelange.

Resumo

Resumo

O presente artigo analisa a carreira futebolística do jornalista e treinador de futebol João Saldanha (1917 – 1990) e as circunstâncias sócio-históricas no final dos anos 60 no Brasil, período em que Saldanha foi convocado para assumir o comando da seleção brasileira.

Saldanha, que, a partir dos anos 30, foi ligado ao Partido Comunista, treinou a seleção brasileira durante um dos momentos de maior opressão imposta pelo regime militar no Brasil, e classificou o Brasil para o mundial de 1970. Mesmo assim, depois de vários conflitos com o presidente da Confederação Brasileira de Desportos – CBD (João Havelange) – e com o poderoso líder militar, o general Emílio Garrastazu Médici, Saldanha foi demitido no início do ano 1970, pois não aceitou nenhuma interferência no trabalho por parte dos dirigentes. A repercussão social destes conflitos e a resistência de Saldanha foram fatores políticos importantes naquele momento, e ultrapassaram em muito os limites do mundo do futebol.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Awi, Fellipe / Motta Gueiros, Pedro / de Aguiar, Tadeu (2004): Governo atua na saída de Saldanha. In: O Globo, 4. April 2004.
Bellos, Alex (2005): Futebol – Fußball – Die brasilianische Kunst des Lebens. Frankfurt am Main: Fischer Taschenbuch Verlag.
Castro, Ruy (1995): Estrela solitária – Um brasileiro chamado Garrincha. São
Paulo: Companhia de Letras.
Deslandes, Ligia (2014): João Saldanha: O Futebol na Política e a Política no Futebol. https://www.ligiadeslandes.com.br/27/06/2014/joao-saldanha-o-futebol-na-politica-e-a-politica-no-futebol/ (Abruf am 03.11.2019)
Franco Júnior, Hilário (2007): A dança dos deuses – futebol, cultura e sociedade. São Paulo: Companhia de Letras.
Florenzano, José Paulo (1998): Afonsinho e Edmundo – A rebeldia no futebol brasileiro. São Paulo: Muso Editora.
Gutermann, Marcos (2009): O futebol explica o Brasil – Uma história da maior
expressão popular do país. São Paulo: Editora Contexto.
Máximo, João (1996): João Saldanha – Sobre nuvens de fantasia. Rio de Janeiro: Relume-Dumará: Prefeitura.
Mendes, Nathália (2016): João Saldanha: ditadura tem relação com demissão do técnico que montou seleção do tri. http://www.ebc.com.br/cidadania/2014/03/joao-saldanha-ditadura-tem-relacao-com-demissao-do-tecnico-que-montou-selecao (Abruf am 03.09.2019)
Knipp, Kersten (2013): Das ewige Versprechen – Eine Kulturgeschichte Brasiliens. Berlin: Suhrkamp Verlag.
Ribeiro, André (2012): A queda de Saldanha. http://www.literaturanaarquibancada.com/2012/06/especial-copas-8-queda-de-saldanha.html (Abruf am 30.10.2019)
Rodrigues, Nelson (1993): À sombra das chuteiras immortais – Crônicas de
futebol. São Paulo: Companhia de Letras.
Saldanha, João (1970): Por que seu saí. In: O Globo, 24. März 1970.
Schulze-Marmeling, Dietrich (1992): Der gezähmte Fußball – Zur Geschichte eines subversiven Sportes. Göttingen: Verlag Die Werkstatt.
Siqueira, André Iki (2007): João Saldanha – Uma vida em jogo. São Paulo: Companhia Editora Nacional.
Valia, Ednilson (2017): João Saldanha, um século de coragem. https://blogdomenon.blogosfera.uol.com.br/2017/07/04/joao-saldanha-um-seculo-de-coragem/?cmpid=copiaecola (Abruf am 03.09.2019)
Wöhlcke, Manfred (1987): Brasilien – Anatomie eines Riesen. München: Verlag C.H. Beck.
Publicado
2020-06-23
Como Citar
Knoth, S. (2020). O João sem medo e as onze feras – Warum und wie der Journalist und bekennende Kommunist João Saldanha 1969 Trainer der Seleção wurde. FuLiA / UFMG, 4(3), 81-96. https://doi.org/10.17851/2526-4494.4.3.81-96