O processo de transformação do futebol como elemento da identidade nacional brasileira

Autores

  • Guilherme Silva Pires de Freitas
  • Luiz Gonzaga Godoi Trigo Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (EACH-USP)

DOI:

https://doi.org/10.17851/2526-4494.4.3.115-134

Palavras-chave:

futebol; Brasil; identidade nacional; Copa do Mundo; país do futebol

Resumo

Esse artigo tem como objetivo analisar o processo de transformação do futebol como elemento da identidade nacional brasileira. A modalidade transformou-se em paixão e patrimônio nacional na primeira metade do século XX, consolidando-se principalmente entre as décadas de 1930 e 1950. Neste período o futebol brasileiro foi utilizado como instrumento político durante o Estado Novo, causou forte comoção nacional após a derrota para o Uruguai na final da Copa do Mundo no Maracanã em 1950 e finalmente atingiu sua consagração com o título mundial em 1958. Após a conquista da Taça Jules Rimet os brasileiros assumiram de vez esta prática esportiva como parte de sua identidade nacional fortalecendo ainda mais a expressão que o Brasil era o “país do futebol”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Silva Pires de Freitas

Mestre em Filosofia pela Universidade de São Paulo - USP (2017) no Programa de Estudos Culturais, linha de pesquisa Cultura, Política e Identidades; Especialista em Ciências Sociais (Globalização e Cultura) pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (2010) e Bacharel em Comunicação Social (Jornalismo) pelo Centro Universitário UniFIAMFAAM (2007).

Luiz Gonzaga Godoi Trigo, Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (EACH-USP)

Professor titular da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo, atuando nos mestrados de Turismo e de Estudos Culturais e na graduação de Lazer e Turismo. Graduado em Turismo (1983) e licenciado em Filosofia (1988) pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas; mestre em Filosofia Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1991); doutor em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (1996) e Livre Docente em Lazer e Turismo pela ECA/USP (2003). É professor titular da EACH-USP desde 2011. Foi diretor de turismo da Prefeitura de Campinas (1989-1991), diretor e assessor de turismo e hotelaria do Senac-SP (1995-2004), professor da PUC-Campinas (1988-2007). Foi um dos membros da Comissão de Turismo do Ministério da Educação para o ENADE (2006 e 2009). Publicou 22 livros e dezenas de artigos e capítulos de livros nas áreas de viagens e turismo, educação e entretenimento. Possui experiência na área de Turismo, com ênfase em Turismo, atuando principalmente nos seguintes temas: cultura, turismo, educação, sociedade, política e entretenimento. É membro vitalício da Congregação da EACH.

Referências

ALMEIDA, Marco Antonio Bettine de; GUTIERREZ, Gustavo; MARQUES, Renato Francisco Rodrigues. Uma leitura do futebol em São Paulo: a ginga, os territórios e as identidades. Revista da Alesde, Curitiba, v. 3, n. 1, p. 52-71, abr. 2013.
ANDERSON, Benedict. Comunidades imaginadas: reflexões sobre a origem e a difusão do nacionalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.
ANTUNES, Fatima Martins Rodrigues Ferreira. “Com brasileiro não há quem possa!”: Futebol e identidade nacional em José Lins do Rego, Mário Filho e Nelson Rodrigues. São Paulo: Editora UNESP, 2004.
BARRETO, Túlio Velho. Gilberto Freyre e o futebol-arte. Revista USP, São Paulo, n. 62, p. 233-238, jun.-ago. 2004.
BOURDIEU, Pierre. Questões de sociologia. Lisboa: Fim de Século Edições, 2003.
BRASIL. Decreto n. 3.199, de 14 de abril de 1941. Estabelece as bases de organização dos desportos em todo o país. Rio de Janeiro, 14 de abril de 1941. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Decreto-Lei/1937-1946/Del3199.htm. Acesso em 18 out. 2019.
CASTRO, Ruy. Estrela solitária: um brasileiro chamado Garrincha. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
DA MATTA, Roberto et al. Universo do Futebol: esporte e sociedade brasileira. Rio de Janeiro: Edições Pinakotheke, 1982.
ELIAS Norbert; DUNNING Eric. A busca da excitação. Lisboa: Difel, 1992.
FILHO, Mario. O negro no futebol brasileiro. 5ª edição. Mauad: Rio de Janeiro, 2010.
FRANCO JÚNIOR, Hilário. A dança dos deuses: futebol, cultura e sociedade. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.
GALEANO, Eduardo. Futebol ao sol e à sombra. Porto Alegre: Coleção L&PM Pocket, 2013.
GAUDÊNCIO, Itamar Rogério Pereira. Football suburbano e festivais esportivos: lazer e sociabilidade nos clubes de subúrbio em Belém do Pará (1920-1952). Tese (Doutorado em História). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da UFPA, Belém, 2016.
GIGLIO, Sérgio Settani; MORATO, Márcio Pereira; STUCCHI, Sérgio e ALMEIDA, José Julio Gavião de. O dom de jogar bola. Horizontes antropológicos. Porto Alegre, v. 14, n. 30, p. 67-84, jul.-dez. 2008.
HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: Lamparina, 2014.
HOBSBAWM, Eric; RANGER, Terence. (Org). A invenção das tradições. São Paulo: Paz e Terra, 2012.
MARCUSE, Herbert. Cultura e Sociedade – Vol. 1. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.
MASCARENHAS, Gilmar. Entradas e bandeiras: a conquista do Brasil pelo futebol. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2014.
MASCARENHAS, Gilmar. O futebol da canela preta: o negro e a modernidade em Porto Alegre. Anos 90 - Revista do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, v. 7, n. 11, p. 144-161, jul. 1999.
MAUS, Marcel. Sociologia e antropologia. São Paulo: Cosac Naify, 2003.
NEGREIROS, Plínio Labriola. Copa de 1938: rádio, festas nas ruas, cinema: torcendo pelos bravos legionários. Ludopédio. 06 dez. 2017. Disponível em: https://www.ludopedio.com.br/arquibancada/copa-de-1938-radio-festas-nas-ruas-cinema-torcendo-pelos-bravos-legionarios/. Acesso em: 17 out. 2019.
NOGUEIRA, Armando; SOARES, Jô; MUYLAERT, Roberto. A Copa que ninguém viu e a que não queremos lembrar. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.
ORTIZ, Renato. Cultura brasileira e identidade nacional. São Paulo: Brasiliense, 2005.
PEREIRA, Camila Augusta; LOVISOLO, Hugo. 1938: O nascimento mítico do futebol-arte brasileiro. In: HELAL, Ronaldo; CABO, Alvaro do (org). Copa do Mundo: comunicação e identidade cultural no país do futebol. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2014, p. 37-56.
RODRIGUES, Nelson. À sombra das chuteiras imortais: crônicas de futebol. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.
SANTOS, Joel Rufino dos. História política do futebol brasileiro. São Paulo: Editora Brasiliense, 1981.
SOUZA, Denaldo Achorne de. O Brasil entra em campo!: Construções e reconstruções da identidade nacional (1930-1947). São Paulo: Editora Annablume, 2008.
ZWEIG, Stefan. Brasil, um país do futuro. Porto Alegre: Coleção L&PM Pocket, 2008.

Downloads

Publicado

2020-06-23

Como Citar

Silva Pires de Freitas, G., & Gonzaga Godoi Trigo, L. (2020). O processo de transformação do futebol como elemento da identidade nacional brasileira. FuLiA / UFMG, 4(3), 115–134. https://doi.org/10.17851/2526-4494.4.3.115-134