O processo de transformação do futebol como elemento da identidade nacional brasileira

Conteúdo do artigo principal

Guilherme Silva Pires de Freitas
Luiz Gonzaga Godoi Trigo

Resumo


Esse artigo tem como objetivo analisar o processo de transformação do futebol como elemento da identidade nacional brasileira. A modalidade transformou-se em paixão e patrimônio nacional na primeira metade do século XX, consolidando-se principalmente entre as décadas de 1930 e 1950. Neste período o futebol brasileiro foi utilizado como instrumento político durante o Estado Novo, causou forte comoção nacional após a derrota para o Uruguai na final da Copa do Mundo no Maracanã em 1950 e finalmente atingiu sua consagração com o título mundial em 1958. Após a conquista da Taça Jules Rimet os brasileiros assumiram de vez esta prática esportiva como parte de sua identidade nacional fortalecendo ainda mais a expressão que o Brasil era o “país do futebol”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
SILVA PIRES DE FREITAS, G.; GONZAGA GODOI TRIGO, L. O processo de transformação do futebol como elemento da identidade nacional brasileira. FuLiA/UFMG , Belo Horizonte/MG, Brasil, v. 4, n. 3, p. 115–134, 2020. DOI: 10.17851/2526-4494.4.3.115-134. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/fulia/article/view/22206. Acesso em: 29 fev. 2024.
Seção
DOSSIÊ
Biografia do Autor

Guilherme Silva Pires de Freitas

Mestre em Filosofia pela Universidade de São Paulo - USP (2017) no Programa de Estudos Culturais, linha de pesquisa Cultura, Política e Identidades; Especialista em Ciências Sociais (Globalização e Cultura) pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (2010) e Bacharel em Comunicação Social (Jornalismo) pelo Centro Universitário UniFIAMFAAM (2007).

Luiz Gonzaga Godoi Trigo, Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (EACH-USP)

Professor titular da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo, atuando nos mestrados de Turismo e de Estudos Culturais e na graduação de Lazer e Turismo. Graduado em Turismo (1983) e licenciado em Filosofia (1988) pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas; mestre em Filosofia Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1991); doutor em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (1996) e Livre Docente em Lazer e Turismo pela ECA/USP (2003). É professor titular da EACH-USP desde 2011. Foi diretor de turismo da Prefeitura de Campinas (1989-1991), diretor e assessor de turismo e hotelaria do Senac-SP (1995-2004), professor da PUC-Campinas (1988-2007). Foi um dos membros da Comissão de Turismo do Ministério da Educação para o ENADE (2006 e 2009). Publicou 22 livros e dezenas de artigos e capítulos de livros nas áreas de viagens e turismo, educação e entretenimento. Possui experiência na área de Turismo, com ênfase em Turismo, atuando principalmente nos seguintes temas: cultura, turismo, educação, sociedade, política e entretenimento. É membro vitalício da Congregação da EACH.
Share |

Referências

ALMEIDA, Marco Antonio Bettine de; GUTIERREZ, Gustavo; MARQUES, Renato Francisco Rodrigues. Uma leitura do futebol em São Paulo: a ginga, os territórios e as identidades. Revista da Alesde, Curitiba, v. 3, n. 1, p. 52-71, abr. 2013.
ANDERSON, Benedict. Comunidades imaginadas: reflexões sobre a origem e a difusão do nacionalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.
ANTUNES, Fatima Martins Rodrigues Ferreira. “Com brasileiro não há quem possa!”: Futebol e identidade nacional em José Lins do Rego, Mário Filho e Nelson Rodrigues. São Paulo: Editora UNESP, 2004.
BARRETO, Túlio Velho. Gilberto Freyre e o futebol-arte. Revista USP, São Paulo, n. 62, p. 233-238, jun.-ago. 2004.
BOURDIEU, Pierre. Questões de sociologia. Lisboa: Fim de Século Edições, 2003.
BRASIL. Decreto n. 3.199, de 14 de abril de 1941. Estabelece as bases de organização dos desportos em todo o país. Rio de Janeiro, 14 de abril de 1941. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Decreto-Lei/1937-1946/Del3199.htm. Acesso em 18 out. 2019.
CASTRO, Ruy. Estrela solitária: um brasileiro chamado Garrincha. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
DA MATTA, Roberto et al. Universo do Futebol: esporte e sociedade brasileira. Rio de Janeiro: Edições Pinakotheke, 1982.
ELIAS Norbert; DUNNING Eric. A busca da excitação. Lisboa: Difel, 1992.
FILHO, Mario. O negro no futebol brasileiro. 5ª edição. Mauad: Rio de Janeiro, 2010.
FRANCO JÚNIOR, Hilário. A dança dos deuses: futebol, cultura e sociedade. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.
GALEANO, Eduardo. Futebol ao sol e à sombra. Porto Alegre: Coleção L&PM Pocket, 2013.
GAUDÊNCIO, Itamar Rogério Pereira. Football suburbano e festivais esportivos: lazer e sociabilidade nos clubes de subúrbio em Belém do Pará (1920-1952). Tese (Doutorado em História). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da UFPA, Belém, 2016.
GIGLIO, Sérgio Settani; MORATO, Márcio Pereira; STUCCHI, Sérgio e ALMEIDA, José Julio Gavião de. O dom de jogar bola. Horizontes antropológicos. Porto Alegre, v. 14, n. 30, p. 67-84, jul.-dez. 2008.
HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: Lamparina, 2014.
HOBSBAWM, Eric; RANGER, Terence. (Org). A invenção das tradições. São Paulo: Paz e Terra, 2012.
MARCUSE, Herbert. Cultura e Sociedade – Vol. 1. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.
MASCARENHAS, Gilmar. Entradas e bandeiras: a conquista do Brasil pelo futebol. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2014.
MASCARENHAS, Gilmar. O futebol da canela preta: o negro e a modernidade em Porto Alegre. Anos 90 - Revista do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, v. 7, n. 11, p. 144-161, jul. 1999.
MAUS, Marcel. Sociologia e antropologia. São Paulo: Cosac Naify, 2003.
NEGREIROS, Plínio Labriola. Copa de 1938: rádio, festas nas ruas, cinema: torcendo pelos bravos legionários. Ludopédio. 06 dez. 2017. Disponível em: https://www.ludopedio.com.br/arquibancada/copa-de-1938-radio-festas-nas-ruas-cinema-torcendo-pelos-bravos-legionarios/. Acesso em: 17 out. 2019.
NOGUEIRA, Armando; SOARES, Jô; MUYLAERT, Roberto. A Copa que ninguém viu e a que não queremos lembrar. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.
ORTIZ, Renato. Cultura brasileira e identidade nacional. São Paulo: Brasiliense, 2005.
PEREIRA, Camila Augusta; LOVISOLO, Hugo. 1938: O nascimento mítico do futebol-arte brasileiro. In: HELAL, Ronaldo; CABO, Alvaro do (org). Copa do Mundo: comunicação e identidade cultural no país do futebol. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2014, p. 37-56.
RODRIGUES, Nelson. À sombra das chuteiras imortais: crônicas de futebol. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.
SANTOS, Joel Rufino dos. História política do futebol brasileiro. São Paulo: Editora Brasiliense, 1981.
SOUZA, Denaldo Achorne de. O Brasil entra em campo!: Construções e reconstruções da identidade nacional (1930-1947). São Paulo: Editora Annablume, 2008.
ZWEIG, Stefan. Brasil, um país do futuro. Porto Alegre: Coleção L&PM Pocket, 2008.